A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Comando de Válvulas (Passei Direto)

Pré-visualização | Página 1 de 1

Comando de Válvulas 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Comando de Válvulas 
 
Detalhes técnicos 
É o comando de válvulas que determina quando, quanto e como vai respirar o motor, pois 
comanda as válvulas de admissão (VA) e as válvulas de escapamento (VE) do cabeçote 
do motor, através dos seus cames, lóbulos ou ressaltos como são conhecidos. 
 
 
1. Cames ou ressaltos: acionam as válvulas de admissão e escapamento 
2. Mancais de apoio 
 
Os cames são as partes mais importantes do eixo de comando, pois são os responsáveis 
pelo acionamento das válvulas do cabeçote. O perfil dos cames é que determina as cotas 
de abertura e fechamento das válvulas, sendo composto dos seguintes detalhes: 
 
���� Círculo Base, fase de repouso das válvulas. 
���� Um flanco de abertura e outro de fechamento, que determinam o tempo e 
velocidade do deslocamento das válvulas. 
���� Nariz do Came responsável pela abertura máxima da válvula 
 
 
Loby Center - Ângulo entre os ressaltos 
É o afastamento medido em graus entre os pontos máximos dos cames de admissão e 
escapamento. 
 
Quando se abre o ângulo em relação a um padrão original, o motor terá mais força em 
baixas rotações e quando se realiza a operação inversa, ou seja, fecha-se o ângulo em 
relação ao padrão original, o motor terá mais força em altas rotações. Nos cabeçotes com 
dois comandos (DOHC) este ângulo se dá entre os comandos; pois um comando é de 
admissão e o outro é de escape. 
 
Lift - Levante da válvula 
O levante de um comando de válvulas é o quanto teoricamente o came desloca a válvula 
do seu assento. O seu cálculo é obtido através da diferença da altura máxima de 
deslocamento em relação ao Círculo Base, menos o diâmetro do próprio Círculo Base. 
 
 
Levante = Altura Máxima – Círculo Base 
 
Quanto maior é o levante, melhor o rendimento do motor em médias e altas rotações e 
sem afetar muito o torque em baixas rotações. Quanto maior for o levante na admissão, 
maior será o rendimento volumétrico do motor. 
 
Duração - Tempo de abertura das válvulas 
A duração de um comando refere-se ao tempo que as válvulas permanecem abertas, 
sejam elas de admissão ou escapamento, e sua medida e dada em graus medidos direto 
no virabrequim. 
 
Levando em consideração um giro de 360° do virabreq uim do motor, fixamos o 0° como 
sendo o ponto morto superior (PMS), consequentemente o ponto morto inferior (PMI) 
ficará em 180°. 
 
Para calcularmos a duração de um comando giramos o virabrequim do motor e anotamos 
os pontos em graus onde ocorrem o inicio e final da admissão e inicio e final do escape. 
Considerando um exemplo poderíamos encontrar tipicamente os seguintes pontos: 
 
 
Início de admissão 12º APMS Antes do ponto morto superior 
Fim da admissão 38° DPMI Depois do ponto morto infe rior 
Início de escape 42° APMI Antes do ponto morto infe rior 
Fim do escape 8° DPMS Depois do ponto morto superio r 
 
 
Observamos que a válvula de admissão inicia sua abertura a 12° antes do ponto morto 
superior e volta a fechar depois que o virabrequim girou 38° depois do ponto morto 
inferior. Considerando que o virabrequim irá girar 180° para sair do ponto morto superior e 
atingir o ponto morto inferior, podemos calcular a duração deste comando hipotético como 
sendo: 
 
Duração = Início Admissão + 180° + Fim Admissão = 12° + 180 + 38° = 230° 
 
As considerações feitas para a admissão são válidas para o escape, pois os cames de 
admissão e escape trabalham em conjunto. 
 
Os comandos de competição possuem uma duração maior proporcionando um melhor 
enchimento do motor. Este tipo de modificação gera um melhor desempenho em altas 
rotações, no entanto em baixas rotações o funcionamento fica prejudicado. 
 
Overlap - Cruzamento de válvulas 
 
É o momento em que ambas as válvulas, de admissão e escape, estão abertas. Enquanto 
a válvula de escape esta terminando seu ciclo a válvula de admissão inicia sua abertura. 
Este efeito é responsável pela varredura dos gases da combustão. 
 
No exemplo anterior teríamos um Overlap de 20° (12° + 8°). 
 
Quanto maior o Overlap, melhor será o rendimento do motor em altas rotações, mas por 
outro lado, em baixas rotações o desempenho fica prejudicado.