Notas sobre Provas Judiciais
2 pág.

Notas sobre Provas Judiciais


DisciplinaDireito Civil I54.528 materiais626.180 seguidores
Pré-visualização1 página
Provas Judiciais
Natanael Sarmento
 
Conceito: Meios utilizados para se esclarecer fatos duvidosos ou controversos em juízo.
 
 Fatos notórios: Fatos notórios e incontroversos dispensam comprovação.
 	
Negócio jurídico: Qualquer meio lícito (liberdade), salvo se a lei exige-lhe forma especial.
Requisitos: Admissibilidade \u2013 licitude e adequação \u2013 e pertinência.
Apresentação: Incumbe ao autor, em regra.
 
 6. Meios probatórios: Enumeração exemplificativa - confissão; documentos, testemunha; presunção e perícia (art. 212). 
	 6.1. Confissão: A parte admite como verdadeiros fatos contrários aos seus interesses. Pode ser judicial ou extrajudicial. Ato exclusivo do confidente que confessa tácita ou expressamente, pessoalmente ou através de procurador especial (art. 213). É irrevogável, mas pode ser anulada: erro ou coação (art.214).
 6.2. Documentos: Quaisquer escritos, públicos ou particulares.
 
 - Escritura pública: tabelião em notas de fé pública - art. 215; 
 	 - Certidões e traslados: mesma força dos documentos originais - art.
 215.
 - Anuência ou autorização: igual modo devendo constar do próprio
 instrumento - art. 220.
 - Instrumento particular: assinado pelas partes - art. 221 
 - Telegrama: apresentação do original assinado pelo remetente \u2013 
 art.222.
 - Fotografia de documentos: conferência dos originais pelo tabelião de 
 notas ou sua apresentação quando 
 impugnados - art.223. 
 - Língua portuguesa: redigidos em português ou traduzidos para o 
 vernáculo por tradutor oficial - art.224.
 - Produções e reproduções foto, fono e cinematográficas: todas as 
 espécies \u2013 
 eletrônicas 
 						 ou 
 mecânicas - 
 art. 225. 
 - Livros e fichas de empresas e sociedades: beneficiam ou prejudicam 
 os empresários e empresas 
 (art.226).
 
 
 6.3. Testemunha: caráter complementar ou subsidiário. Apenas nos
 negócios até dez salários mínimos tem eficácia de 
 prova autônoma (art. 227).
	- Não podem testemunhar: pessoas de pouco discernimento, incapazes
 absolutamente, enfermos mentais, pessoas 
 com limitações de sentidos quanto a fatos 
 que dependam dos mesmos, parentes e 
 cônjuges. Exceção para fatos que só elas 
 conheçam (art. 228).
 
 - Desobrigação de depor: escusa esse dever legar circunstâncias éticas 
 profissionais ou de constrangimento da 
 honra, de risco de vida ou de dano 
 patrimonial iminente (art. 229).
 
 6.4. Presunção: operação mental e lógica de fatos a fim de alcançar a 
 verdade revelada indiretamente, podendo ser legal ou 
 simples (art.230).
 6.5. Perícia: quando a prova do fato depende de conhecimento técnico ou 
 científico. O perito responde pelos danos que causar em virtude 
 de informações erradas.
 a) Negar-se a exame necessário: não se aproveita quem recusa (art. 
 231).
 	
 b) Prova pretendida com o exame: a recusa pode implicar 
 suprimento, pela presunção 
 jurídica do que se pretendia 
 obter (art. 232).