A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
CIVIL I - anotações da aula e resumo - Prof Rosângela Lira - 2GQ

Pré-visualização | Página 1 de 4

Da Pessoa Jurídica (Art. 40-69) 
Conceito: “é a entidade diversa da pessoa natural (por isso é chamada de Pessoa Moral), 
solenemente constituída pela vontade de outras pessoas, físicas ou jurídicas, com personalidade ou 
patrimônio próprios e distintos dos de seus constituintes, e determinada finalidade prevista na sua 
ata constitutiva” 
Elementos constitutivos: 1) Vontade humana criadora 
 2) Licitude de seus propósitos 
3) Observância das condições legais de sua formação 
Características: 1) tem personalidade e patrimônio próprio  princípio da separação da PN e PJ 
 2) tem limitações: por ser abstrata precisa de representação; direitos de família 
 não podem recair sobre ela. 
Classificação: 
a) Quanto ao âmbito de atuação (função e capacidade): 
Pessoa jurídica de Direito Público: Externo (estados estrangeiros = países e organizações 
internacionais – art. 42, CC; Interno (União) – Art. 41, CC) 
Pessoa jurídica de Direito Privado – Art. 44, CC 
OBS: Art. 41 – Pessoa Jurídica de Direito Público interno: 
1. Administração Direto (união; município; DF) 
2. Administração Indireta (autarquia federal, ex: UFPE) 
2.1 Empresa pública: caixa econômica federa (100% patrimônio da união; não é uma 
sociedade anônima; entes públicos; natureza jurídica PRIVADA porque se organiza 
como SOCIEDADE ANÔNIMA. 
2.2 Sociedade mista: banco do Brasil (Natureza jurídica privada; se organiza como 
sociedade anônima. 
b) Quanto a Estrutura: 
Universitas Personarium: universidade de pessoas (um conjunto de pessoas). 
 Ex: corporações (pessoas que se associam e formam uma entidade) 
 Corporações: Associações ou Sociedade (finalidade lucrativa) 
Universitas Bonorum: universalidade de bens (patrimônio distinto a uma finalidade). 
 Ex fundações. 
c) Quanto a nacionalidade: nacional ou estrangeira 
Início da Personalidade jurídica (aquisição da Personalidade Jurídica) 
Público: leis 
Privado: Registro (documento – ato constitutivo) 
Art, 114-126, Lei nº6015 
 
 
A Teoria da Desconsideração (Art. 50, CC) 
Pessoa Jurídica utilizada de forma indevida: coloca como seu patrimônio um que seria da Pessoa 
Jurídica 
Origem na Inglaterra: “Disgard of Legal Entity Doutrine” 
Confusão patrimonial: 
Desvio da finalidade da pessoa jurídica 
O juiz permite que o patrimônio particular seja tocado 
Desconsiderar não significa expulsão e sim que existe um processo contra a pessoa jurídica, 
na qual ela é devedora e o credor constata que ela não tem bem e os seus sócios estão ricos 
demais 
OBS 1: a teoria adotada no Código Civil em 2002 para justificar a existência da pessoa 
Jurídica é a teoria da realidade técnica. 
OBS 2: Entre os associados não há direitos e obrigações recíprocos. 
 Desconsideração da Personalidade Jurídica: é o instituto que permite a responsabilidade 
do administrador, gerente ou representante legal da pessoa jurídica que, ao agir em seu nome 
pratica ato lesivo aos interesses de terceiro, em abuso de poder ou desvio de finalidade. 
Grupos despersonalizados (ou ente anômalo) uma coletividade de seres humanos ou de bens 
que não possuem personalidade jurídica própria, também conhecidos como grupos com 
personificação anômala. Ex: Sociedades irregulares e sociedades de fato; massa falida; espólio ou 
massa hereditária. 
Herança inocente e vacante: 
- Não são pessoas jurídicas porque não possuem personalidade, visto que, não há registro; 
- Sociedade de fato: existe de fato, mas não possui registro, vivendo as margens da lei. 
Sociedade irregular: seu registro não gera efeito, visto que possui uma falha. 
Massa falida: conjunto de bens da sociedade que faliu. 
OBS: lei de recuperação de empresas  extinguiu a “concordada”  acordo para 
evitar a declaração de falência. 
Sociedades irregulares não podem ser demandantes nos processos judiciais, já que elas não 
existem, apenas ré (possuem capacidade processual passiva) 
Massa falida pode ser autora (ativa) ou ré (passiva) na ação judicial: conjunto de bens 
administrados para pagar credores e, por fim, deixar de existir. 
Espólio: existe até o momento da partilha. 
 Herança jacente: aquela que não há sucessor. 
 Conjunto de direito e obrigações (abstrato) – representante = inventariante. 
Massa hereditária: bens em si. 
Condomínio: grupo de pessoas que divide o direito de propriedade sobre algum bem. 
 OBS: condomínio edilício = exemplo do volume de Jorge Miranda 
 Pode ter capacidade ativa e passiva 
Pessoa Jurídica de Direito Privado 
1) Fundações: Art. 62 a 69. 
Podem ser de Direito Público ou Privado (ex: fundação Joaquim Nabuco); 
Fundação particular pode ser criada por ato inter vivos ou mortis causa. 
Quem cria = instituidor 
Documento = estatuto 
Não possuem fins lucrativos 
Se o instituidor cria em vida, faz em escritura pública. Em morte, ocorre pelo testamento. 
Bens livres: quando não há nenhum “ônus” (usufruto, penhora, hipoteca) sobre ele. 
Se ele estiver vivo, poderá se “arrepender” até o transito final da fundação. 
O MP, antes de haver o registro (momento em que a fundação passa a existir) da fundação, 
deve aprovar 
Instituidor (que criam as fundações), MP (quando os sucessores não o fazem. 
Elaboração fiduciária (confiança) 
A finalidade é a única coisa que não pode ser alterada 
 
