A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
31 pág.
Apostila Ciências do Ambiente - Parte 3

Pré-visualização | Página 7 de 11

da maneira descrita no RIMA; 
♦ possibilitar a detecção imediata dos danos ao meio ambiente, de forma que se possa agir no 
sentido de prevenir ou reduzir a gravidade dos impactos indesejados. 
 
 
16.7. RELATÓRIO DE IMPACTO AMBIENTAL - RIMA 
 
O Relatório de Impacto Ambiental - RIMA refletirá as conclusões do estudo de impacto ambien-
tal e deverá ser apresentado de forma objetiva e adequada a sua compreensão, observando o con-
teúdo mínimo previsto no artigo 9o da Resolução CONAMA no 001/86. As informações devem 
ser tratadas em linguagem acessível, ilustrada por mapas, cartas, quadros, gráficos e demais téc-
nicas de comunicação visual, de modo que se possam entender as vantagens e desvantagens do 
projeto, bem como todas as conseqüências ambientais de sua implementação. A finalização do 
relatório deve conter recomendações quanto à melhor alternativa para o empreendimento. 
 
Todo o estudo de impacto ambiental é realizado por equipe multidisciplinar habilitada, que fica 
com responsabilidade técnica dos resultados apresentados. Todas as despesas referentes ao EIA e 
à elaboração do RIMA, são de responsabilidade do proponente do projeto, que deverá encami-
nhar no mínimo 5 cópias do RIMA ao órgão estadual competente, ou em caráter supletivo ao 
IBAMA, para posterior apreciação. 
 
Ainda que financiado pelo empreendedor, o RIMA é um documento público e suas cópias ficam 
à disposição dos interessados nos centros de documentação ou bibliotecas do IBAMA ou do ór-
gão estadual, pois trata-se de peça fundamental para o licenciamento da atividade. 
 
Ao receber o RIMA, o órgão ambiental determinará o prazo para recebimento dos comentários a 
serem feitos pelos órgãos públicos e demais interessados, e sempre que julgar necessário ou 
quando for solicitado pela comunidade, promoverá a realização de audiência pública para dis-
cussão do mesmo. 
 
 
16.8. EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 16 
 
1. Conceitue Impacto Ambiental. 
2. O que você entende por um impacto ambiental direto, negativo, irreversível de curto prazo? 
Dê exemplo. 
3. Como pode ser definido impacto ambiental de um projeto? 
4. Quais os objetivos da avaliação de impacto ambiental? 
5. Liste 10 (dez) atividades modificadoras do meio ambiente que, segundo a Resolução 
CONAMA no 001/86, ficam obrigadas a elaboração do EIA/RIMA. 
120 - Introdução às Ciências do Ambiente para Engenharia 
 
6. Comente sobre as vantagens econômicas da AIA. 
7. Enumere as principais causas de incertezas da AIA. 
8. Quais os tópicos que devem ser abordados no EIA/RIMA? 
9. Justifique a necessidade do estabelecimento de programa de monitoramento dos impactos 
ambientais no RIMA. 
10. Quem realiza, quem financia e quem avalia o EIA/RIMA? 
3a Parte - Gestão do Meio Ambiente - 121 
 
 
17. METODOLOGIAS DE AVALIAÇÃO DE 
IMPACTOS AMBIENTAIS 
 
 
 
dentificar e quantificar os efeitos ambientais de projetos é tarefa complexa, pela diversidade 
de impactos ambientais que podem ser causados pela interferência do homem no ambiente. 
Assim sendo, as avaliações de impactos ambientais devem ser interdisciplinares, sistemáticas, 
reproduzíveis e com um forte grau de organização e uniformidade. Devem considerar os sistemas 
mais complexos possíveis. E, ainda que cada parte deva ser estudada por um especialista na ma-
téria, as interações entre as distintas partes devem ser o mais estreita e constante possível. 
 
A identificação e avaliação de impactos requer a coleta e manipulação de grande quantidade de 
dados e, o mais importante, a comunicação dos resultados finais do estudo para os que tomam as 
decisões e para os membros do público, muitos dos quais provavelmente não são especialistas 
em ciências ambientais. Para auxiliar a ultrapassar essas dificuldades, têm sido desenvolvidas 
abordagens ou técnicas auxiliares, comumente chamadas de Metodologias ou Métodos de Avali-
ação de Impactos Ambientais - MAIA. 
 
