Buscar

Mindfulness e transtornos alimentares

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

Sabrina Feitosa de Sousa 
 
 
 
 
 
 
Mindfulness 
Mindfulness é atenção plena, ou seja, está 
consciente, não é relaxamento apesar de 
poder estar incluída no relaxamento. 
1. Se sente de forma confortável; 
2. Feche ou mantenha os olhos em um 
ponto fixo; 
3. Relaxe o corpo; 
4. Acolha seus pensamentos, 
independentemente de serem bons ou 
ruins; 
5. Respire, sentindo a respiração entrando 
pelas narinas e saindo pela boca; 
6. Finalize a prática mexendo o corpo aos 
poucos. 
A prática não precisa durar horas, pode 
durar apenas alguns minutos. 
Compulsão alimentar 
Os comportamentos compulsivos 
acontecem mesmo fora do transtorno 
alimentar, por exemplo: é culturalmente 
aceito comer até ficar extremamente cheio 
no natal. 
Estilo de comedor 
• Comedor cuidadoso: estuda sobre os 
benefícios da alimentação – é o fitness. 
Tem uma preocupação com a saúde. 
• Profissional em dieta: já testou várias 
dietas, ao ponto de conseguir misturar 
as dietas, criando a sua própria dieta 
com foco em emagrecer – apesar da 
preocupação com a saúde, o foco é 
perder peso. 
• Comedor desatento: come enquanto 
faz outras coisas, não prestando 
atenção na alimentação. Exagera em 
situações específicas, como em 
situações sociais. Usa a comida para 
lidar com as emoções; e 
• Comedor intuitivo: come de acordo 
com os sinais do corpo. Usa o alimento 
para nutrir o corpo, não a mente. 
o Esse é o tipo desejado. 
→ Para se tornar um comedor intuitivo é 
necessário: 
1. Rejeitar a dieta; 
2. Honrar a fome – ser capaz de perceber 
a fome ou a ausência dela; 
3. Fazer as pazes com a comida; 
4. Desafiar o policial alimentar que está 
dentro da nossa cabeça nos 
censurando; 
5. Perceber os sinais de saciedade; 
6. Descobrir o fator de satisfação – saber 
quais alimentos proporcionam 
satisfação; 
7. Lidar com as emoções sem usar a 
comida; 
8. Respeitar o limite do corpo; 
9. Se exercitar para o bem do corpo, mas 
não para comer ou compensar as 
compulsões; e 
10. Honrar a saúde: comer o que o corpo 
precisa, sem terror psicológico. 
Escala de fome 
1. Estufado: dor no estômago porque 
comeu demais; 
2. Cheio: sente azia, vontade de usar o 
banheiro; 
3. Leve: começando a sentir a fome; 
4. Fome: começa a pensar no que comer e 
a barriga começa a roncar; 
5. Faminto: dor na barriga de fome, dor de 
cabeça, irritabilidade, mal estar; 
Mindfulness e Transtornos 
Alimentares 
Sabrina Feitosa de Sousa 
6. Fome normal: sabe que precisa comer, 
mas não sabe nem o que é; 
7. Apetite: vontade de comer algo em 
especifico; e 
8. Saciedade: sensação de plenitude 
gástrica.

Outros materiais