A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
33 pág.
METODOLOGIA DE PESQUISA PROF GIOVANA1[1]

Pré-visualização | Página 2 de 8

amplas para formular a intenção do 
pesquisador. 
Estes verbos são utilizados para se formular o objetivo geral: 
 
•Analisar 
•Verificar 
•Detectar 
•Diagnosticar 
•Avaliar 
•Propor 
•Descrever 
•Desenvolver 
•Aperfeiçoar 
•Compreender 
 
 
Existem verbos que admitem poucas interpretações. Utiliza-se esses verbos para 
formular os objetivos específicos: 
Aplicar 
Distinguir 
Numerar 
Identificar 
Contextualizar 
Classificar 
Comparar 
Conceituar 
Relacionar 
Exemplificar 
Traduzir 
 
Os objetivos 
Deve-se formular somente um objetivo geral que expresse a natureza da 
investigação e objetivos específicos que definirão os fins da investigação, para 
nortear os passos. 
Aconselha-se a formular o objetivo geral a partir do que se define no problema. 
Aconselha-se a formular os objetivos específicos a partir das questões de estudo 
(ou questões norteadoras). 
Essa prática de formulação de objetivos específicos poderá ajudar ao 
pesquisador, quando for elaborar sua revisão de literatura. 
 
É a partir de cada objetivo específico, ou mesmo de cada questão de estudo, que 
será realizado o movimento da investigação. 
 5
Na verdade, esses "subtemas" dos objetivos, futuramente, serão desenvolvidos, 
em profundidade, nos capítulos da pesquisa. 
O conjunto desses objetivos específicos deverá atender ao que foi proposto no 
objetivo geral, e, conseqüentemente, ao problema formulado. 
Os objetivos específicos deverão ser organizados respeitando-se uma seqüência 
lógica que favoreça o desenvolvimento da pesquisa. 
 
 
Classificação de pesquisas: 
O autor Antonio Carlos Gil Classifica as pesquisas com base em seus objetivos 
em: 
• Pesquisas Exploratórias; 
• Pesquisas Descritivas; 
• Pesquisas Explicativas; 
Com relação aos procedimentos técnicos utilizados, o autor classifica e faz, em 
seu livro, um delineamento de cada uma delas. A classificação é a seguinte: 
• Pesquisa bibliográfica; 
• Pesquisa documental; 
• Pesquisa experimental; 
• Pesquisa ex-pos facto; 
• Estudo de coorte; 
• Levantamento; 
• Estudo de campo; 
• Estudo de caso; 
• Pesquisa ação; 
• Pesquisa participante. 
 
 
 
Variáveis de pesquisa 
O que são variáveis? 
São características que são medidas, controladas ou manipuladas em uma 
pesquisa. 
Diferem em muitos aspectos, principalmente no papel que a elas é dado em uma 
pesquisa e na forma como podem ser medidas. 
 
Pesquisa "Correlacional" X Pesquisa "Experimental” 
Pesquisa correlacional (Levantamento) o pesquisador não influencia (ou tenta não 
influenciar) nenhuma variável, mas apenas as mede e procura por relações 
(correlações) entre elas, como pressão sangüínea e nível de colesterol. 
 6
Dados da pesquisa correlacional podem ser apenas "interpretados" em termos 
causais com base em outras teorias (não estatísticas) que o pesquisador conheça, 
mas não podem provar causalidade. 
 
Pesquisa "Correlacional" X Pesquisa "Experimental” 
Pesquisa experimental (Experimento) o pesquisador manipula algumas variáveis e 
então mede os efeitos desta manipulação em outras variáveis; 
Por exemplo, aumentar artificialmente a pressão sangüínea e registrar o nível de 
colesterol. 
A análise dos dados em uma pesquisa experimental também calcula "correlações" 
entre variáveis, especificamente entre aquelas manipuladas e as que foram 
afetadas pela manipulação. 
Dados experimentais: relações causais (causa e efeito) entre variáveis. 
Por exemplo, se o pesquisador descobrir que sempre que muda a variável A então 
a variável B também muda, então ele poderá concluir que A "influencia" B. 
 
