Buscar

A questão energética no mundo e no brasil (1)

Prévia do material em texto

A questão energética no mundo e no brasil 
Geografia 
Edjania 
Produção e consumo de energia
Produção e consumo de energia
Energia é a capacidade de produzir trabalho, seja mecânico, elétrico ou térmico. Os recursos energéticos providos pela natureza em sua forma direta, como petróleo, gás natural, carvão mineral, urânio, energia hidráulica e resíduos vegetais, compõem as fontes de energia primária. Os produtos energéticos resultantes da transformação da energia primária, como o óleo diesel, a gasolina e a eletricidade, por sua vez, são chamados de fontes de energia secundária.
Petróleo
 Gasolina
 Óleo combustível
 GLP
Óleo Diesel, etc.
Centro de 
Transformação 
 Refinarias
Cana 
de 
açúcar
Fonte Primária
Fonte Secundária
Destilarias 
 Açúcar
Álcool
Bagaço 
FONTES DE ENERGIA
AS FONTES DE ENERGIA 
 FONTES DE ENERGIA RENOVÁVEIS são aquelas que se renovam continuamente na natureza sendo, por isso, inesgotáveis. 
 FONTES DE ENERGIA NÃO RENOVÁVEIS são aquelas cujas reservas se esgotam, pois o seu processo de formação é muito lento comparado com o ritmo de consumo que o ser humano faz delas.
Até o século XVII, a evolução do consumo e o aprimoramento de novas tecnologias de geração de energia foram lentos e descontínuos A Revolução Industrial, iniciada em meados do século XVIII, alterou substancialmente esse panorama.
Nas sociedades urbano-industriais que então despontavam, a habilidade manual e a força muscular foram progressivamente substituídas por processos mecânicos. O ferro das máquinas e ferrovias era obtido nos altos fornos da siderurgia, que consumiam grandes quantidades de carvão. O vapor da queima do carvão movia navios, trens e indústrias.
Em meados do século XIX, a invenção dos geradores elétricos abriu caminho para a produção de eletricidade em grande escala. A primeira usina de eletricidade do mundo surgiu em Londres, em 1881, e a segunda, em Nova York, no mesmo ano. Ambas forneciam energia para a iluminação. Mais tarde, a eletricidade transformaria os processos produtivos com a introdução dos motores elétricos e a vida cotidiana das sociedades industrializadas com dezenas de eletrodomésticos.
Nas primeiras décadas do século XX, a difusão dos motores de combustão interna explicou a importância crescente do petróleo na estrutura energética dos países industrializados. Além de servir de combustível para automóveis, aviões e tratores, ele também é utilizado como fonte de energia nas usinas termelétricas e como matéria-prima em diversas indústrias químicas. Desde a década de 1970, registrou-se um aumento significativo na produção e no consumo de energia nuclear nos países desenvolvidos
Energia e meio ambiente
A produção e o consumo dos recursos energéticos geram diferentes impactos ambientais. Entretanto, a evolução do consumo energético global não ocorreu de maneira uniforme entre os diferentes países e regiões do globo. No início do século XXI, apenas os Estados Unidos e a Europa eram responsáveis por cerca de metade desse consumo. Desde então, registrou -se um ligeiro declínio do consumo europeu, ao mesmo tempo que um elevado crescimento do consumo chinês. Em 2013, a China se tornou o maior consumidor de energia do mundo.
Assim como a China, também a Índia e o Brasil aumentaram significa ativamente seu consumo de energia entre 2000 e 2013: 80% e 50%, respectivamente. Entretanto, na maior parte dos países em desenvolvimento, o consumo energético atual não é suficiente para alavancar a economia e atender às necessidades da população.
De acordo com estimativas da ONU, em 2013 a eletricidade não estava acessível para cerca de 1,3 bilhão de pessoas no mundo. Apenas na África Subsaariana eram cerca de 600 milhões de pessoas, o que representava cerca de 60% da população sem energia elétrica. Na Índia, apesar do crescimento recente do consumo energético, mais de 300 milhões de pessoas também não dispunham de eletricidade, a maior parte delas na zona rural. Essa condição restringe o acesso às mais diversas atividades, como o bombeamento de água subterrânea, o estudo noturno ou mesmo o uso de eletrodomésticos
