Buscar

AULA 7 UROGENITAL

Prévia do material em texto

Aparelho Urogenital
1. Introdução:
- É a reunião dos órgãos urinários e genitais
- Intimamente unidos: ponto de vista embriológico e anatômico.
- APARELHO UROGENITAL: Segmentos urinários situados na cavidade
pélvica
2. APARELHO EXCRETOR – Órgãos urinários
- Compreende: rim, ureter, bexiga e uretra
- Responsáveis pela eliminação – filtração e condução dos catabólitos a
partir do sangue;
- Mantém a homeostase orgânica.
- Responsável pelo uropoese (processo pelo qual a urina é formada)
2.1. RIM
- Filtram os produtos do metabolismo orgânico e subst. nocivas não
degradáveis no sangue (urina).
- FUNÇÃO: influenciam na pressão do sangue (complexo renina-
angiotensina-aldosterona) e na formação do sangue (eritropoetina).
- Filtração de grande quantidade líquido a partir do plasma sanguíneo :
ultrafiltrado (urina primária).
- ultrafiltrado gd. parte reabsorvida (reabsorção seletiva)
resulta em peq. quantidade concentra subst. inúteis e
excesso de água urina final.
- Apresentam-se como 2 órgãos no teto da cavidade abdominal.
- São retroperitoneais na região sublombar da cavidade abdominal.
- FORMA: maioria das spp – “grão de feijão” (cão, gato, cabra e ovelha)
- su: achatados
- exceção:Bo (sup. sulcada - multilobado)
- Eq: dir -  coração e esq:  grão de feijão
- Ave: multilobado
- Raramente são simétricos:
. Rim direito: (exceção Su): situa-se mais cranialmente que o
esquerdo – impressão renal do fígado.
. Rim esquerdo ( nos ruminantes) : deslocamento para o antímero
direito e fixado pelo mesonéfron.
- São envoltos por uma cápsula adiposa (proteção).
- SUPERFÍCIE DOS RINS : lisa e convexa, com uma escavação da borda
medial seio renal (pelve renal, vasos, nervos e gordura)= HILO
RENAL
Rim esquerdo : A-cão, B-porco, C-cavalo, D-
bovino, E- golfinho 1- ureter, 2- veia renal, 3-
artéria renal
1- córtex, 2-medula, 3-artérias
arqueadas, 4- túbulos coletores, 5-
recesso da pelve renal, 6- seio renal, 7-
crista renal
Órgão urinários do cão
e vasos sanguíneos
- ARQUITETURA RENAL: Parênquima renal (incluído em uma cápsula 
fibrosa) 
- ESTRUTURA INTERNA: visualizar em corte longitudinal
. Córtex renal: Regiãocortical – externa (toda superfície do órgão)
. Zona periférica e Zona justamedular
. Cor vermelho-escura e finamente granulado; . 
. Ao corte apresenta estrias (alojam as artérias interlobulares) –
delimitam os lóbulos corticais
. Medula renal:Região medular – interna
.Zona periférica e Zona central
.Zona periférica escura
.Zona central com estrias radias que alcançam a pelve renal;
.Arranjo macroscópico da medula: diferença acentuada entre as 
espécies
. No bo e su: segmento medular em forma de pirâmide
•Arquitetura renal:
• Cápsula Renal
• Região Cortical
• Região Medular
Superfície interna do rim de um cão
Todo rim é lobado na fase embrionária
- Nos rins piramidais: uma porção do córtex está associada a cada pirâmide
e recobre a sua base (face direcionada a superfície externa) – o ápice da
pirâmide direciona-se para o seio renal e forma uma papila renal.
- Cada pirâmide medular com seu córtex associado constitui um lobo renal.
