Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Segunda Aula

Pré-visualização | Página 1 de 1

AULA II
TEORIA CONSTITUCIONAL:
A constituição. Conceito. Conteúdo. Classificação
A norma constitucional.
	 CARACTERÍSTICAS:
Inicialidade fundamental
Conteúdo marcadamente político
Linguagem: sintética e coloquial
Predomínio de normas de organização
Constituição garantia
Hermenêutica constitucional. “A Constituição é aquilo que o STF diz que ela é” (Carlos Mário Velloso, no livro Instituições de Direito Público)
A Constituição dirigente e seus aspectos de paradigma para as demais normas e da vinculação do legislador (tese de doutorado de JJ Canotilho)
Conclusões: A importância de esclarecimentos sobre a teoria Constitucional para uma avaliação da nossa Constituição
CONCEITO: 
A maneira particular do Estado. Possibilidade de muitas conceituações. Temos o conceito sociológico, o político, o jurídico. O que nos interessa é o jurídico.
F. Lassale: Conceituação sociológica ( Advogado, que publicou em 1863 “A essência da Constituição”, o primeiro a questionar a legitimidade de uma Constituição, afirmando que a boa e duradoura Constituição escrita é a que se apóia na Constituição real, nos fatores reais de poder. O resto, para ele, é mera folha de papel. 
K. Hesse: Conceituação jurídica. ( A força normativa da Constituição, trabalho apresentado em 1959, em que o autor retoma conceitos de Lassale, mas lembra que não basta vontade de poder, mas vontade de Constituição, dando assim uma concepção jurídica à Constituição.
( A eterna tensão entre o real e o ideal.
CONTEÚDO: 
Além das normas materialmente constitucionais (estrutura fundamental do Estado), há outras formalmente constitucionais. Exemplo : art.144 versus Art. 1º.
Por que isso? A Constituição é uma GARANTIA. Vejam artigo do salário mínimo: Art. 7º, IV: (...) capaz de atender a suas necessidades básicas e às de sua família com moradia, alimentação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social(...). Mesmo não cumprida integralmente, é uma garantia. Ver as conclusões do Censo em algumas regiões do Nordeste, p.e.
CLASSIFICAÇÃO: 
Quanto à forma: Escrita VS. Não Escrita;
Quanto ao modo de elaboração: Históricas (relacionadas às não escritas. Fruto de lenta elaboração histórica) VS. Dogmáticas (baseiam-se em princípios ou “verdades” aceitas como naturais valores de um povo);
Quanto à origem: Outorgadas (1824, 1937, 1967) VS. Promulgadas ou Populares ou Democráticas (1891, 1934, 1946, 1988) VS. Cesaristas (exemplo, a chilena durante o Governo militar);
Quanto à estabilidade: Rígidas (ver art. 60 da CRFB) VS. Semirrígidas (a de 1824) VS. Flexíveis;
( Nossa Constituição ( Escrita, dogmática, promulgada e rígida.
CARACTERÍSTICAS DA NORMA CONSTITUCIONAL:
Hierarquicamente superior às demais normas.
Incicialidade fundante ( Com uma nova Constituição inauguramos um novo Estado. 
Dois tipos de Poder Constituinte: Originário/Derivado.
Originário ( Reunido para elaborar a Constituição. Regras de imutabilidade. Art. 60, par.4º:
Rigidez da nossa Constituição. Limites de mutabilidade (impossibilidade de emendas sobre esses temas).
O que acontece com as normas anteriores?
Recepção ( O que não for contrário à nova ordem, continua valendo (para as infraconstitucionais).
Repristinação ( Renascimento. Só com previsão explícita.
E as Constituições anteriores? Não valem.
Conteúdo marcadamente político ( O consenso a que se foi possível chegar (várias forças, em torno da vontade de um mesmo poder). Acordos, consensos. Constituição. Procura-se harmonizar valores antagônicos. Exemplo: Art. 5º, IV e V versus 220, par. 1º.
Linguagem: sintética e coloquial ( Predomínio desse tipo de linguagem, até mesmo para uma compreensão mais ampla por todos.
Predomínio de normas de organização ( O poder organicamente organizado. Poderes harmônicos e independentes entre si. Como fica quando um invade a esfera de competência do outro ( Checks and balances (freios e contra-pesos).
Garantia ( Direitos previstos na Constituição estão mais garantidos.
Hermenêutica Constitucional ( Quem interpreta a Constituição?
Nosso caso: art. 102 ( STF com a última palavra.
Peter Häberle ( Interpretação aberta à sociedade.
BIBLIOGRAFIA PARA PRÓXIMA AULA:
Controle da Constitucionalidade / Processo Legislativo (Cap. III da parte I do M. Temer);
Processo legislativo (Cap. IV e V da Parte III do M. Temer);