Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Revisão resumida de Fisiologia do esporte

Pré-visualização | Página 2 de 2

VENTILAÇÃO: 
Durante o exercício pode ser uma resposta aprendida. Ou 
seja, em períodos repetidos de atv física, o cérebro fica 
progressivamente mais apto a produzir os sinais apropriados 
e necessários para manter a Pco2 sanguínea em seu nível 
normal. 
CONTROLE NEURAL DA RESPIRAÇÃO 
Os neurônios do CR no bulbo estimulam os neurônios 
motores somáticos para os musc respiratórios: o nervo 
frênico para o diafragma e os nervos intercostais para os 
músculos intercostais. 
VZM 
Isso pode ser alterado pelo sist límbico e hipotálamo, córtex 
cerebral e quimiorreceptores. 
Os quimiorreceptores respondem a ↓o2 e ↑co2 enviando 
sinal para o CR ↑FR e profundidade da resp. 
Os quimiorreceptores são de dois tipos: 
- Quimiorreceptores centrais, localizado no bulbo, 
- Quimiorreceptores periféricos, os glomos paraaórticos, 
localizados no arco da aorta, e glomo carotídeo, 
encontrados na bifurcação da artéria carótida comum e 
respondem ao ↑de H++ e PCO2 
 
RUNNING ANAERÓBIC TEST – RAST 
O protocolo RAST é um método de avaliação anaeróbica do 
gesto motor de corrida e informações sobre a potência 
anaeróbica e variáveis relacionadas, como a fadiga. 
Ressíntese musc. ATP-CP deve ser realizada rapidamente 
para prevenir a fadiga e manter a contração muscular 
colaborando para o desempenho do atleta. 
Quanto menor a fadiga, maior a resistência do atleta 
durante a atv fis. 
A potência musc máxima depende da idade, sexo, caract. 
morfológica e condicionamento físico. 
A % de gordura interfere diretamente no rendimento do 
atleta, quanto ↑% de gordura, ↓será os índices de potência, 
A massa magra está associada a esses índices, são os musc 
ativos que produzirão potência necessária para vencer os 
obstáculos da modalidade. 
 
FUNÇÃO DOS HORMÔNIOS QUE FAZEM MANUTENÇÃO DO 
METABOLISMO ENERGÉTICO DURANTE EXERCÍCIO FÍSICO 
DINÂMICO: 
 
GH e IGF-1 
A atv fisic, estimula a liberação de GH e IGF-1. 
A maior liberação de GH beneficia o cresc. e a remodelagem 
do musc, do osso e do tecido conjuntivo, ↑síntese proteica, 
causando hipertrofia musc. 
Preserva a concentração plasmática de glicose para o bom 
funcionamento do SNC e dos musc. 
TSH 
Regulação do metabolismo corporal total. O TSH produzido 
pela hipófise aumenta durante o exercício. 
T4 e T3 ↑ na atv fis principalmente no calor 
ADRENOCORTICOTRÓFICO OU CORTICOTROPINA – ACTH 
- O ACTH regula a produção de hormônios pelo córtex 
supra renal. 
- ↑ a mobilização dos ácidos graxos a partir do tecido 
adiposo, ↑ a gliconeogênese e estimulando o 
catabolismo proteico. 
- O ACTH ↑ durante atv fis. 
- A atv fis de alta intensidade favorece a liberação de AVP 
enquanto a atv fis. prolongada favorece a liberação de 
CRH, com ambos os processos inibindo o ACTH. 
- O CRH é tanto um modulador do ACTH quanto um 
neurotransmissor do SNC. 
PROLACTINA 
- Os níveis de PRL ↑ com as altas intensidades da atv fis 
e retornam ao nível basal em 45min durante o período 
de recuperação. 
- Pode inibir a função ovariana, alterando o ciclo 
menstrual em atletas. 
- Em homens ↑após esforço máximo. 
FSH E LH (HOMENS E MULHERES) 
O LH↑ antes do início do movimento e alcança um pico 
durante a recuperação. 
ADH – ANTIDIURÉTICO 
A atv fis estimula o ADH que durando o exerc conserva agua 
corporal para melhorar a resp cardio durante exerc. 
PTH – PARATOHORMONIO 
PTH↑ durante atv fis, contribui para o ↑do cresc da massa 
ósseo. 
CATECOLAMINAS (EPINEFRINA E NOREPINEFRINA) 
A norepinefrina 2-6x o O2max através do simpatico 
O ↑ das catecolaminas beneficia todas as idades na atv fis. 
ALDOSTERONA 
Hormônios esteroide, sua produção é gradual. É necessária 
uma atv fís com duração acima de 45min para ter o efeito da 
aldosterona e seus principais efeitos ocorrem durante a 
recuperação. 
INSULINA E GLUCAGON 
A concentração de insulina abaixo dos valores de repouso, 
inibe as catecolaminas induzidas pela atv fis e cel B 
pancreáticas 
A ↓ de insulina durante atv fis prolongada, acelera a 
produção hepática de glicose e sensibiliza o fígado aos 
efeitos do glucagon e epinefrina que tem função de 
estabilizar níveis sang de glicose. 
 
QUESTÃO: Discuta como o exercício realizado pode ser aplicado 
como estratégia de melhoria da qualidade de vida de indivíduos 
sedentários, com sobrepeso e obesos? 
RESPOSTA: Promover o aumento da taxa metabólica basal, assim 
aumenta o gasto calórico (balança energética) e 
consequentemente diminui a massa gorda corporal. 
O ex. fís também aumenta a dopamina, traz benefícios 
neurológicos, melhora a força, resistência muscular, diminui os 
índices glicêmicos e lipídicos, diminui a resistência insulínica, 
redução da FC em repouso, aumento do VS. 
O ex. fis. Aeróbico é mais indicado para aumentar o gasto calórico, 
e reduzir os valores lipídicos ex: corrida, caminhada, bike. O 
anaeróbico (musculação), mantem massa magra e reduz massa 
gorda, ex: musculação, pilates...
Página12