A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
850 pág.
Quadro Comparativo dos Projetos do CPC 1973 e 2015

Pré-visualização | Página 13 de 50

que despachou em 
primeiro lugar. 
em separado se fará no juízo prevento 
onde serão decididas simultaneamente. 
em separado far-se-á no juízo prevento, 
onde serão decididas simultaneamente. 
em separado far-se-á no juízo prevento, 
onde serão decididas simultaneamente. 
 
Art. 59. A distribuição da petição inicial 
torna prevento o juízo. 
Art. 59. O registro ou distribuição da 
petição inicial torna prevento o juízo. 
Art. 59. O registro ou distribuição da 
petição inicial torna prevento o juízo. 
Art. 107. Se o imóvel se achar situado 
em mais de um Estado ou comarca, 
determinar-se-á o foro pela prevenção, 
estendendo-se a competência sobre a 
totalidade do imóvel. 
Art. 60. Se o imóvel se achar situado em 
mais de um Estado, comarca ou seção 
judiciária, o foro será determinado pela 
prevenção, estendendo-se a competência 
sobre a totalidade do imóvel. 
Art. 60. Se o imóvel se achar situado em 
mais de um Estado, comarca, seção ou 
subseção judiciária, a competência 
territorial do juízo prevento estender-se-
á sobre a totalidade do imóvel. 
Art. 60. Se o imóvel se achar situado em 
mais de um Estado, comarca, seção ou 
subseção judiciária, a competência 
territorial do juízo prevento estender-se-
á sobre a totalidade do imóvel. 
Art. 108. A ação acessória será proposta 
perante o juiz competente para a ação 
principal. 
Art. 61. A ação acessória será proposta 
no juízo competente para a ação 
principal. 
Art. 61. A ação acessória será proposta 
no juízo competente para a ação 
principal. 
Art. 61. A ação acessória será proposta 
no juízo competente para a ação 
principal. 
Art. 109. O juiz da causa principal é 
também competente para a reconvenção, 
a ação declaratória incidente, as ações de 
garantia e outras que respeitam ao 
terceiro interveniente. 
 
Art. 110. Se o conhecimento da lide 
depender necessariamente da verificação 
da existência de fato delituoso, pode o 
juiz mandar sobrestar no andamento do 
processo até que se pronuncie a justiça 
criminal. 
Art. 62. Se o conhecimento da lide 
depender necessariamente da verificação 
da existência de fato delituoso, o juiz 
pode mandar suspender o processo até 
que se pronuncie a justiça criminal. 
 
Parágrafo único. Se a ação penal não for 
exercida dentro de 30 (trinta) dias, 
contados da intimação do despacho de 
Parágrafo único. Se a ação penal não for 
exercida dentro de noventa dias 
contados da intimação do despacho de 
 
Quadro comparativo do Código de Processo Civil 
Projeto de Lei do Senado nº 166, de 2010 (nº 8.046, de 2010, na Câmara dos Deputados) 
Obs.: A comparação tem como base a última coluna (Texto Consolidado). 
 
Elaborado pelo Serviço de Redação da Secretaria-Geral da Mesa do Senado Federal. • (Elaboração: 16.12.2014 – 20:39) • (Última atualização: 16.12.2014 – 20:39) 
33
Legislação 
Projeto de Lei do Senado nº 166, de 
2010 
(texto aprovado pelo Senado Federal) 
Substitutivo da Câmara dos 
Deputados 
 (nº 8.046, de 2010, na Câmara dos 
Deputados) 
Texto Consolidado 
com os ajustes promovidos pela 
Comissão Temporária do Código de 
Processo Civil 
sobrestamento, cessará o efeito deste, 
decidindo o juiz cível a questão 
prejudicial. 
suspensão, cessará o efeito deste, 
incumbindo ao juiz cível examinar 
incidentalmente a questão prejudicial. 
Art. 111. A competência em razão da 
matéria e da hierarquia é inderrogável 
por convenção das partes; mas estas 
podem modificar a competência em 
razão do valor e do território, elegendo 
foro onde serão propostas as ações 
oriundas de direitos e obrigações. 
 
