A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
850 pág.
Quadro Comparativo dos Projetos do CPC 1973 e 2015

Pré-visualização | Página 17 de 50

tem como base a última coluna (Texto Consolidado). 
 
Elaborado pelo Serviço de Redação da Secretaria-Geral da Mesa do Senado Federal. • (Elaboração: 16.12.2014 – 20:39) • (Última atualização: 16.12.2014 – 20:39) 
43
Legislação 
Projeto de Lei do Senado nº 166, de 
2010 
(texto aprovado pelo Senado Federal) 
Substitutivo da Câmara dos 
Deputados 
 (nº 8.046, de 2010, na Câmara dos 
Deputados) 
Texto Consolidado 
com os ajustes promovidos pela 
Comissão Temporária do Código de 
Processo Civil 
 
§ 4º O silêncio do cônjuge importa 
consentimento se não respondida a 
intimação prevista no § 3º. 
 
 
§ 3º Aplica-se o disposto no § 1º à união 
estável comprovada por prova 
documental da qual tenha ciência o 
autor. 
§ 5º Não se aplica o disposto neste artigo 
à união estável. 
§ 3º Aplica-se o disposto neste artigo à 
união estável comprovada nos autos. 
Art. 11. A autorização do marido e a 
outorga da mulher podem suprir-se 
judicialmente, quando um cônjuge a 
recuse ao outro sem justo motivo, ou lhe 
seja impossível dá-la. 
Art. 74. A autorização do marido ou da 
mulher pode suprir-se judicialmente 
quando um cônjuge a recuse ao outro 
sem justo motivo ou lhe seja impossível 
concedê-la. 
Art. 74. O consentimento previsto no 
art. 73 pode ser suprido judicialmente 
quando for negado por um dos cônjuges 
sem justo motivo, ou quando lhe seja 
impossível concedê-lo. 
Art. 74. O consentimento previsto no 
art. 73 pode ser suprido judicialmente 
quando for negado por um dos cônjuges 
sem justo motivo, ou quando lhe seja 
impossível concedê-lo. 
Parágrafo único. A falta, não suprida 
pelo juiz, da autorização ou da outorga, 
quando necessária, invalida o processo. 
Parágrafo único. A falta, não suprida 
pelo juiz, da autorização, quando 
necessária, invalida o processo. 
Parágrafo único. A falta de 
consentimento invalida o processo 
quando necessário e não suprido pelo 
juiz. 
Parágrafo único. A falta de 
consentimento invalida o processo 
quando necessário e não suprido pelo 
juiz. 
Art. 12. Serão representados em juízo, 
ativa e passivamente: 
Art. 75. Serão representados em juízo, 
ativa e passivamente: 
Art. 75. Serão representados em juízo, 
ativa e passivamente: 
Art. 75. Serão representados em juízo, 
ativa e passivamente: 
I - a União, os Estados, o Distrito 
Federal e os Territórios, por seus 
procuradores; 
I – a União, os Estados, o Distrito 
Federal e os Territórios, por seus 
procuradores; 
I – a União, pela Advocacia-Geral da 
União, diretamente ou mediante órgão 
vinculado; os Estados e o Distrito 
Federal, por seus procuradores; 
I – a União, pela Advocacia-Geral da 
União, diretamente ou mediante órgão 
vinculado; os Estados e o Distrito 
Federal, por seus procuradores; 
II - o Município, por seu Prefeito ou 
procurador; 
II – o Município, por seu prefeito ou 
procurador; 
II – o município, por seu prefeito ou 
procurador; 
II – o município, por seu prefeito ou 
procurador; 
 
III – a autarquia e a fundação de direito 
público, por quem a lei do ente federado 
designar; 
III – a autarquia e a fundação de direito 
público, por quem a lei do ente federado 
designar; 
Quadro comparativo do Código de Processo Civil 
Projeto de Lei do Senado nº 166, de 2010 (nº 8.046, de 2010, na Câmara dos Deputados) 
Obs.: A comparação tem como base a última coluna (Texto Consolidado). 
 
