A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Aula-04-Unidade-3-Taxas

Pré-visualização | Página 2 de 2

as atribuições de cada uma:
        Art. 80. Para efeito de instituição e cobrança de taxas, consideram-se compreendidas no âmbito das atribuições da União, dos Estados, do Distrito Federal ou dos Municípios, aquelas que, segundo a Constituição Federal, as Constituições dos Estados, as Leis Orgânicas do Distrito Federal e dos Municípios e a legislação com elas compatível, competem a cada uma dessas pessoas de direito público.
Observação: 
Não podemos confundir taxa com tarifa (ou preço de serviço público), como prevê a Súmula 545 do STF:
Assim, enquanto a taxa cria apenas uma relação jurídica do Poder Público para com o usuário, os preços públicos ou tarifas criam duas relações jurídicas: do Poder Público para com a concessionária ou permissionária do serviço público e destas com o usuário. Veja o quadro abaixo:
	TAXA
	PREÇO PÚBLICO (TARIFA)
	Regime jurídico tributário (legal);
	Regime jurídico contratual;
	Regime jurídico de direito público;
	Regime jurídico de direito privado;
	Compulsoriedade, não havendo autonomia de vontade;
	Decorre de autonomia de vontade do usuário;
	Não admite rescisão;
	Admite rescisão;
	Pode ser cobrada pela utilização potencial do serviço;
	Só a utilização efetiva enseja a cobrança;
	Cobrança não proporcional à utilização;
	Pagamento proporcional à utilização;
	Sujeição aos princípios tributários.
	Não-sujeição aos princípios tributários.
Fonte: Alexandrino, Marcelo e Paulo, Vicente. Direito Tributário na Constituição e no STF, 2002.
De acordo com os dispositivos estudados, podemos tirar as seguintes conclusões a respeito das taxas:
as taxas se caracterizam pela criação de um nexo de direito de atenção entre credor e devedor. Portanto, ao contribuinte sabe exatamente o motivo pelo qual está pagando, caracterizando um tributo vinculado;
são criadas pela União, pelos Estados ou pelo Distrito Federal e pelos Municípios, conforme as atribuições de cada um, resultando do exercício do poder de polícia ou da prestação (efetiva ou potencial) de serviços públicos;
o seu fato gerador é, pois, uma interferência determinada da entidade estatal credora na vida do contribuinte;
a taxa não pode ter base de cálculo ou fato gerador idênticos aos que correspondam a imposto, nem ser calculada em virtude do capital das empresas (art. 145, § 2º da CF/88 e art. 77 parágrafo único do CTN).
APROFUNDANDO OS CONHECIMENTOS: assista ao vídeo no youtube – Programa Apostila da TV Justiça no link abaixo (ctrl + clique no link para acessá-lo):
http://www.youtube.com/watch?v=iB0PAiZDMu4
É CONSTITUCIONAL A CRIAÇÃO DE TAXA DE CONSTRUÇÃO, CONSERVAÇÃO E MELHORAMENTO DE ESTRADAS.
O SERVIÇO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA NÃO PODE SER REMUNERADO MEDIANTE TAXA.
Art. 149-A Os Municípios e o Distrito Federal poderão instituir contribuição, na forma das respectivas leis, para o custeio do serviço de iluminação pública, observado o disposto no art. 150, I e III. � HYPERLINK "http://www.planalto.gov.br/ccivil/Constituicao/Emendas/Emc/emc39.htm" \l "art149a" �(Incluído pela Emenda Constitucional nº 39, de 2002)�
        Parágrafo único. É facultada a cobrança da contribuição a que se refere o caput, na fatura de consumo de energia elétrica. � HYPERLINK "http://www.planalto.gov.br/ccivil/Constituicao/Emendas/Emc/emc39.htm" \l "art149a" �(Incluído pela Emenda Constitucional nº 39, de 2002)�
PREÇOS DE SERVIÇOS PÚBLICOS E TAXAS NÃO SE CONFUNDEM, PORQUE ESTAS, DIFERENTEMENTE DAQUELES, SÃO COMPULSÓRIAS E TÊM SUA COBRANÇA CONDICIONADA À PRÉVIA AUTORIZAÇÃO ORÇAMENTÁRIA, EM RELAÇÃO À LEI QUE AS INSTITUIU.
Página � PAGE �5� de � NUMPAGES �5