A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Princípios fundamentais

Pré-visualização | Página 1 de 2

Ana Luiza Bittencourt 
DIREITO CONSTITUCIONAL I 
Princípios Fundamentais/Constitucionais 
- Direitos e deveres fundamentais > pilares (base da constituição). Depois vem a organização do Estado. Depois 
vem os direitos sociais. 
– Art. 1º > ao lado de anunciar que estamos diante de um regime republicano do tipo federalista, enumerou 
os FUNDAMENTOS do Estado brasileiro: soberania; cidadania; dignidade da pessoa humana; valores sociais 
do trabalho e da livre iniciativa; pluralismo político. 
- República; Federação; Estado Democrático de Direito; Separação dos Poderes; Cidadania; Soberania; 
Dignidade da pessoa humana; Valores Sociais do trabalho e da livre iniciativa; Pluralismo Político. 
República 
- Forma de Governo = forma como se dá a relação do povo com o poder. 
- Tradução literal: coisa do povo. 
- Contrário de monarquia (monos = um só) 
- Características da República e da Monarquia: 
● Monarquia: 
- Vitaliciedade; 
- Hereditariedade; 
- Irresponsabilidade (não tem que prestar contar; provar seus atos). 
 
● República: 
- Temporariedade (art. 82); 
- Eletividade (art. 77); 
- Responsabilidade (deve prestar contas de forma adequada) (art. 85). 
- Espécies de República: 
● República aristocrática: pouca participação do povo no governo. 
● República democrática: grande participação do povo no governo. 
- Democracia: 
● Direta: o povo toma as decisões diretamente > convocado para parecer aos ginásios, praças, etc, em 
que se faz uma consulta pública. Inviável no mundo todo > nenhum país exerce esse tipo de 
democracia. 
● Indireta (art. 1º, § único): através dos representantes. 
● Semidireta (junção da direta com a indireta): exercida de 3 formas: 
- Plebiscito (art. 14, I, II, III): consulta prévia à população. 
- Referendo (art. 14, I, II, III): consulta posterior à população. 
- Iniciativa popular (art. 61 §2º): possibilidade de 1% do eleitorado apresentar um projeto de lei 
- Conclusão: o Brasil é uma república democrática indireta e eventualmente semidireta. 
Federação 
- Federação: forma de Estado > relação entre os entes federativos. 
- Ex. clássico de federação: EUA 
- Obs.: a federação do brasil iniciou-se com um movimento centrífugo. 
- Conceito: é a união de Estados (federados ou membros) que reservam para si a autonomia político-
administrativa (e abrem mão de parte de sua soberania). 
- Obs.: confederação (ex.: união europeia) > conceito: é a união de Estados (países/estados federados) que 
reservam para si a soberania. Nasce de um tratado internacional, que pode ser rompido a qualquer momento 
(direito de secessão). 
- Características da federação: 
● Nasce de uma constituição (assinam esse documento para formar uma federação); 
● Indissolúvel (art. 1º); 
● Legislativo bicameral; 
● Planos de poder federal e estadual; 
● Sistema de controle de inconstitucionalidade das leis > ADI 
Estado Democrático de Direito: 
Evolução dos Estados: 
● Estado Absolutista: poder está concentrado em uma só pessoa > tendência a abuso de poder. “O 
poder corrompe. O poder absoluto corrompe ainda mais.” 
- Concentração do poder; 
● Estado de Direito/Liberal: revolução francesa > revoltas contra o monarca 
- Tripartição do poder = legislar/julgar/administrar = poderes limitados 
- Limitação do poder = cada poder passou a exercer apenas uma função > o poder judiciário só julga; 
o legislativo só legisla e o executivo só administra (isso é tripartição). Criava uma dependência entre 
poderes. A partir do momento que o legislativo criou uma lei, o governante tinha que aceitar essa 
legislação, assim como tinham que aceitar o julgamento do judiciário. Obs.: tripartição é diferente de 
separação 
- “de Direito” = submete-se a lei 
- “Liberal” = as pessoas podiam fazer tudo que estava dentro da lei ou que as proibia fazer algo. 
● Estado Social: o Estado tem que ser o fomentador (tomar a iniciativa de todas as medidas) > começa 
a investir em todas as áreas que não possuem investimento para desenvolver a sociedade. Ex.: 
investimento em escolas públicas 
- Estado intervencionista = economia, sociedade, política > muita responsabilidade > começa a se 
tornar ineficiente. 
● ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO: início em aprox. 1980. Se baseia em duas características: 
- Soberania popular > o povo passa a ser sujeito de direito. 
- Respeito às leis (separação dos poderes) 
● Estado Neoliberal: globalização e privatizações. 
● Estado Neo-Social: estado intervencionista > intervenção estatal nos setores da sociedade > “minha 
casa, minha vida”; vale-transporte; “bolsa família”. 
- Na prática, estamos vivenciando o meio termo entre estado neoliberal e estado neo-social. 
Separação dos poderes (IMPORTANTE): 
- Art. 2º CF - São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o 
Judiciário. 
 