 Teorias da Natureza Jurídica da Pessoa Jurídica: 
Teoria Negativista (nega a existência e a autonomia da pessoa jurídica) 
Teorias Afirmativas (dá existência e autonomia) 
Teoria da Ficção (não tem existência real, mas existe como uma ficção humana) 
Teoria da Realidade Objetiva (existe, mas sua existência se confunde com a da PN) 
Teoria da Realidade Técnica (existe, mas sua realidade é distinta da pessoa natural) 
Teorias das Instituições Jurídicas 
2) Sociedades: visa lucro! 
As simples são registradas nos Registros civis de Pessoa jurídica; paga INSS (diferença de 
tributação) 
As empresariais são registradas no Registro Público das Empresas Mercantis; paga ICMS. 
 
As pessoas hoje em dia não optam muito por fazeres a sociedade em nome coletivo por essas 
serem solidarias ilimitadamente. (entram com o seu patrimônio pessoal) 
Sociedade = solidariedade (affectio societatis): liga os sócios no ativo e no passivo. 
Pro labore: participação que é dada a quem está gerenciando de forma correta. Participando 
ativamente 
Sociedades complexas: 3 órgãos = administrador; assembleia geral; conselho fiscal. 
Sociedade anônima: precisa ter autorização governamental; forma o capital social baseada 
nas ações 
Associações: Diretoria; assembleia geral (reunião de todos para tomar uma decisão); 
conselho fiscal. 
Extinção da associação (Art. 66) 
Universalidade de pensar. 
3) Partidos Políticos (lei 9096): Uma pessoa jurídica de direito privado (ou seja, não precisa 
de autorização governamental) marcada pela união voluntária de cidadãos de afinidades 
ideológicas e políticas organizadas e com disciplina visando a disputa de poder político. 
a. Possui 2 registros: 
1- Cartório de Registro Civil das Pessoas Jurídicas da Capital Federal (dá 
personalidade). 
2- Tribunal Superior Eleitoral: possibilita acesso ao fundo partidário; horário gratuito 
na rádio e na televisão; exclusividade de denominação. Siglas e símbolos (CF, Art. 17, 
parágrafo 2º) 
 A ideologia do partido deve ser compatível com o regime democrático 
 Não pode ter caráter paramilitar 
 Deve ter autonomia 
4) Organizações religiosas: Tipo de pessoa jurídica do Direito Privado destinada a abrigar as 
instituições de cunho religioso 
Criada sobre um manto professional 
Isenção fiscal 
OBS: A Igreja Católica é um ente internacional público (dotada de personalidade 
internacional); não há um registro de direito privado; não pode ser colocada como uma 
organização religiosa. 
 
5) EIRELI (Lei 12441): Empresa Individual de Responsabilidade Limitada. 
É uma pessoa jurídica de Direito Privado que pode ser constituída de apenas 1 sócio 
Função: evitar a informalidade

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.