Buscar

USO DE CORRETIVO

Prévia do material em texto

USO DE
CORRETIVOS
AGRÍCOLAS E
FERTILIZANTES
01
INTRODUÇÃO
ASPECTOS BÁSICOS 
FATORES QUE AFETAM O USO EFICIENTE DE
FERTILIZANTES E CORRETIVOS AGRÍCOLAS
EXIGÊNCIAS DAS ESPÉCIES FORRAGEIRAS
TIPOS DE FERTILIZANTES
CALAGEM
GESSAGEM
FOSFATAGEM
POTÁSSIO (K)
MICRONUTRIENTES EM PASTAGENS
SUMÁRIO
INTRODUÇÃO 
O uso adequado de fertilizantes minerais é um dos principais 
fatores para promover a segurança alimentar global nos 
tempos atuais.
Responsáveis por cerca de 50% dos ganhos de produtividade 
das culturas.
As práticas corretivas e a adubação do solo são apenas parte 
dos requisitos necessários para obtenção de sucesso do sistema 
de produção em pastagens.
ASPECTOS BÁSICOS 
A garantia de uma boa produção das pastagens está diretamente
ligada à manutenção do equilíbrio no sistema solo-planta-
animal. 
ASPECTOS BÁSICOS 
Por que realizar o corretivos 
agrícolas?
ASPECTOS BÁSICOS 
Dosagem adequada do produto 
Características do corretivo utilizado
Aplicação correta. 
O sucesso da prática da calagem depende 
fundamentalmente de três fatores: 
ASPECTOS BÁSICOS 
Conceito de uso eficiente de fertilizantes:
Figura 1 – Representação simplificada do conceito de uso eficiente de fertilizantes
Fonte: FAO/FAI (s.d.)
ASPECTOS BÁSICOS 
O uso eficiente desses insumos exige uma diagnose correta de
possíveis problemas de fertilidade do solo e nutrição de plantas
antes da ação da adubação ou correção do solo.
“ferramentas” de diagnose:
- Análise de solos
- Análise foliar
- Testes de tecidos
- Sintomas de deficiência de nutrientes
- Fatores que afetam a disponibilidade de nutrientes
- Histórico da área
ASPECTOS BÁSICOS 
Análise de solos A base de um programa envolvendo o uso
eficiente de fertilizantes e corretivos.
ASPECTOS BÁSICOS 
Análise foliar
A comparação de dados de análise 
foliar de áreas com baixa média e 
alta produtividades constitui-se 
um instrumento extremamente 
importante na avaliação do estado 
nutricional das culturas para o 
estabelecimento de doses e fontes 
diferenciadas de corretivos e 
fertilizante.
ASPECTOS BÁSICOS 
Testes de tecidos
Os testes rápidos, ou testes de tecidos, são
bastante difundidos nos EUA e Europa,
sendo ainda pouco utilizados no Brasil. A
avaliação do estado nutricional da planta
quanto a nitrogênio, fósforo e potássio.
ASPECTOS BÁSICOS 
Sintomas de deficiência de nutrientes
Identificação dos sintomas de deficiência de nutrientes
nas plantas ajuda a diagnosticar possíveis problemas no
campo. A técnica de identificar sinais indicativos de fome
de nutrientes é indispensável para se obter uma produção
mais lucrativa das culturas.
ASPECTOS BÁSICOS 
Fatores que afetam a disponibilidade de nutrientes
principalmente para a tomada de decisão sobre micronutrientes, cujos níveis para
interpretação da análise de solos e análise foliar.
ASPECTOS BÁSICOS 
 Histórico da área
A tomada de decisão baseada em dados reais da área fornece mais segurança ao
técnico que a utilização apenas de parâmetros analíticos.
FATORES QUE AFETAM O USO EFICIENTE DE
FERTILIZANTES E CORRETIVOS AGRÍCOLAS
Fatores diretos
Qualidade dos fertilizantes e corretivos agrícolas
- natureza física (estado físico, granulometria, 
consistência, fluidez e densidade);
- natureza química (número de nutrientes, forma 
química dos nutrientes e concentração de 
nutrientes e compostos nocivos aos vegetais);
- natureza físico-química (solubilidade, 
higroscopicidade, empedramento e índice salino).
FATORES QUE AFETAM O USO EFICIENTE DE
FERTILIZANTES E CORRETIVOS AGRÍCOLAS
Fatores diretos
Solo
- As características físicas, químicas, 
físico-químicas, assim como o teor de 
matéria orgânica afetam o uso 
eficiente de fertilizantes e corretivos 
agrícolas.
-textura, estrutura e porosidade.
-pH.
FATORES QUE AFETAM O USO EFICIENTE DE
FERTILIZANTES E CORRETIVOS AGRÍCOLAS
Fatores diretos
Solo
Quadro 1 – Estimativa de variação percentual na assimilação dos principais nutrientes
pelas plantas, em função do pH do solo.