- Concentração do poder – poder ilimitado = ESTADO ABSOLUTISTA 
 
- Tripartição dos poderes – poder limitado = ESTADO DE DIREITO/LIBERAL = P.L só legislava / P.E só 
administrava / P.J só julgava > criava uma dependência do poder executivo 
 
- Separação dos poderes – independência e harmonia entre os poderes – ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO 
 
 FUNÇÕES TÍPICAS FUNÇÕES ATÍPICAS 
 
LEGISLATIVO 
 
Legislar 
Julgar (impeachment) 
Administrar (pagamento dos seus 
servidores da Câmara) 
 
EXECUTIVO 
 
Administrar 
Legislar (medida provisória) 
Julgar (processo administrativo; 
licitação) 
 
 
JUDICIÁRIO 
 
 
Julgar 
Administrar (fórum construído 
pelo poder judiciário) 
Legislar (regimentos internos e 
portarias) 
 
- Sistema de freios e contrapesos = para ter harmonia, precisa ter um meio de um poder controlar o outro, 
para que nenhum poder sobressaia sobre o outro = modo pelo qual os poderes controlam uns aos outros. 
Como? Cada poder possui autonomia para exercer suas funções, mas ainda assim é controlado por outros 
poderes. 
● Poder Legislativo controlando o Poder Executivo: voto nos projetos de lei; 
● Poder Executivo controlando o Poder Legislativo: veto (mas o Legislativo pode rejeitar o veto); 
● Poder Executivo controlando o Poder Judiciário: escolha e nomeação dos ministros de todos os 
tribunais superiores; 
● Poder Judiciário controlando o Poder Executivo: juiz controla a legalidade da prisão ilegal feita por um 
policial através do habeas corpus. Mandado de segurança; 
● Poder Judiciário controlando o Poder Legislativo: declarar lei inconstitucional através do STF > ADI 
● Poder Legislativo controlando o Poder Judiciário: mandam orçamentos para o Legislativo aprovar por 
meio de votos > controlam por meio da lei orçamentária. 
Cidadania 
- Sentido estrito (stricto sensu) = pessoa que detém o título eleitoral. Art. 5º, LXXIII (qualquer cidadão é parte 
legítima para propor ação popular que vise a anular ato lesivo ao patrimônio público ou de entidade de que o 
Estado participe, à moralidade administrativa, ao meio ambiente e ao patrimônio histórico e cultural, ficando 
o autor, salvo comprovada má-fé, isento de custas judiciais e do ônus da sucumbência) > precisa ter título 
eleitoral. 
- Sentido amplo (latu sensu) = possibilidade da pessoa participar do processo político: 
● Cidadania ativa – voto > art. 14, §1º. 
● Cidadania passiva – ser votado > condição de elegibilidade – art. 14, §3º. 
Soberania 
- RFB (pessoa jurídica de Direito Público Internacional) - (Chefe de Estado): 
● União – Governo Federal - Chefe de Governo 
● Estados - Governador do Estado 
● Municípios - Prefeito 
● DF (Governador Distrital) 
- Cada uma dessas partes é chamada de pessoa jurídica de direito público interno > art. 41 CC. Cada um desses 
órgãos possui a AUTONOMIA, sendo que a República detém a SOBERANIA. 
- Conceito: é o poder de autodeterminação dos povos. Indica a supremacia do Estado brasileiro em relação a 
ordem interna e sua independência internacional 
- Quem a detém: República Federativa do Brasil (RFB) 
- Reflexo > art. 18 > A organização político-administrativa

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.