A queima do petróleo, do carvão e, em menor escala, do gás natural libera gases poluentes na atmosfera, entre eles os gases de efeito estufa, como o dióxido de carbono (CO).
No caso do carvão, muitas vezes os impactos ambientais já são intensos desde a extração desse minério –a exploração das grandes minas carboníferas exige a devastação da cobertura vegetal.
O petróleo também pode gerar desastres ambientais quando ocorre vazamento nos navios de transporte ou nos poços de perfuração marítima. As grandes usinas hidrelétricas, por sua vez exigem a inundação de vastas áreas e causam alterações profundas nas ecossistemas, além do desloca mento de populações. A energia nuclear gera resíduos radioativos com grande poder de contaminação.
Algumas correntes ambientalistas sustentam que despoluir o planeta implica diminuir o uso desses recursos ou, pelo menos, mantê-lo em níveis equivalentes aos atuais. Entretanto, esses níveis excluem grande parte da humanidade, não apenas da condição de poluidores, mas principalmente dozar fonte consumo de bens e serviços considerados essenciais, que precisam de energia para ser produzidos e distribuídos. A busca de alternativas energéticas e de padrões de consumo compatíveis com o desenvolvimento sustentávél, que implica também a eliminação da pobreza e o atendimento universal das necessidades básicas, é um dos grandes desafios do nosso tempo.
Fontes energéticas
Os recursos energéticos mais utilizados na atualidade estão distribuídos de forma extremamente desigual pelo mundo. As grandes reservas de combustíveis fósseis, como carvão e petróleo, por exemplo, estão concentradas apenas em determinados terrenos sedimentares. A eletricidade, por sua vez, é uma forma ou um modo de transporte de energia, que pode ser obtida em centrais que utilizam combustíveis fósseis, água corrente ou fissão nuclear . Porém, o potencial de geração de eletricidade de origem hídrica também depende de condições naturais particulares.
Essa desigualdade ajuda a entender a enorme importância dos fluxos internacionais de energia nem sempre os maiores produtores são também os maiores consumidores - e as diferentes opções energéticas que caracterizam os países desenvolvidos. O Japão é um dos maiores consumidores mundiais de energia comercial (5% do total), mas produz em seu território pouco menos de 20% de suas necessidades.
Produção e consumo de carvão
O carvão é formado pela decomposição anaeróbia de restos vegetais que sofreram um lento processo de solidificação. A maior parte dos é utilizado grandes depósitos de carvão começou a se formar durante o Período processos Carbonífero, na Era Paleozoica, quando pântanos e florestas recobriram as massas continentais. 
Tipos de carvão
Atividades 
1. Sobre a eletricidade, responda:
a) de quais formas ela é predominantemente produzida?
b) quais são as vantagens e as desvantagens ambientais da opção de cada uma das formas de produção?
02. As fontes de energia podem ser classificadas em renováveis e não renováveis, mas também em primárias e secundárias. A primeira divisão refere-se à capacidade de recomposição de uma dada fonte energética, enquanto a segunda está relacionada com a forma pela qual é encontrada e transformada pelo homem.
Diante dessas considerações, analise as afirmativas a seguir:
I. O Petróleo refinado pode ser considerado uma fonte de energia secundária e não renovável.
II. A energia solar, na sua função de aquecimento do ambiente e iluminação da Terra, deve ser entendida como uma fonte primária.
III. O Etanol, em virtude de sua produção agrícola geralmente ineficiente, não pode mais ser considerado uma fonte de energia renovável.
IV. Podemos concluir que toda energia primária é renovável.
Estão corretas as alternativas:
a) I e II
b) II e IV
c) I, II e III
d) I, II e IV
Resposta A
image2.pngimage3.png
image4.png
image5.png
image6.png
image7.png
image8.png
image9.png
image10.jpeg
image11.jpeg
image12.jpeg
image13.jpeg
image14.png
image15.png
image16.png
image17.png
image18.png
image19.png
image20.png
image21.jpeg
image22.png
image23.png
image24.png
image25.png
image26.png

Mais conteúdos dessa disciplina