Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Sistema Respiratório das Aves

Pré-visualização | Página 1 de 1

Sistema Respiratório das Aves 
 
 
 Introdução: DIFERE consideravelmente do sistema respiratório dos mamíferos 
- Necessidade para o VOO 
- VOCALIZAÇÃO pela siringe 
- Pulmões são PEQUENOS e NÃO EXTENSÍVEIS 
- Sacos aéreos NÃO participam das TROCAS GASOSAS, porém atua na VENTILAÇÃO PULMONAR 
- AUSÊNCIA do músculo diafragma 
 
 
 
 
 
 
 
 
 NARINAS: 
 Suspensas pelo OPÉRCULO, tegumento, ou recobertas por uma cera espessa, como nos psitacídeos. 
 Levam o ar até a cavidade nasal 
 
 
 
By: MARIA ALICE MENDES DOS SANTOS 
A separação da ventilação e 
das trocas gasosas permite 
fluxo contínuo de ar. 
TRAJETO DO AR: 
NARINAS CAVIDADE NASAL COANA LARINGE TRAQUEIA SIRINGE 
BRÔNQUIOS PRINCIPAIS BRÔNQUIOS SECUNDÁRIOS PARABRÔNQUIOS SACOS AÉREOS 
( HEMATOSE ) 
A. Opérculo 
B. Narina 
 CAVIDADE NASAL 
 Dividida pelo septo mediano, como nos mamíferos 
 Tem COMUNICAÇÃO DIRETA com a orofaringe, através da COANA 
 A concha caudal envolve um divertículo do SEIO INFRAORBITÁRIO, o qual está lateral a cavidade nasal; 
rostral e ventral ao olho 
 DUCTO NASOLACRIMAL abre-se ventralmente à concha média 
 GLÂNDULA NASAL ou “GLÂNDULA DE SAL” seu ducto abre-se a nível da concha rostral, é 
extremamente importante nas aves marinhas, pois secreta uma solução hipertônica de cloreto de 
sódio que permite às aves beberem água salgada. 
 
 
 
 
 
 
COANA, comunica 
a cavidade nasal 
com a oreofaringe 
A. Concha nasal ROSTRAL ou Ventral 
B. Concha nasal MÉDIA 
C. Concha nasal CAUDAL ou Dorsal 
Conchas Nasais 
Região do SEIO 
INFRAORBITÁRIO 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 LARINGE 
 Consiste em uma ELEVAÇÃO no assoalho da orofaringe 
 Cartilagem cricoide e um par de cartilagens aritenoides 
 AUSÊNCIA de cordas vocais, já que a vocalização ocorre na siringe 
 
 
 
 
 
 
 
Glândula de Sal 
 
Glote 
Proeminência Laríngea
 
 TRAQUEIA 
 Composta por anéis cartilaginosos COMPLETOS e firmemente arranjados 
 Relaciona-se com o esôfago na região cervical à DIREITA do plano mediano; 
 A traqueia se bifurca em dois brônquios primários dorsalmente à base do coração 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 SIRINGE 
 Complexo anatômico formado pela porção final da traqueia e início dos 02 brônquios primários 
 Apresenta 4 componentes cartilaginosos: Cartilagens CRANIAIS; PESSULO, o qual separar as aberturas 
bronquiais; Cartilagens INTERMÉDIARIAS e Cartilagens CAUDAIS 
 As paredes laterais e mediais dos brônquios primários são membranosas; Assim produzem som ao vibrarem 
 Há presença de um pequeno par de músculos esternotraqueais, o qual AUXILIA A VOCALIZAÇÃO 
por meio da tração da traqueia em direção à siringe. 
 
 
 
 
 
 
 
A. Laringe 
B. Traqueia 
Anéis cartilaginosos COMPLETOS 
Em PATO E CISNE MACHOS há 
presença da AMPOLA/ BULA OSSÉA 
ou BOLHA TIMPANIFORME no lado 
esquerdo da siringe (acredita-se que 
funciona como órgão de ressonância) 
1. Traqueia 
3. Pessulo 
4. Brônquios Primários 
 PULMÕES 
 Pequenos 
 Achatados 
 NÃO LOBADOS 
 NÃO EXPANSÍVEIS 
 Estão confinados CRANIODORSALMENTE na CAVIDADE CORPORÉA OU CELOMÁTICA e 
intimamente relacionados com as vértebras torácicas e costelas 
 NÃO EXISTE CAVIDADE PLEURAL, já que a capacidade de expansão dos pulmões é insignificante 
 Apresenta IMPRESSÕES das COSTELAS VERTEBRAIS na face costal dos pulmões 
 
