Não Chame Ninguém de Mestre - Joyce Collin-Smith
261 pág.

Não Chame Ninguém de Mestre - Joyce Collin-Smith


DisciplinaLivros17.014 materiais92.468 seguidores
Pré-visualização50 páginas
como a 'escuta', a auto-
recordação e as experiências que tive no México. Para relaxar e me acalmar diante de 
alguma adversidade, deixo às vezes esse estranho poder psíquico fluir através de 
mim, movendo-se e oscilando, cantando para mim mesma na privacidade do meu 
quarto ou estúdio.
Mas o vigilante 'eu' interior ordenou-me para ser mais cautelosa quanto às 
minhas atividades. Não é a psique e sim o Espírito que constitui a Jóia no Coração do 
Lótus. Era lá que eu queria chegar.
 8
Bill Kadleigh, o filho único de George e Lesbia, atendeu o telefone na casa de 
Madame K. certa manhã, quando minha amiga Ailsa Lenney ligou para falar com a 
velha senhora. Bill era estudante de medicina e vivia com sua avó naquela época. Sua 
vida foi tragicamente curta, pois morreu num desastre de avião quando ia para uma 
conferência um ano ou dois depois.
Bill voltou ao telefone após alguns instantes e disse: \u2014 Parece que ela está 
dormindo profundamente. Não gostaria de acordá-la.
Meia hora depois, percebeu que ela estava morta. Deixou a vida em algum 
momento durante a noite, com sua catarse auto-imposta aparentemente incompleta.
Mais ou menos no mesmo horário, Elsie Abercrombie morreu também. Estava 
hospitalizada há algumas semanas, tendo sido uma paciente incomum. Qualquer 
tentativa de lidar com problemas usando aparelhos elétricos de qualquer espécie 
representava um risco para enfermeiras e médicos. Ela os avisava:
\u2014 Tome muito cuidado. Você vai tomar um choque elétrico.
Sem levá-la muito a sério, aplicavam normalmente os eletrodos ou o que fosse, 
sendo submetidos a um violento tranco. Uma enfermeira que tentou estimular seu 
sistema circulatório foi atirada para o outro lado do quarto assim que ligou o aparelho. 
Embora nem mesmo ela soubesse explicar a situação, o senso de humor de Elsie 
fazia com que se divertisse até em seu leito de morte, quando seu pequeno corpo se 
reduzira a quase nada, exceto seu poder vital, ainda maior do que a média. As 
enfermeiras ficaram perplexas e devem tê-la julgado senil. O que não era o caso.
Fiquei sentada a seu lado durante suas últimas horas. Abrindo os olhos, 
buscou minha mão e sussurrou:
\u2014 É melhor você ir. Acho que vou ficar por aqui só mais um pouquinho.
Dei um beijo em sua testa e saí. Na manhã seguinte, disseram-me que ela 
falecera um pouco depois de minha saída. De pé, ao lado de sua sepultura no 
cemitério, confesso que me senti meio triste novamente. Perdera Rodney. E agora 
essas duas senhoras, ambas tão mais sábias do que eu, que se tornaram minhas loco 
parentis, também se foram. Sempre tive tendência a me sentir mais atraída por 
pessoas mais velhas do que por meus contemporâneos, e sua partida deixou uma 
lacuna.
Decidi que nada mais resultaria da manutenção de contato com o resto do 
grupo de Rodney no México. Após sua morte, o projeto do planetário foi abandonado. 
Um edifício comprido, construído para servir de oficina de tecelagem e de trabalhos 
artesanais, tornara-se um bangalô de fim-de-semana. Não tardou para que um 
punhado de seguidores, inclusive a família Dickins, instalasse residências de férias 
nos terrenos de Rodney e Janet, mudando-se para lá para desfrutar do sol, fazer 
companhia uns aos outros e se apoiar mutuamente.
Os arbustos e árvores que Rodney plantou cresceram rapidamente naquele 
solo fértil. Disseram-me que a colina, que antes era nua, está tão arborizada que mal 
se consegue localizar as casas quando se passa de avião por lá.
Mema passou a tomar conta dos poucos seguidores restantes, e Janet era sua 
obediente discípula. A Câmara do Sol e a Câmara da Lua foram convertidas, por 
ordem de Mema, em duas capelas, uma dedicada a Cristo e a outra à Nossa Senhora. 