- Os rins com que conservam essa organização: multipiramidais ou
“multilobular”
Rim suíno : 1- córtex, 2 – medula, 3-papila, 4-pelve, 5-cálice maior, 6-
cálice menor, 7- ureter, 8-artéria renal , 9- veia renal
-Todos os rins dos mamíferos passam por uma fase multipiramidal em
seu desenvolvimento, sendo posteriormente a pirâmides fundidas,
constituindo uma única massa medular que confina o córtex à
periferia – formando uma cobertura externa contínua.- RIM
UNIPIRAMIDAL ou UNILOBULAR
Rim cão: As papilas se uniram numa crista comum irregular (1- ureter, 2-recesso pélvico,
3-medula com ductos papilares, 4-artéria renal, 5-artérias interlobares nos limites
piramidais, 6 – impressão da crista renal
ESTRUTURA INTERNA MACROSCÓPICA
SU e BO
CORTICAL
MEDULAR
PIRÂMIDE
COLUNA
PAPILA
Rim Bovino
1- ureter, 2- artéria renal, 3-principais ramos do ureter,4- cálices, 5- papila renal, 6- córtex 
renal, 7- artérias interlobares
Rim eqüino
1- córtex renal, 2- medula renal, 3- ureter, 4-pelve, 
5- recesso terminal, 6- ductos papilares, 7- artéria 
renal, 8- artérias interlobares
Vista dorsal
* A disposição das pirâmides varia entre as spp, podendo ser:
UNIPIRAMIDAL
- possui crista renal disposição das pirâmides no teto da 
pelve
Ex.: Eq, Ca, Ga, Peq. Ru
- pelve renal: expansão do ureter no interior do rim
- Seio renal: espaço que abriga a pelve renal
MULTIPIRAMIDAL
- possui papilas e cálices renais
- As pirâmides renais estão isoladas cada ponto de chegada é 
a papila renal ao redor de cada uma há um cálice renal 
cálice renal maior ureter
- Ex.: Bo
• Multipiramidal (I)
Rim lobado multipiramidal 
de um bovino
Corte de um rim lobado e 
multipiramidal de um bovino
Rins
• Multipiramidal (II)
Rins lisos e multipiramidais
do suíno
Corte paramediano do rim
do suíno – Rim liso e
multipiramidal
Vista ventral
Rins
• Unipiramidal
Rim liso e unipiramidal - Cão
Corte paramediano do
rim de um cão – Rim
liso e unipiramidal
Vista dorsal
Rins
• Unipiramidal
Rim liso e unipiramidal - Cão
Corte paramediano do
rim de um cão – Rim
liso e unipiramidal
Vista dorsal
Rins do Carnívoros
Rins direito e esquerdo de
um cão – Face dorsal
Superfície interna do
rim de um cão
Rins do Suíno
Vista dos rins direito e
esquerdo de um suíno –
Face ventral
Corte paramediano do
rim de um suíno
. Cápsula Renal
- cápsula fibrosa que envolve o rim
- Característica: elástica contribui para pressão intra-renal
filtração glomerular
- UNIDADE FUNCIONAL DO RIM
– túbulos renais ou néfrons: conjunto de túbulos coletores (sistema
canicular) - formação e eliminação da urina
- Cada néfron começa como uma expansão cega invaginada por um
grupamento de capilares (glomérulos) – glomérulos + cobertura
epitelial = corpúsculo renal ( dispersos no córtex , aspecto granular)
- Parte remanescente do néfron: longo túbulo (túbulo contorcido
proximal, ramo descendente e ascendente da alça (Henle), túbulo
contorcido distal) – porção final une-se ao túbulo coletor, que se abre
no ducto papilar, que drenam na pelve renal
• Na região cortical – glomérulo e túbulos contorcidos
• Na região medular – alça de Henle
Rins (I)
• Unidade Morfofuncional: Néfron
Constituição de um néfron
LOBO RENAL: 1- glomérulo, 1’-corpúsculo renal, 2-
túbulo contorcido proximal, 3- ramo descendente do
néfron, 3’-ramo ascendente do néfron, 4-túbulo
contorcido distal, 5- túbulo coletor, 6-ducto papilar,
7-artéria renal, 8- artéria interlobar, 9- artéria
arqueada, 10- artéria interlobular, 11- plexo capilar
-IRRIGAÇÃO
. a. Renal ramo interlobar (junção corticomedular) a.
arqueada (se curvam sobre a base das pirâmides) a.
interlobular ( supre os lóbulos do córtex) arteríola
glomerular aferente e a.glomerular eferente rede capilar (ao
redor dos túbulos renais).
