A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Artigo_petroleo

Pré-visualização | Página 1 de 4

O PETRÓLEO
 
J. C. PAZ, M. de ALCINO
Universidade Federal do Pampa, Faculdade de Engenharia Química
e-mail: {j.cpaz, marceloalcino1}@hotmail.com
RESUMO – Este artigo tem por objetivo aprofundar os conhecimentos básicos sobre o 
petróleo. Apresentando, tanto os aspectos históricos, quanto os de extração e refino 
relacionados a tal produto. Contendo uma definição geral do que é considerado 
petróleo, bem como os aspectos básicos das demais operações realizadas, desde sua 
descoberta, até a obtenção da matéria prima, para os produtos finais. 
ABSTRACT - This article aims to deepen the basic knowledge about oil. Featuring both 
it’s historical aspects , like about it’s extraction and refining. Containing a general 
definition of what is considered oil as well as the basics of the other transactions since 
it’s discovery until the obtaining of the raw materials to final products. 
PALAVRAS-CHAVE: petróleo; hidrocarboneto; Petrobras. 
1. O PETRÓLEO
 O petróleo, é por definição: combustível 
fóssil. Líquido, oleoso, rico em 
hidrocarbonetos, principalmente alcanos. 
Encontrado no subsolo, não como uma espécie 
de rio subterrâneo ou camada líquida entre as 
rochas sólidas, mas sim impregnado nas rochas 
sedimentares, em profundidades que variam de 
poucos metros da superfície, chegando até 
mesmo a mais de 3 km abaixo da superfície, 
tanto em terra firme, quanto em terras 
submersas.(THOMAS, 2001). 
 Existem várias teorias para a origem do 
petróleo, atualmente a mais aceita é de que 
tenha sido formado através do acúmulo de 
resíduos orgânicos, oriundos da decomposição 
de rochas sedimentares 
 A American Society Techinals Materials 
(ASTM) o define como petróleo como: "Uma 
mistura de ocorrência natural, consistindo 
predominantemente de hidrocarbonetos a 
derivados orgânicos sulfurados, nitrogenados 
e/ou oxigenados, a qual é ou pode ser 
removida da terra no estado líquido”. 
2 HISTÓRIA DO PETRÓLEO 
 O petróleo, na antiguidade era retirado de 
exsudações naturais encontradas em todos os 
continentes. 
 Na antiga babilônia tijolos eram assentados 
com asfalto; fenícios faziam uso de betume na 
calafetação de embarcações; índios pré-
colombianos utilizaram o petróleo para 
impermeabilizar potes cerâmicos e para a 
pavimentação de ruas, enquanto os egípcios 
utilizavam o petróleo para embalsamar os 
mortos (THOMAS,2010). 
2.1 O petróleo no mundo
A indústria petrolífera moderna, tem origem 
por volta de 1850, quando o escocês James 
Young, descobriu que o petróleo podia 
também ser extraído do carvão e xisto 
betuminoso, e então elaborou processos para 
sua criação (PORTALBRASIL,2010). 
Em 1859 começa a exploração comercial nos 
EUA, em um poço que possuia 21 m de 
profundidade e produzia 21 m3/dia na cidade 
de Tittusville, Pensilvânia, descoberto por Cel. 
Drake (Figura 1). O sistema de perfuração 
utilizado foi a perfuração por percussão 
movido a vapor.
 