Elaborado pelo Serviço de Redação da Secretaria-Geral da Mesa do Senado Federal. • (Elaboração: 16.12.2014 – 20:39) • (Última atualização: 16.12.2014 – 20:39) 
44
Legislação 
Projeto de Lei do Senado nº 166, de 
2010 
(texto aprovado pelo Senado Federal) 
Substitutivo da Câmara dos 
Deputados 
 (nº 8.046, de 2010, na Câmara dos 
Deputados) 
Texto Consolidado 
com os ajustes promovidos pela 
Comissão Temporária do Código de 
Processo Civil 
III - a massa falida, pelo síndico; III – a massa falida, pelo administrador 
judicial; 
IV – a massa falida, pelo administrador 
judicial; 
IV – a massa falida, pelo administrador 
judicial; 
IV - a herança jacente ou vacante, por 
seu curador; 
IV – a herança jacente ou vacante, por 
seu curador; 
V – a herança jacente ou vacante, por 
seu curador; 
V – a herança jacente ou vacante, por 
seu curador; 
V - o espólio, pelo inventariante; V– o espólio, pelo inventariante; VI – o espólio, pelo inventariante; VI – o espólio, pelo inventariante; 
VI - as pessoas jurídicas, por quem os 
respectivos estatutos designarem, ou, 
não os designando, por seus diretores; 
VI – as pessoas jurídicas, por quem os 
respectivos atos constitutivos 
designarem ou, não havendo essa 
designação, por seus diretores; 
VII – a pessoa jurídica, por quem 
respectivos atos constitutivos 
designarem ou, não havendo essa 
designação, por seus diretores; 
VII – a pessoa jurídica, por quem 
respectivos atos constitutivos 
designarem ou, não havendo essa 
designação, por seus diretores; 
VII - as sociedades sem personalidade 
jurídica, pela pessoa a quem couber a 
administração dos seus bens; 
VII – as sociedades sem personalidade 
jurídica, pela pessoa a quem couber a 
administração dos seus bens; 
VIII – a sociedade e a associação 
irregulares e outros entes organizados 
sem personalidade jurídica, pela pessoa 
a quem couber a administração de seus 
bens; 
VIII – a sociedade e a associação 
irregulares e outros entes organizados 
sem personalidade jurídica, pela pessoa 
a quem couber a administração de seus 
bens; 
VIII - a pessoa jurídica estrangeira, pelo 
gerente, representante ou administrador 
de sua filial, agência ou sucursal aberta 
ou instalada no Brasil (art. 88, parágrafo 
único); 
VIII – a pessoa jurídica estrangeira, pelo 
gerente, representante ou administrador 
de sua filial, agência ou sucursal aberta 
ou instalada no Brasil; 
IX – a pessoa jurídica estrangeira, pelo 
gerente, representante ou administrador 
de sua filial, agência ou sucursal aberta 
ou instalada no Brasil; 
IX – a pessoa jurídica estrangeira, pelo 
gerente, representante ou administrador 
de sua filial, agência ou sucursal aberta 
ou instalada no Brasil; 
IX - o condomínio, pelo administrador 
ou pelo síndico. 
IX – o condomínio, pelo administrador 
ou pelo síndico. 
X – o condomínio, pelo administrador 
ou síndico. 
X – o condomínio, pelo administrador 
ou síndico. 
§ 1º Quando o inventariante for dativo, 
todos os herdeiros e sucessores do 
falecido serão autores ou réus nas ações 
em que o espólio for parte. 
§ 1º Quando o inventariante for dativo, 
todos os herdeiros e sucessores do 
falecido serão autores ou réus nas ações 
em que o espólio for parte. 
§ 1º Quando o inventariante for dativo, 
os sucessores do falecido serão 
intimados no processo no qual o espólio 
seja parte. 
§ 1º Quando o inventariante for dativo, 
os sucessores do falecido serão 
intimados no processo no qual o espólio 
seja parte. 
§ 2º - As sociedades sem personalidade 
jurídica, quando demandadas, não 
§ 2º As sociedades sem personalidade 
jurídica, quando demandadas, não 
§ 2º A sociedade ou associação sem 
personalidade jurídica não poderá opor a 
§ 2º A sociedade ou associação sem 
personalidade jurídica não poderá opor a 
Quadro comparativo do Código de Processo Civil 
Projeto de Lei do Senado nº 166, de 2010 (nº 8.046, de 2010, na Câmara dos Deputados) 
Obs.: A comparação tem como base a última coluna (Texto Consolidado). 
 
Elaborado pelo Serviço de Redação da Secretaria-Geral da Mesa do Senado Federal. • (Elaboração: 16.12.2014 – 20:39) • (Última atualização: 16.12.2014 – 20:39) 
45
Legislação 
Projeto de Lei do Senado nº 166, de 
2010 
(texto aprovado pelo Senado Federal) 
Substitutivo da Câmara dos 
Deputados 
 (nº 8.046,