A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
93 pág.
Neoplasias

Pré-visualização | Página 2 de 3

e 
Pulmão 
Estômago Cólon 
e Reto 
Cavidade 
Oral 
Esôfago Leucemias Pele 
Melanoma 
Nº de Casos 
FONTE: Estimativas 2008: Incidência de Câncer no Brasil. INCA, 2007. 
Tipos de câncer mais incidentes estimados para o ano de 2008, 
em mulheres, Brasil. 
0 
10.000 
20.000 
30.000 
40.000 
50.000 
60.000 
Mama 
Feminina 
Colo 
do Útero 
Cólon 
e Reto 
Traquéia, 
Brônquio e 
Pulmão 
Estômago Leucemias Cavidade 
 Oral 
Pele 
 Melanoma 
Esôfago 
Nº de Casos 
FONTE: Estimativas 2008: Incidência de Câncer no Brasil. INCA, 2007. 
Tabela - Estimativa do número de casos novos 
de câncer para o ano de 2008, homens, Brasil. 
FONTE: Estimativas 2008: Incidência de Câncer no Brasil. INCA, 2007. 
Próstata 49.530 28 % 
Traquéia, Brônquio e Pulmão 17.810 10 % 
Estômago 14.080 8 % 
Cólon e Reto 12.490 7 % 
Cavidade Oral 10.380 6 % 
Esôfago 7.900 4 % 
Leucemias 5.220 3 % 
Pele Melanoma 2.950 2 % 
Outras Localizações 55.610 32 % 
5º 
Tabela - Estimativa do número de casos novos 
de câncer para o ano de 2008, homens, Brasil. 
Mama Feminina 49.400 28 % 
Colo do Útero 18.680 11 % 
Cólon e Reto 14.500 8 % 
Traquéia, Brônquio e Pulmão 9.460 5 % 
Estômago 7.720 4 % 
Leucemias 4.320 2 % 
Cavidade Oral 3.780 2 % 
Pele Melanoma 2.970 2 % 
Esôfago 2.650 2 % 
Outras Localizações 62.270 35 % 
FONTE: Estimativas 2008: Incidência de Câncer no Brasil. INCA, 2007. 
7º 
10.635 
3.780 
10.380 
14.160 16.000 
14.000 
12.000 
10.000 
8.000 
6.000 
4.000 
2.000 
1.500 
1.000 
500 
0 
2.885 
7.750 
2003 2008 
mulheres homens total 
FONTE: Estimativas 2003, 2008: Incidência de Câncer no Brasil. INCA. 
 Gráfico - Incidência esperada de câncer da boca, 
estratificada por sexo para os anos de 2003 e 2008. 
Tipos de câncer mais incidentes, estimados para 2008, Brasil. 
Nº casos 
FONTE: Estimativas 2008: Incidência de Câncer no Brasil. INCA, 2007. 
Município: São José da Tapera-AL 
Pirâmide Etária
15 10 5 0 5 10 15
0 a 9
10 a 19
20 a 29
30 a 39
40 a 49
50 a 59
60 a 69
70 a 79
80 e +
Fa
ix
a 
Et
ár
ia
 (a
no
s)
Percentual da População
Masculino
Feminino
Cadernos de Saúde - 2006 
Município: Feliz-RS 
Cadernos de Saúde - 2006 
Pirâmide Etária
15 10 5 0 5 10 15
0 a 9
10 a 19
20 a 29
30 a 39
40 a 49
50 a 59
60 a 69
70 a 79
80 e +
Fa
ix
a 
Et
ár
ia
 (a
no
s)
Percentual da População
Masculino
Feminino
Localização primária Óbitos % 
Traquéia,brônquios e pulmões 14.715 12,65 
Estômago 10.955 9,42 
Mama 8.390 7,21 
Próstata 7.489 6,44 
Cólon, reto e ânus 7.696 6,62 
Esôfago 5.307 4,56 
Fígado e vias biliares intrahepáticas 5.040 4,33 
Meninge, encéfalo e outras partes do sistema nervoso central 5.008 4,31 
Pâncreas 4.408 3,79 
Leucemias 4.511 3,88 
Colo do útero 3.953 3,40 
Cavidade Oral 3.299 2,84 
Corpo e partes não especificadas do útero 2.804 2,41 
Laringe 2.427 2,09 
Linfoma não-Hodgkin 2.768 2,38 
Bexiga 2.015 1,73 
Ovário 1.947 1,67 
Outras localizações 23.593 20,28 
Total 116.325 100,00 
Distribuição absoluta e proporcional de óbitos por câncer no Brasil, em 2000. 
 Quadro- Distribuição dos fatores que causam câncer, seu 
percentual nas mortes e associação com o tipo de câncer 
 Tabaco 30% Pulmão, esôfago, laringe, garganta, cavidade oral 
Maus hábitos alimentares 30% Mama, cólon, reto, próstata, útero, ovário, intestino 
Sedentarismo 5% Cólon, próstata, mama, endométrio (útero), ovário 
Herança genética 5% 
Mama, ovário, cólon, próstata, pulmão, pâncreas, 
rim, estômago, tireóide, melanoma 
Vírus e outros agentes 
infecciosos 
5% 
Fígado, colo do útero, linfomas, nasofaringe, 
estômago, leucemia 
Carcinógenos ocupacionais 
(da profissão) 
5% 
Pulmão e pleura, bexiga, pele, laringe, cavidade 
nasal, leucemia, garganta, linfomas, fígado 
Etilismo 3% Fígado, cavidade oral, laringe, garganta, esôfago 
Exposição a hormônios e 
outros fatores 
3% Mama, endométrio (útero), colo do útero, ovário 
Poluição ambiental 2% Pulmão 
Radiação ambienal (solar) 2% Pele em geral 
Outros fatores em geral 10% 
Fonte: E-câncer 
Tabela 1: Mortalidade proporcional (%) segundo grupos de causas mais freqüentes. Estado de São Paulo, 1970-2002. 
Fonte: F.SEADE/FOSP 
 