2.2. URETER:
- Ureter: tubos delgados musculoso (m. liso) , condução da urina
- Parede externa do ureter: adventícia, muscular média e mucosa
interna.
- par de tubos que conduzem a urina dos rins até a bexiga urinária.
- Porção pélvica e uma porção abdominal
- Início: pelve renal ( local onde os ductos papilares se abrem)
- Trajetória: dorso-ventro-caudal
- Término: face dorso-lateral da vesícula urinária: óstio ureteral
* desembocadura oblíqua funciona como válvula qdo a
vesícula urinária está cheia.
Junção uretrovesical :passagem oblíqua através da parede
1-ureter, 2-lúmen vesical, 3- parede vesical, 5-colo vesical
Ureter (II)
Pelve renal de um cão
(preparado de corrosão)
Aparelho urinário e genital
de uma gata (vista ventral)
2.3. PELVE RENAL:
- Continuação do segmento inicial do ureter, parcialmente envolvido
pelo seio renal;
- Gato e cão: pelve renal com presença de crista renal e recessos
pélvicos.
- Bo : ausência de pelve renal – ureter formado pela confluência de
dois grandes tubos os quais formamos cálices renais
- Eq: pelve constituída de uma reduzida dilatação na origem do
ureter e dois recessos terminais, direcionados para as
extremidades renais
- Pielonefrite: papilas, cálices, pelve e crista renal (conjuntamente
afetadas nas enfermidades)
3. BEXIGA (vesícula urinária)
- Órgão cavitário para armazenar urina : vértice cranial (ápice), um corpo
(intermediário) e um colo (caudal), que se estreita em direção ao óstio
ureteral (na junção com a uretra).
- Parede: espessura variável com o estado de repleção.
VAZIA: entrada da cavidade pélvica; luz reduzida; mucosa pregueada
(formato globoso)
CHEIA: projeta-se cranial/ até atingir cavidade abdominal; luz
aumentada; parede progressiva/ mais fina. (formato piriforme)
- Determinado estado de repleção (m. detrusor): mecanismo nervoso de
micção - comprimir e esvaziar a bexiga
- Estática: 2 ligg. Laterais( ligamento vesical lateral: ligamento redondo
da bexiga) e 1 mediano (ligamento vesical mediano: no feto mantém o
úraco).
- TRÍGONO VESICAL – orifícios ureterais e óstio uretral interno
Interior da bexiga urinária: 1-
cicatriz do úraco, 2- bexiga, 3-
ureter, 3´- óstio ureteral, 4-
trígono vesical, 5- crista uretral,
6- uretra
Bexiga (III)
Vista lateral 
esquerda
4. URETRA
- Órgão tubular estreito
- Vai do colo da bexiga urinária até:
Macho – extremidade livre do pênis
Fêmea – assoalho da vestíbulo da vagina
- comprimento > no macho
- Macho – porção pélvica e peniana
- Uretra pélvica – envolvida pela próstata e m. uretral (de ação 
voluntária) óstio uretral externo (normal/ no processo 
uretral)
Representação esquemática 
dos órgãos genitais do cão
Organização macroscópica do parênquima renal dos mamíferos 
domésticos.
Diferenças entre as espécies.
Organização 
Macroscópica 
Bovinos Suínos Eqüino Carnívoros e 
Pequenos 
Ruminantes 
Tipo de Rim Multipiramidal Multipiramidal Unipiramidal Unipiramidal 
Ureter Sim Sim Sim Sim 
Pelve renal Não Sim Sim Sim 
Cálices maiores Sim Sim Não Não 
Cálices menores Sim Sim Não Não 
Papila renal Sim Sim Não Não 
Crista renal Não Não Sim Sim

Continue navegando