Variáveis dependentes e variáveis independentes. 
Aplicam-se principalmente à pesquisa experimental 
 
Variáveis independentes são aquelas que são manipuladas. 
Algumas variáveis são manipuladas, e, neste sentido, são "independentes" 
dos padrões de reação inicial, intenções e características dos sujeitos da 
pesquisa (unidades experimentais). 
Ex.: dois métodos de ensino de uma habilidade motora estão sendo comparados, 
então o método de ensino é uma variável independente (também chamada de 
experimental ou de tratamento) 
 
Variáveis dependentes e variáveis independentes.Variáveis dependentes são 
apenas medidas ou registradas. 
Espera-se que outras variáveis sejam "dependentes" da manipulação ou das 
condições experimentais. Ou seja, elas dependem "do que os sujeitos farão" em 
resposta. 
Ex.: Na comparação de dois métodos de ensino, a medida da habilidade é a 
variável dependente, é o produto. 
 
Variáveis Interveniente: variável que terão que ser controladas para não interferir 
no resultado. 
Ex.: a presença de outras pessoas na coleta de dados. 
 
Variáveis estranhas: aparece e não tem como controlar. 
Ex.: chove no dia da aplicação do método de ensino e da medida da habilidade 
motora. 
 
 
Níveis de Mensuração 
As variáveis diferem em "quão bem" elas podem ser medidas, isto é, em quanta 
informação seu nível de mensuração pode prover. 
 7
 
Variáveis nominais permitem apenas classificação qualitativa. 
Elas podem ser medidas apenas em termos de quais itens pertencem a diferentes 
categorias, mas não se pode quantificar nem mesmo ordenar tais categorias. 
Por exemplo, pode-se dizer que 2 indivíduos são diferentes em termos da variável 
A (sexo, por exemplo), mas não se pode dizer qual deles "tem mais" da qualidade 
representada pela variável. 
Exemplos típicos de variáveis nominais são sexo, raça, cidade... 
 
Variáveis ordinais: permitem ordenar os itens medidos em termos de qual tem 
menos e qual tem mais da qualidade representada pela variável, mas ainda não 
permitem que se diga "o quanto mais". 
Exemplo típico de uma variável ordinal é o status sócio-econômico das famílias 
residentes em uma localidade: sabe-se que média-alta é mais "alta" do que média, 
mas não se pode dizer, por exemplo, que é 18% mais alta. 
 
Variáveis intervalares permitem não apenas ordenar em postos os itens que 
estão sendo medidos, mas também quantificar e comparar o tamanho das 
diferenças entre eles. 
Por exemplo, temperatura, medida em graus Celsius constitui uma variável 
intervalar. 
Pode-se dizer que a temperatura de 40C é maior do que 30C e que um aumento 
de 20C para 40C é duas vezes maior do que um aumento de 30C para 40C. 
 
 
 
 
Exemplos: 
 
Nominal: sexo, raça, consumo de álcool (sim, não), gostar de matemática, ... 
Ordinal: classe social, grau de instrução, consumo de álcool (pouco, médio, 
muito), ... 
Discreta: número de filhos, número de reprovações em matemática, número de 
copos de álcool consumidos,... 
Contínua: estatura, nota na prova de matemática, quantidade de álcool 
consumido, ... 
 
 
O que é amostragem? 
 
A amostragem é um campo da estatística bastante sofisticado que estuda técnicas 
de planejamento de pesquisa para possibilitar inferências sobre um universo a 
partir do estudo de uma pequena parte de seus componentes, uma amostra. 
 
O que é amostra? 
 8
A definição de uma amostra envolve premissas que dizem respeito às 
características do evento estudado, dos fatores que exerçam influência sobre este 
evento e da análise que se pretenda fazer. 
Portanto, antes de definir o tamanho da amostra, o pesquisador deverá ocupar-se 
das definições de um planejamento amostral, cujas características serão 
particulares para cada estudo. 
 
População = N 
Conjunto de elementos que se deseja abranger no estudo considerado. Podem 
ser sujeitos ou unidade física. 
Devem ser precisamente definidos. 
 
Amostra = n 
•Subconjunto dos elementos da população. 
•Pedaço da população. 
 
Plano de amostragem 
1º) Objetivos do estudo 
2º) população a ser amostrada (pesquisada) 
Ex.: atletas de alto nível do voleibol 
3º) Parâmetros a serem estimados 
Ex.: Medidas antropométricas 
4º) Unidade

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.