GRUPO DE CAUSAS 
1970 1980 1990 1998 2002 
Doenças do Aparelho circulatório 30,2 33,3 33,0 30,8 29,8 
Neoplasias malignas 8,8 10,4 12,1 14,3 15,6 
Causas externas 7,6 9,5 12,5 13,7 13,6 
Doenças do Aparelho respiratório 8,9 10,6 11,0 10,7 11,2 
 A Constituição Federal, a Lei maior de 
nosso país, assegura que: “Saúde é direito de 
todos e dever do Estado”. 
 Significa que todos, acometidos de 
qualquer doença,inclusive câncer, têm direito 
a tratamento pelos órgãos de assistência 
médica mantidos pela União, pelos Estados e 
pelos municípios. 
Poderá realizar o saque do FGTS, junto à Caixa 
Econômica Federal, o trabalhador portador de 
câncer, AIDS e estágio terminal de doenças 
graves ou o trabalhador que possuir dependente 
com câncer ou AIDS ou estágio terminal de 
doenças graves que esteja registrado como 
dependente no INSS ou no Imposto de Renda. 
FUNDO DE GARANTIA POR 
TEMPO DE SERVIÇO 
Fonte: C.E.F. (www.caixa.gov.br) 
O ensino da Cancerologia é uma das 
principais atividades do Instituto 
Nacional de Câncer para disseminar o 
conhecimento oncológico e capacitar 
profissionais de saúde para o Sistema 
Único de Saúde (SUS). 
oferecem serviços de confirmação de 
diagnóstico de câncer, avaliação da 
extensão do tumor, tratamento, 
reabilitação e cuidados paliativos dos 
doentes. 
• É o hospital que possui todas as condições à prestação de 
assistência especializada de alta complexidade para o 
diagnóstico definitivo e tratamento dos cânceres mais 
prevalentes no Brasil. 
• Caso a UNACON não ofereça assistência para o 
tratamento radioterápico na própria Unidade, deverá ser 
estabelecida referência formal para o encaminhamento dos 
doentes que necessitarem desse procedimento. 
UNACON - Unidades de Assistência 
de Alta Complexidade 
INTERNAÇÕES POR NEOPLASIAS 
MALIGNAS DO SUS 
Fonte: DATASUS 2006 
Quantidade de cirurgias oncológicas aprovadas pelos 
segundo Região 
Capacita profissionais das secretarias de saúde estaduais e municipais 
para orientar a população sobre os males do tabagismo, nas escolas, nas 
empresas, nos hospitais e nas comunidades locais. 
 
 
PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO 
E OUTROS FATORES DE RISCO DE CÂNCER 
Ações educativas pontuais 
Dia Mundial sem Tabaco, 31 de maio (Tabaco e Pobreza um ciclo vicioso) 
Dia Nacional de Combate ao Fumo, 29 de agosto (tem como principal alvo os 
jovens) 
Dia Nacional de Combate ao Câncer, 27 de novembro. 
Apoio à aprovação da Lei nº 10.167, que restringe a 
publicidade de produtos do tabaco 
Coeficientes de incidência estimados para 2008* para os tipos 
de câncer mais freqüentes (exceto pele não-melanoma) em 
homens, Brasil e regiões geográficas. 
*por 100.000 habitantes 
Brasil 
Região 
Norte 
Região 
Nordeste 
Região 
Centro-Oeste 
Região 
Sudeste 
Região 
Sul 
1º 
Próstata 
(52,4) 
Próstata 
(22,0) 
Próstata 
(38,0) 
Próstata 
(46,7) 
Próstata 
(63,2) 
Próstata 
(68,7) 
2º 
Pulmão 
(18,9) 
Estômago