A biblioteca foi abandonada, e os valiosos \u2014 talvez inestimáveis \u2014 livros da coleção 
ficaram mofando nas garagens de várias pessoas, roídos por cupins e apodrecendo 
com o bolor.
Em Paris, dr. Rouhier ficou tão furioso quando soube disto que escreveu cartas 
e mandou mensagens por meu intermédio, sugerindo que, a todo custo, os livros 
remanescentes fossem reunidos e alojados em local seco e seguro, no aguardo de 
alguma decisão sobre seu futuro. Suas cartas não foram respondidas. Uma resposta 
verbal, dada a mim por uma pessoa que veio do México, informava que Mema vetara 
a maior parte da coleção por não serem livros adequados a católicos romanos. As 
primeiras edições e os inestimáveis volumes sobre magia, alquimia e temas correlatos 
foram propositalmente destruídos. As outras obras apenas desapareceram, 
discretamente. Não se pôde fazer nada. Janet, que herdara tudo, tinha todo o direito 
de destruí-los se quisesse.
Nessa época, Mema tinha um grupo de jovens seminaristas católicos, que 
estudavam numa faculdade eclesiástica próxima. Suas 'vozes' estavam trazendo 
mensagens cristãs. Além disso, surgiram estigmas em seu corpo. Toda sexta-feira, ela 
mostrava as palmas das mãos a sangrar. Naturalmente, nunca vi o fenômeno. Sei de 
muitas pessoas que ficaram muito impressionadas com a manifestação. Mas uma das 
que a observou me disse: "Vi que foi algo induzido", e não voltou a se aproximar do 
grupo, exceto para expressar desaprovação e desprezo. Creio que, em muitos casos, 
a aparição de estigmas tende a estar associada à histeria.
Após um certo tempo, os fenômenos cessaram, bem como as faculdades 
clarividentes de Mema. Após a morte de Janet, não tive mais notícias desses casos. O 
filho de Mema, Tony Dickins, disse-me em 1980 que não sabia de nada a respeito 
deles:
\u2014 Mamãe simplesmente não me falava do passado.
Chloe casou-se tranqüilamente com Tony após ambos completarem 21 anos. 
Como católicos romanos, começaram a constituir família rapidamente e tiveram três 
garotinhas de idades próximas. Tony estava estudando medicina. Contudo, ainda era 
imaturo, tendo se casado cedo, e com o tempo passou a procurar diversão em outros 
lugares. Corajosa e filosófica como sempre, Chloe ficou cuidando de três bebês, 
entregue a sua falsa viuvez.
Aqueles que sempre foram contra Mema e a culpavam por tudo o que 'dava 
errado' condenaram Tony também, mais ainda quando, depois da morte de Janet, 
voltou rapidamente para Chloe para acompanhá-la em sua vasta herança. Os 
membros da Obra na Inglaterra achavam, de modo geral, que Janet ficara 
praticamente pobre depois dos enormes projetos incompletos de Rodney, além das 
investidas financeiras de Mema ao longo dos anos. Na verdade, seu dinheiro estava 
sendo mantido por um fundo, já que seu pai, vitoriano típico, achava que as mulheres 
eram incapazes de administrar suas próprias finanças. Só a renda foi gasta, ou dada 
através de generosos presentes para as pessoas que amava. O capital estava intacto. 
Sua própria viuvez foi vivida com simplicidade, não por necessidade, mas por escolha 
e por convicção religiosa. Ela passou a maior parte do tempo dando aulas para 
crianças mexicanas num orfanato. Ficou toda deformada por causa da artrite, mas 
sempre sorrindo, tranqüila e contente.
Tony e Chloe passaram a levar uma vida de gastos logo que ela recebeu sua 
herança. Tony gostava de se divertir. Viagens, carros esportivos, casarões, tudo o 
atraía. Chegou a estudar hipnose para usar em medicina. Chloe me dava a impressão 
de ser uma boa voluntária. Ele conseguia curar suas dores de cabeça. Ele tentou me 
convencer a me deixar hipnotizar, mas ri e ele mudou de assunto. Tinha a impressão 
de que estava sendo usada para induzir Chloe a perdoá-lo. Quando visitam
Jessica
Jessica fez um comentário
Todos deveriam ler!
0 aprovações
Carregar mais