Trabalho Projeto de agro III (1)
49 pág.

Trabalho Projeto de agro III (1)


DisciplinaProjeto de Agronegócio III3 materiais41 seguidores
Pré-visualização10 páginas
1 
 
CENTRO PAULA SOUZA 
FATEC OURINHOS 
TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
PROJETO AGROINDUSTRIAL PARA FABRICAÇÃO DE VINHO TINTO. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
OURINHOS 
2013 
2 
 
CENTRO PAULA SOUZA 
FATEC OURINHOS 
TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
PROJETO AGROINDUSTRIAL PARA FABRICAÇÃO DE VINHO TINTO. 
 
 
 
 
 
 Paula Santos 
Vanessa Duarte 
Willian Kemp 
 
 
 
Projeto agroindustrial para fabricação de 
vinho tinto, apresentado a 
Fatec/Ourinhos-SP, como exigência à 
aprovação na Disciplina de Projeto de 
Agro III. 
 
Professor: Paulo Henrique Mendonça 
Pinto 
 
Ourinhos 
2013 
3 
 
Sumário 
1. Definição ..................................................................................................... 6 
2. Diagnóstico de Mercado .............................................................................. 7 
3. Análise do ambiente externo ....................................................................... 9 
4. Análise do ambiente interno. ..................................................................... 11 
5. Definição dos objetivos e direcionamento estratégicos ............................. 12 
6. Fluxograma do processo de produção de vinho tinto. ............................... 14 
6.1. Descrição das operações do processo de obtenção do vinho tinto. .. 14 
7. Fornecedores de equipamentos ................................................................ 21 
8. Layout ....................................................................................................... 22 
8.1. Áreas internas de produção. .............................................................. 23 
8.2. Áreas externas da produção. ............................................................. 23 
9. Necessidade de investimento nos equipamento para o projeto. ............... 24 
10. Custo necessários para a produção de 1 litro de vinho tinto. ................ 25 
11. Investimento físico ................................................................................. 26 
12. Custo anual dos materiais diretos.......................................................... 27 
13. Custo anual da mão de obra ................................................................. 28 
13.1. Composição dos encargos sociais ..................................................... 28 
14. Custo anual de depreciação, manutenção e seguro.............................. 29 
15. Custos fixos anuais ................................................................................ 30 
16. Custo de produção ................................................................................ 31 
17. Estimativa do preço de venda ............................................................... 32 
18. Indicadores econômicos ........................................................................ 33 
19. Questões ambientais ............................................................................. 34 
20. Questões Sociais \u2013 Emprego/impostos ................................................. 35 
21. Questões Políticas ................................................................................. 36 
22. Conclusão .............................................................................................. 38 
23. Referências ........................................................................................... 39 
24. Apêndices .............................................................................................. 40 
24.1. A \u2013 Plano de Marketing ...................................................................... 40 
24.2. B \u2013 Memória de cálculo Indicadores Econômicos .............................. 49 
 
 
 
 
 
4 
 
Lista de figuras 
 
Figura 1 \u2013 Consumo de bebidas alcoólicas da população brasileira 8 
Figura 2 \u2013 Comercialização de vinhos fino no Brasil 9 
Figura 3 \u2013 Fluxograma de processo de produção de vinho tinto 14 
Figura 4 \u2013 Layout de um sistema de produção de vinho tinto 22 
Figura 5 \u2013 Previsão de vendas e recebimento mensal 32 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
5 
 