Fonte: EMBRAPA (1980)
FATORES QUE AFETAM O USO EFICIENTE DE
FERTILIZANTES E CORRETIVOS AGRÍCOLAS
Fatores diretos
Época de aplicação.
Deve coincidir com aquela que antecede a maior demanda
da cultura, desde que estes fertilizantes sejam de alta
solubilidade. 
O parcelamento adequado de adubação nitrogenada e, em
certos casos, da adubação potássica, é essencial para
aumentar a eficiência destes fertilizantes na maioria dos
casos.
FATORES QUE AFETAM O USO EFICIENTE DE
FERTILIZANTES E CORRETIVOS AGRÍCOLAS
Fatores diretos
Forma de aplicação ou localização.
Os fertilizantes fosfatados pouco solúveis (fosfatos naturais de baixa reatividade) e o
calcário devem ser aplicados a lanço, em área total, e bem incorporados ao solo.
FATORES QUE AFETAM O USO EFICIENTE DE
FERTILIZANTES E CORRETIVOS AGRÍCOLAS
Fatores indiretos
Umidade do solo.
 As plantas só absorvem os nutrientes que estão na solução do solo. Portanto, a
presença de água é fundamental, quer seja proveniente das chuva ou fornecida
através da irrigação. Condições de seca ou de excesso de água levam à baixa
eficiência dos fertilizantes e corretivos.
FATORES QUE AFETAM O USO EFICIENTE DE
FERTILIZANTES E CORRETIVOS AGRÍCOLAS
Fatores indiretos
Diferentes espécies de plantas respondem diferentemente ao efeito 
dos fertilizantes e corretivos agrícolas. 
É a perda de nutrientes pela lavagem do solo no sentido vertical
A perda de nitrogênio, na forma de compostos gasosos
Planta
Lixiviação ou percolação
Volatização do nitrogênio.
SUGESTÕES DE MANEJO PARA O USO EFICIENTE DE
FERTILIZANTES E CORRETIVOS AGRÍCOLAS
resultado da análise do solo
SUGESTÕES DE MANEJO PARA O USO EFICIENTE DE
FERTILIZANTES E CORRETIVOS AGRÍCOLAS
A recomendação para esses casos é a utilização da adubação
corretiva gradual.
A adubação de correção deve ser feita ao menos a cada três anos.
adubação de manutenção
adubação de reposição
Contribuição dos estercos,
fixação biológica do
nitrogênio e adubação
verde.
Por que usar fertilizantes?
TIPOS DE FERTILIZANTES
É toda substância orgânica ou mineral, natural ou sintética, que
pode fornecer um ou mais nutrientes para as plantas.
TIPOS DE FERTILIZANTES
fertilizante sintético
COMPOSTOS INORGÂNICOS 
FERTILIZANTES NATURAIS (ATAQUE ÁCIDOS, JAZIDAS NATURAIS) 
FERTILIZANTES SINTÉTICOS (ÚREIA E QUELATOS)
TIPOS DE FERTILIZANTES
fertilizante sintético
Também chamado de mineral, são sais inorgânicos de diferentes
solubilidades, e podem ser:
SIMPLES: 
uréia 
sulfato de amônia
superfosfato simples
MISTO
 Fórmulas comerciais NPK 
COMPLEXOS
possuem vários nutrientes em um 
mesmo grânulo.
TIPOS DE FERTILIZANTES
Adubo Verde
São plantas utilizadas para melhoria das condições físicas, químicas e
biológicas do solo. As leguminosas são mais utilizadas porque se
decompõe mais rápido, e são capazes de se associar à bactérias
fixadoras que transferem o N para o solo.
TIPOS DE FERTILIZANTES
Fertilizantes orgânicos
São de origem vegetal ou animal, sólidos ou líquidos, como esterco,
cama de aviário, farinhas, cascas e restos de vegetais, e devem passar
por um processo de compostagem, para que os nutrientes possam ser
disponibilizados às plantas.
TIPOS DE FERTILIZANTES
Fertilizantes orgânicos
TIPOS DE FERTILIZANTES
vantagens e desvantagens.
ANÁLISE PARA MICRONUTRIENTES: CUIDADOS COM A
COLETA DE SOLO
CONCEITO 
Corretivos da acidez dos solos são produtos capazes de neutralizar 
(diminuir ou eliminar) a acidez dos solos e ainda carrear nutrientes 
vegetais ao solo, principalmente cálcio e magnésio
CALAGEM
CLASSIFICAÇÃO 
 hidróxido de cálcio -
Ca(OH)2 e o 
hidróxido de 
magnésio -
Mg(OH)2 
óxido de cálcio - CaO e o 
óxido de magnésio - MgO
carbonato
de cálcio - CaCO3 
e o carbonato de 
magnésio - 
MgCO3.