 
 
 FACES: - Face Costal: parede lateral do tórax, moldada pelas costelas vertebrais 
 - Face Vertebral 
 - Face Septal 
 
 
 
 
 
Pulmão esquerdo de pato 
Vista lateral 
Vista medial 
A. Face COSTAL 
B. Face VERTEBRAL 
C. Face SEPTAL 
D. Hilo do pulmão 
 Brônquios Primários: direito e esquerdo, tornam-se contínuos com o saco aéreo abdominal. 
 Brônquios Secundários: 40-50, classificados como: 
- medioventrais 
- mediodorsais 
- lateroventrais 
- laterodorsais 
 Possuem várias conexões com os sacos aéreos; essas comunicações são essenciais para a passagem de 
ar pelos pulmões. 
 Emitem cerca de 400 a 500 PARABRÔNQUIOS, os quais se anastomosam-se uns com os outros e formam 
numerosas extensões, os capilares aéreos (homólogos aos alvéolos pulmonares), os quais estão 
estreitamente entrelaçados com os capilares sanguíneos ocorrendo a HEMATOSE 
- Parabrônquios originados dos brônquios medioventrais e mediodorsais: paleopulmão e ¾ do tecido pulmonar 
- Parabrônquios originados dos brônquios lateroventrais e laterodorsais: neopulmão. 
 
 
 SACOS AÉREOS 
 Dilatações cegas, de paredes finas, do sistema brônquico, que se estendem além do pulmão 
 Relação intima com às vísceras torácicas e abdominais 
 Funcionam como FOLES movimentando o ar através dos pulmõe 
 Tornam o corpo mais leve e ajudam a estabilizar o voo 
 Paredes pouco vascularizadas, logo há AUSÊNCIA DE TROCAS GASOSAS 
 Divertículos de alguns sacos aéreos entram em vários ossos e até mesmo alcançam espaços intermusculares 
Há presença de 8 sacos aéreos em galiformes: 
- Saco aéreo cervical: ÍMPAR 
- Saco aéreo clavicular: ÍMPAR 
- Sacos aéreos torácicos craniais e caudais: PARES 
- Sacos aéreos abdominais: PAR 
 
 
 Saco aéreo CERVICAL: ÍMPAR 
 UMA câmera principal 
 Divertículos 
 Ventila as VÉRTEBRAS CERVICAIS E TORÁCICAS 
 
 Saco aéreo CLAVICULAR: ÍMPAR 
 Situa-se na entrada do tórax 
 Preenche o espaço cranial e AO REDOR DO CORAÇÃO e se estende para dentro do ESTERNO 
 Passa entre os músculos e ossos do cíngulo do membro torácico para pneumatizar o ÚMERO 
 
 Saco aéreo TORÁCICO CRANIAL: PAR 
 Situam-se VENTRAIS AOS PULMÕES, entre as costelas esternais, o coração e o fígado 
 NÃO VENTILAM OSSOS 
 
 Saco aéreo TORÁCICO CAUDAL: PAR 
 Situam-se mais caudalmente entre a parede corpórea e os sacos abdominais. 
 NÃO VENTILAM OSSOS 
Divertículo 
umeral do 
saco aéreo 
clavicular 
 
 
 
 
Saco aéreo 
CERVICAL 
Saco aéreo 
CLAVICULAR 
Saco aéreo 
TORÁCICO 
CRANIAL 
Saco aéreo 
TORÁCICO 
CAUDAL 
Saco aéreo 
ABDOMINAL 
 Saco aéreo ABDOMINAL: PAR 
 São os MAIORES 
 Ocupam as partes caudodorsais da cavidade abdominal, onde estão em amplo contato com os 
intestinos, moela, órgãos genitais e rins. 
 Ventilam o SINSACRO e ACETÁBULO 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Ossos pneumatizados pelos sacos aéreos: 
 
 
A. PULMÃO 
B. Saco aéreo CERVICAL 
C. Saco aéreo CLAVICULAR 
D. Saco aéreo TORÁCICO CRANIAL 
E. Saco aéreo TORÁCICO CAUDAL 
F. Saco aéreo ABDOMINAL 
SACOS AÉREOS, Vista lateral