Lista de tabelas 
 
Tabela 1 \u2013 Perfil de consumo de vinho por classe econômica 7 
Tabela 2 \u2013 Matriz FOFA 11 
Tabela 3 \u2013 Relação de equipamentos 24 
Tabela 4 \u2013 Formulação (Ficha técnica do produto) 25 
Tabela 5 \u2013 Investimento físico 26 
Tabela 6 \u2013 Custo anual dos materiais diretos 27 
Tabela 7 \u2013 Custo anual de mão de obra 28 
Tabela 8 \u2013 Composição dos encargos sociais 28 
Tabela 9 \u2013 Custo anual de depreciação, manutenção e seguro 29 
Tabela 10 \u2013 Custos fixos anuais 30 
Tabela 11 \u2013 Custo de produção 31 
Tabela 12 \u2013 Estimativa de venda 32 
Tabela 13 \u2013 Cálculo dos recebimentos das vendas projetadas 32 
Tabela 14 \u2013 Fluxo de caixa e os indicadores econômicos do projeto 33 
Tabela 15 \u2013 Tributos segundo a base de incidência 35 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
6 
 
 
1. Definição 
 
A portaria nº 229, de 25 de outubro de 1988, define o vinho como sendo 
uma bebida exclusivamente resultante da fermentação alcoólica completa ou 
parcial da uva fresca, esmagada ou não, ou do mosto simples ou virgem, com 
um conteúdo de álcool adquirido mínimo de 7%, bem como os seus padrões de 
identidade e qualidade - PIQ. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
7 
 
 
2. Diagnóstico de Mercado 
 
O brasileiro anda gastando mais com bebidas nos últimos anos. A 
perspectiva é de que, em 2013, aumente em quase 10% o consumo de 
bebidas fermentadas e o vinho não deve ficar de fora dessa. É o que aponta o 
Pyxis Consumo, uma ferramenta de dimensionamento de mercado do IBOPE 
Inteligência. 
O estudo levou em consideração apenas o consumo domiciliar: compras 
de pessoas físicas junto a varejistas do ramo e as bebidas fermentadas 
englobam cervejas, vinhos e champanhes ou vinhos espumantes. 
Até o fim de ano, a previsão é de que os gastos com tais bebidas devem 
atingir R$ 6,1 bilhões em vendas. E, ao contrário do senso comum, não é a 
nova classe C quem puxa essa tendência. A classe B tem o maior potencial de 
consumo: R$ 2,61 bilhões. Na sequência sim, vem a classe C, com R$ 2,42 
bilhões. A refinada classe A, vem ainda após, com R$ 686 milhões, e a DE, em 
último, mas com considerável participação: R$ 379 milhões. 
 
Tabela 1 \u2013 Perfil de consumo de vinho por classe econômica 
Classe Sul (R$ milhões) 
Sudeste 
(R$ milhões) 
Nordeste 
(R$ milhões) 
Norte 
(R$ milhões) 
Centro Oeste 
(R$ milhões) 
A 121,46 360,58 91,01 38,26 75,65 
B 500,55 1.458,21 299,12 117,33 239,50 
C 479,04 1.099,77 463,64 160,82 225,63 
DE 53,13 153,34 122,08 28,67 22,16 
Total 1.154,18 3.071,90 975,85 345,08 562,94 
Fonte: Pyxis Consumo \u2013 Versão 2013 \u2013 IBOPE Inteligência \u2013 Elaborado por: DUARTE, KEMP E 
SANTOS. 
 
A região Sudeste é responsável por metade do consumo de bebidas 
fermentadas no país (R$ 3,07 bilhões). Em São Paulo, por exemplo, o 
crescimento deve ser de apenas 9,3%, entretanto, os paulistas já acumulam 
um número muito alto: mais de R$ 1,5 bilhão. Em seguida, as regiões Sul (19% 
ou R$ 1,15 bilhão) e Nordeste (16% ou R$ 975 milhões). 
Apesar do maior consumo no Sudeste, a região Sul é a que apresenta o 
maior gasto por habitante, de R$ 49,01, enquanto no Centro-Oeste o valor é de 
R$ 43,63 e no Sudeste, de R$ 40,43. 
8 
 
O crescimento é esperado ansiosamente pelo setor brasileiro de vinhos, 
principalmente após o acordo de cooperação firmado