Buscar

ação monitoria

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 5 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR JUÍZ DE DIREITO DA ____ VARA 
CÍVEL DA COMARCA DE SÃO LOURENÇO - MINAS GERAIS. 
 
 
 
 
 
 
 LOJÃO CHALE LTDA, pessoa jurídica de direito privado, inscrita no 
CNPJ sob o nº XXXXXX, com sede à Rua XXX, representada por FABRÍCIANO 
MURTA, brasileiro, solteiro, administrador de empresa, portador do RG nº XXX, 
inscrito no CPF sob o nº “...”, residente e domiciliado na Rua XXXX, Estado XXX 
CEP XXXXX, vem, por seu advogado regularmente constituído, com inscrição 
na OAB sob o nº/UF, com endereço profissional na Rua “...”, perante Vossa 
Excelência, com fulcro no nos artigos 77, inciso V, 106, inciso I 700, I, todos do 
CPC e na súmula 504 do STJ, pelo rito especial, para propor: 
 
 
AÇÃO MONITÓRIA 
 
em face de Peçanha, brasileiro, solteiro, estado civil, profissão, portador da 
cédula de identidade nº XXXX, inscrito no CPF sob o nº XXX residente e 
domiciliado na Rua X, casa Y, nº 01, São Lourenço, Estado de Minas Gerais, 
CEP XXXX, pelos fatos e fundamentos a seguir demonstrados. 
 
I. DA TEMPESTIVIDADE 
O vencimento do titulo ocorreu em 25/01/2013, portanto não decorreu o prazo 
de 5 (cinco) anos, tendo a ação sido proposta tempestivamente, com fundamento 
no art. 206, §5º, inciso I, do Código Civil. 
 
 
 
II. DOS FATOS 
 
 A parte Autora firmou em 31/10/2012 venda de eletrodoméstico ao Réu 
e para tanto foi emitida nota promissória em caráter solvente no valor de R$ 
100.000,00 (cem mil reais), com vencimento estipulado para o dia 25/01/2013. 
 Contudo, até a data acordada para pagamento, o mesmo não ocorreu. A 
autora tentou de forma amigável cobrar o crédito, no entanto, não logrou Êxito, 
razão pela qual vem buscar a tutela jurisdicional para cobrança do débito mais 
juros e consectários legais. 
 Por fim, cabe informar que o valor atualizado do débito, com juros e 
consectários legais está em R$ 280.000,00, conforme se demonstrará no cálculo 
anexo. 
 
II - DO DIREITO 
 O novo código de processo civil trouxe em seu art. 700 a previsão da 
ação monitória, que tem como principal objetivo dar exequibilidade à título sem 
eficácia de título executivo, o que é o caso que se narra nesta exordial. 
 O novo CPC adotou o modelo italiano de ação monitória, vez que exige 
prova documental para comprovação do direito alegado e não somente a 
alegação do credor pura e simples. 
 O professor Nelson Nery Jr. define o Instituto como sendo “o instrumento 
processual colocado à disposição do credor de quantia certa, de coisa fungível 
ou de coisa móvel determinada, com crédito comprovado por documento escrito 
sem eficácia de título executivo, para que possa requerer a juízo a expedição de 
mandado de pagamento ou de entrega de coisa para satisfação de seu direito” 
 
Assim, demonstrado a prova documental bem como sua idoneidade, é 
perfeitamente cabível e mesmo adequada a expedição do mandado monitório. 
 
 Nesse sentido a jurisprudência: 
PROCESSO CIVIL. AÇÃO MONITÓRIA. PROVA 
ESCRITA. AUSÊNCIA. 
1. A ação monitória é o instrumento adequado para 
cobrança de dívida representada por documento escrito 
sem eficácia de título executivo, de acordo como disciplina 
o art. 700 do CPC. 
2. Impõe-se a improcedência da ação monitória, se não há 
nos autos qualquer contrato ou documento que possa 
inferir a responsabilidade da ré quanto à dívida. 
3. Recurso conhecido e desprovido. 
(TJ-DF 07133457320178070018 DF 0713345-
73.2017.8.07.0018, Relator: ROMEU GONZAGA NEIVA, 
data de julgamento: 08/08/2018, 7ª turma Cível, Data de 
publicação: publicação no DJE: 14/08/2018). 
Nesse sentido, não restou alternativa ao Autor senão a tutela 
jurisdicional para satisfação do seu direito. 
Do dia seguinte ao do vencimento da nota promissória até a data da 
propositura da ação decorreu mais de 3 (três) anos, verificando-se a prescrição 
https://www.jusbrasil.com.br/topicos/28890615/artigo-700-da-lei-n-13105-de-16-de-marco-de-2015
https://www.jusbrasil.com.br/legislacao/174276278/lei-13105-15
da pretensão à execução, conforme Art. 77 c/c o Art. 70 e o Art. 78, todos do 
Decreto nº 57.663/66 – LUG. Dessa forma há possibilidade de cobrança da soma 
em dinheiro com base em título sem eficácia executiva pode ser feita via 
monitória, nos termos do Art. 700, inciso I, do CPC/15 
 
IV. DOS PEDIDOS 
 Ante o exposto, requer: 
 
1. a expedição de mandado de citação e de pagamento no valor de R$ 
280.000,00 (duzentos e oitenta mil reais), contra o reu, nos termos do 
art. 701, caput do CPC/15; 
2. o pagamento dos honorários advocatícios de 5% do valor da causa; 
3. a condenação do reu ao pagamento de custas processuais em caso de 
descumprimento de mandado monitório, em conformidade com o art. 
701, § 1º, do CPC/15. 
4. A procedência do pedido para decretar a constituição, de pleno direito, 
de titulo executivo judicial, independentemente de qualquer 
formalidade se não realizado o pagamento e não apresentado os 
embargos pelo reu; 
5. Que seja decretada a audiência de conciliação; 
 
IV. DAS PROVAS 
a) Nota promissória (prova escrita sem eficácia de titulo executivo- art. 700 
do CPC/15) 
b) Memória de cálculo (art. 700, § 2º inciso I, do CPC/15) 
 
Dá-se a causa o valor de R$ 280.000,00 (duzentos e oitenta mil reais 
 
Nestes termos em que pede deferimento. 
LOCAL, DATA 
ADVOGADO/OAB Nº

Continue navegando

Outros materiais