Art. 63. A competência em razão da 
matéria e da função é inderrogável por 
convenção das partes; mas estas podem 
modificar a competência em razão do 
valor e do território, elegendo foro onde 
serão propostas as ações oriundas de 
direitos e obrigações. 
Art. 62. A competência determinada em 
razão da matéria, da pessoa ou da função 
é inderrogável por convenção das partes. 
Art. 62. A competência determinada em 
razão da matéria, da pessoa ou da função 
é inderrogável por convenção das partes. 
Art. 63. As partes podem modificar a 
competência em razão do valor e do 
território, elegendo foro onde será 
proposta ação oriunda de direitos e 
obrigações. 
Art. 63. As partes podem modificar a 
competência em razão do valor e do 
território, elegendo foro onde será 
proposta ação oriunda de direitos e 
obrigações. 
§ 1o O acordo, porém, só produz efeito, 
quando constar de contrato escrito e 
aludir expressamente a determinado 
negócio jurídico. 
§ 1º O acordo, porém, só produz efeito 
quando constar de contrato escrito e 
aludir expressamente a determinado 
negócio jurídico. 
§ 1º A eleição de foro só produz efeito 
quando constar de instrumento escrito e 
aludir expressamente a determinado 
negócio jurídico. 
§ 1º A eleição de foro só produz efeito 
quando constar de instrumento escrito e 
aludir expressamente a determinado 
negócio jurídico. 
§ 2o O foro contratual obriga os 
herdeiros e sucessores das partes 
§ 2º O foro contratual obriga os 
herdeiros e sucessores das partes. 
§ 2º O foro contratual obriga os 
herdeiros e sucessores das partes. 
§ 2º O foro contratual obriga os 
herdeiros e sucessores das partes. 
 
§ 3º Antes da citação, a cláusula de 
eleição de foro pode ser reputada 
ineficaz de ofício pelo juiz se abusiva, 
hipótese em que determinará a remessa 
dos autos ao juízo do foro de domicílio 
do réu. 
§ 3º Antes da citação, a cláusula de 
eleição de foro pode ser reputada 
ineficaz de ofício pelo juiz se abusiva, 
hipótese em que determinará a remessa 
dos autos ao juízo do foro de domicílio 
do réu. 
 
§ 3º É vedada a eleição de foro nos 
contratos de adesão e naqueles em que 
uma das partes, quando firmado o 
contrato, esteja em situação que lhe 
impeça ou dificulte opor-se ao foro 
 
Quadro comparativo do Código de Processo Civil 
Projeto de Lei do Senado nº 166, de 2010 (nº 8.046, de 2010, na Câmara dos Deputados) 
Obs.: A comparação tem como base a última coluna (Texto Consolidado). 
 
Elaborado pelo Serviço de Redação da Secretaria-Geral da Mesa do Senado Federal. • (Elaboração: 16.12.2014 – 20:39) • (Última atualização: 16.12.2014 – 20:39) 
34
Legislação 
Projeto de Lei do Senado nº 166, de 
2010 
(texto aprovado pelo Senado Federal) 
Substitutivo da Câmara dos 
Deputados 
 (nº 8.046, de 2010, na Câmara dos 
Deputados) 
Texto Consolidado 
com os ajustes promovidos pela 
Comissão Temporária do Código de 
Processo Civil 
contratual. 
 
§ 4º A nulidade da cláusula de eleição de 
foro, em contrato de adesão, pode ser 
declarada de ofício pelo juiz, que 
declinará de competência para o juízo de 
domicílio do réu, salvo anuência 
expressa deste, manifestada nos autos, 
confirmando o foro eleito. 
§ 4º Citado, incumbe ao réu alegar a 
abusividade da cláusula de eleição de 
foro na contestação, sob pena de 
preclusão. 
§ 4º Citado, incumbe ao réu alegar a 
abusividade da cláusula de eleição de 
foro na contestação, sob pena de 
preclusão. 
Seção V Seção VI Seção III Seção III 
Da Declaração de Incompetência Da incompetência Da Incompetência Da Incompetência 
Art. 112. Argúi-se, por meio de 
exceção, a incompetência relativa. 
Art. 64. A incompetência, absoluta ou 
relativa, será alegada como preliminar 
de contestação, que poderá ser 
protocolada no juízo do domicílio do 
réu. 
Art. 64. A incompetência, absoluta ou 
relativa, será alegada como questão 
preliminar de contestação. 
Art. 64. A incompetência, absoluta ou 
relativa, será alegada como questão 
preliminar de contestação. 
Parágrafo único. A nulidade da cláusula 
de eleição de foro, em contrato de 
adesão, pode ser declarada de ofício pelo