CALAGEM
Os solos brasileiros são caracterizados
pelo alto intemperismo, baixo pH (solos
ácidos) e altos teores de alumínio e
manganês, que podem ser tóxicos as
plantas.
Diminuir a acidez, ou seja aumentar o pH
do solo, e fornecer cálcio e magnésio
para as plantas.ESCOLHA DO CALCÁRIO
calcítico
dolomítico
Solos arenosos, com baixos teores
em matéria orgânica são
potencialmente pobres em cálcio.
CALAGEM: FORMAS DE APLICAÇÃO
Lembre-se de rebaixar o pasto antes da aplicação
GESSAGEM
A gessagem deve ser utilizada quando a análise do solo apontar
uma ou mais dessas condições:
- Cálcio for menor que 0,5 cmolc/dm³ ou 5 mmolc/dm³;
- Alumínio foi maior que 0,5 cmolc/dm³ ou 5 mmolc/dm³;
 - Saturação por alumínio (m%) for maior que 20%
O gesso (CaSO4 – sulfato de cálcio) é considerado um
condicionador de solo
GESSAGEM
FORMAS DE APLICAÇÃO DE GESSO
em lanço antes, junto ou depois da calagem.
pode ser aplicado em qualquer época do ano, mas o ideal é antes do
início da estação chuvosa, para que o produtor já tenha o benefício no
ano de aplicação.
O gesso agrícola não é um corretivo para acidez, pois não modifica o
pH do solo.
FOSFATAGEM
Em solos ácidos, o P é facilmente fixado (devido à acidez). Além disso,
na presença Fe e Al, formam-se compostos insolúveis entre esses
elementos que torna o P não disponível para as plantas.
necessidade de ser feita calagem prévia
APÓS AS PRÁTICAS CORRETIVAS
Após a correção do solo, pode-se proceder o estabelecimento da
pastagem.
Em ambos os casos, a adubação de manutenção é a próxima
etapa a ser implementada, sendo fundamental para garantia do
crescimento e produtividade da planta forrageira.
A formulações comerciais NPK. O nitrogênio geralmente é
utilizado na forma de Uréia, e o potássio na forma de Cloreto de
Potássio (KCl), enquanto existem diversas fontes de fósforo, que
serão descritas a seguir.
NITROGÊNIO (N)
Participa dos mecanismos fisiológicos relacionados ao aumento
da produção de matéria seca, pois estimula aumento do número
e tamanho de perfilhos.
NITROGÊNIO (N)
Para evitar perdas e maximizar a utilização do adubo pela pastagem
deve-se aplicar, preferencialmente, na época das águas, após cada ciclo
de pastejo ou a cada 30 dias.
A primeira adubação de cobertura em pastagens é feita de 45 a 60 dias
após a semeadura.
Em pastagens já estabelecidas, a primeira dose deve ser aplicada após as
primeiras chuvas da estação de crescimento.
Apresenta as folhas mais velhas amareladas, diminui a quantidade e
tamanho de folhas. Crescimento reduzido e menor valor nutritivo
Aplicação
Sintomas de deficiência: 
RECOMENDAÇÕES PARA ADUBAÇÃO NITROGENADA
O uso de fosfato natural aplicado em lanço e incorporado no plantio
não é recomendável, sobretudo por não atender à alta demanda inicial
de P da planta forrageira
Para solos com baixa disponibilidade de P recomenda-se a aplicação
de 250 a 500 kg/ha de fosfato natural.
Sintomas de deficiência: Folhas mais velhas pequenas.
Deficiência resulta em reduzido crescimento radicular e perfilhamento
da pastagem.
FÓSFORO (P)
O segundo elemento extraído em maior quantidade pelos vegetais e é
extremamente móvel dentro da planta. É presente em quase todos os
processos bioquímicos e fisiológicos das plantas
POTÁSSIO (K)
As principais fontes de K
para adubação na agricultura
são: cloreto de potássio,
sulfato de potássio e nitrato
de potássio.
Sintomas de deficiência:
folhas mais velhas
sistema radicular menos
profunda
quer como parte de compostos responsáveis por processos metabólicos
e fenológicos, ou como ativadores enzimáticos e na produção e
regulação de fitormônios.
MICRONUTRIENTES EM PASTAGENS
ferro (Fe) - ao metabolismo energético,
fixação do nitrogênio e desenvolvimento
dos colmos e raízes. 
manganês (Mn)- síntese da clorofila, e
do metabolismo energético. 
 molibdênio (Mo) -fixação do N pelas
bactérias (leguminosas). 
O zinco (Zn) - síntese das proteínas e
desenvolvimento das partes florais
O boro (B)- metabolismo de
carboidratos, transportes de açúcares e
na formação da parede celular
REFERÊNCIAS