Figura 1 - Primeiro poço de petróleo. Tittusville, 
Pensilvânia – EUA (OLEODEROCHA, 2010).
No final do século XIX a perfuração de 
petróleo começou a ser um negócio lucrativo, 
devido aos então novos adventos, os motores a 
gasolina e a diesel. O processo rotativo de 
perfuração foi inventado por Anthony Lucas, 
no Texas, que encontrou petróleo num poço de 
354 m de profundidade, tal método 
possibilitou a retirada de petróleo de poços 
com mais de 10 000 m de profundidade. 
Quase todo o petróleo consumido no mundo, 
era produzido nos Estados Unidos ou na 
Venezuela, respectivamente, maior e segundo 
maior produtores do óleo. No entanto, com o 
novo mapa geopolítico mundial, pós segunda 
guerra, a indústria petrolífera também sofreu 
grandes alterações 
Nos anos 50, os EUA mantém a liderança 
mundial na produção de petróleo, no entanto, o 
oriente já começa a surgir como um novo 
grande produtor. Esta década, é caracterizada 
pelas incursões no mar e sua grande atividade 
exploratória. 
Na década seguinte, houve um aumento 
expressivo no consumo, resultado dos baixos 
preços que chegavam ao consumidor, também 
o oriente médio e a União Soviética comeram 
a obter grande sucesso na exploração do 
petróleo. 
Já nos anos 80, houve um significativo 
aumento nos preços praticados para o petróleo, 
o que o tornou ainda mais lucrativo, e 
incentivou a perfuração de alguns novos poços 
no Mar do Norte e no México, devido a 
relação custo benefício, que se tornou muito 
maior. Ainda nessa década, ouveram avanços 
significativos na área da geoquímica orgânica, 
o que resultou em um conhecimento mais 
amplo das áreas de exploração e migração do 
petróleo. Enquanto os EUA começam a notar 
que suas reservas estão se esgotando, outros 
países no que se classificaria como 3º mundo, 
fazem grandes descobertas de reservas. 
Nas duas décadas posteriores, os custos para a 
produção do petróleo sofrem grandes 
reduções, devido a significativos avanços 
tecnológicos, que possibilitaram ainda a 
descoberta de muitas outras novas reservas, 
que em 1996, já superavam em 60% o número 
de reservas provadas em 1980. 
Ao entrar o século XXI o mundo é dependente 
do petróleo mais do que nunca. As notícias 
sobre as reservas aproximarem-se do fim e a 
questão do meio ambiente faz com qua a 
população mundial reflita sobre a utilização de 
energias renováveis. 
Atualmente, a produção mundial, até 2008, 
atingiu a média anual de 80 milhões de barris 
diários (INFOESCOLA, 2010). 
2.2 O petróleo no Brasil
A história do petróleo no Brasil pode ser 
dividida em quatro fases distintas 
(CEPETRO,2010): 
1.º - Até 1938, livre iniciativa, as explorações 
de petróleo neste período, eram regidas por 
este regime. Que possibilitava a qualquer um 
explorar petróleo em território nacional. A 
primeira sondagem profunda durante a livre 
iniciativa, foi realizada entre 1892 e 1896, no 
Município de Bofete, Estado de São Paulo, por 
Eugênio Ferreira Camargo, que comprou uma 
sonda e contratou uma equipe estadunidense 
de perfuração. o que resultou na primeira 
perfuração petrolífera em território brasileiro, 
que resultou apenas na descoberta de água 
sulfurosa. 
2.º - Nacionalização das riquezas do nosso 
subsolo, pelo Governo e a criação do Conselho 
Nacional do Petróleo (CNP), em 1938. Que 
por lei determinaram que toda a atividade 
petrolífera em território nacional deveria ser 
realizada obrigatoriamente por brasileiros. O 
Conselho Nacional do Petróleo (CNP), tinha a 
incumbência de explorar petróleo e de 
participar na criação de um parque refinador 
no País. 
3.º - Estabelecimento do monopólio estatal, 
durante o Governo do Presidente Getúlio 
Vargas que, em 3 de outubro de 1953, foi 
promulgada a Lei 2004, criando a Petrobras. 
Foi uma fase marcante na história do nosso 
petróleo, pelo fato da Petrobras ter nascido do 
debate democrático, atendendo aos anseios do 
povo brasileiro e defendida por diversos 
partidos políticos.
De acordo com o monopólio, ficava vetado à 
Petrobras (empresa 100% nacional, estatal e de 
capital fechado), o exercício de qualquer 
atividade exploratória do petróleo encontrado 
no subsolo brasileiro. 
4.º - Fim do monopólio estatal do petróleo, 
durante o primeiro governo do Presidente 
Fernando Henrique Cardoso 
(CEPETRO,2010). O fim deste monopólio, 
marcou a abertura da Petrobras ao capital 
estrangeiro e o fim da exclusividade que esta 
tinha na exploração do petróleo