Entende-se por metodologia de avaliação de impactos ambientais um conjunto de normas e de 
procedimentos que regem a realização de estudos de impacto sobre o meio ambiente. Existem 
dois tipos de MAIA, a administrativa e a técnica. A metodologia administrativa refere-se aos 
procedimentos gerais a aos trâmites legais e institucionais do processo. A metodologia técnica 
refere-se aos meios e mecanismos de AIA específicos, alguns dos quais serão abordados neste 
capítulo. 
 
 
17.1. MÉTODOS APLICÁVEIS 
 
Os métodos para avaliação de impactos ambientais variam segundo o fator ambiental considera-
do. Por exemplo, existem tecnologias muito adequadas e comprovadas para a predição dos im-
pactos sobre a qualidade do ar, no que diz respeito a calcular as concentrações de contaminantes 
na atmosfera, porém em troca, os impactos na flora e na fauna destes contaminantes, ou seja, os 
efeitos, não são tão facilmente quantificáveis. Portanto, é possível usar tecnologias comprovadas 
em alguns casos, enquanto que em outros há que basear-se no julgamento e na experiência de 
profissionais no campo. 
 
As medodologias de avaliação têm que ser flexíveis, aplicáveis em qualquer fase do processo de 
planejamento e desenvolvimento da atividade. Devem ser adequadas para poder efetuar uma aná-
lise global, sistemática e interdisciplinar do meio ambiente e de seus múltiplos componentes. E, 
ainda, devem ser revisadas constantemente, em função dos resultados obtidos e da experiência 
adquirida. 
 
As AIA’s, conforme visto anteriormente, devem descrever a ação proposta, assim como outras 
alternativas; predizer a natureza e magnitude dos impactos ambientais sobre o meio físico, bioló-
gico e antrópico, no entorno da obra; interpretar os resultados; prevenir os efeitos ambientais; e, 
I 
122 - Introdução às Ciências do Ambiente para Engenharia 
 
comunicar os resultados, de forma a ser entendido por aqueles que tomam a decisão e o público 
interessado. Assim sendo, as metodologias devem envolver as seguintes atividades: 
 
♦ identificação de impactos; 
♦ previsão e medição de impactos; 
♦ interpretação de impactos; 
♦ identificação de medidas mitigadoras e dos requisitos de monitorização; 
♦ comunicação aos usuários das informações sobre os impactos, tais como aos responsáveis pela 
tomada de decisão e membros do público. 
 
O significado destas atividades, pode ser entendido, tomando-se como exemplo um caso hipoté-
tico, de um país em desenvolvimento, que decidiu que os recursos florestais de uma certa região 
deveriam ser explorados e que uma usina de celulose e papel fosse ali instalada, para promover o 
crescimento econômico local e substituir as caras importações de papel. Consequentemente, um 
certo local foi escolhido como a possível localização para a usina. Antes da decisão sobre o iní-
cio da construção, uma AIA tem que ser elaborada para avaliar as implicações ambientais do 
projeto. 
 
 
17.2. CLASSIFICAÇÃO DAS TÉCNICAS DE AIA 
 
As técnicas de avaliação, segundo a função analítica que apresentam, podem ser divididas em: 
 
♦ técnicas de identificação; 
♦ técnicas de predição; 
♦ técnicas de interpretação; 
♦ técnicas de prevenção; 
♦ técnicas de comunicação. 
 
Dentre as metodologias conhecidas, algumas apenas identificam os impactos, outras são técnicas 
de identificação e quantificação, outras são basicamente conhecidas como técnicas de comunica-
ção. Por outro lado, ao se abordar as muitas classificações dos diferentes métodos existentes, de-
ve-se ter em conta que nenhum está totalmente desenvolvido, nem resulta absolutamente idôneo 
para um determinado projeto. Em todos os casos, tem-se que ajustar o modelo à complexa reali-
dade física e socio-econômica que apresenta uma dada localização. Assim é que quase sempre se 
opera com uma metodologia "ad hoc". 
 
Existem várias classificações para as metodologias de avaliação de impactos ambientais, o pre-
sente estudo segue a classificação adotada por