A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
AVALIANDO APRENDIZADO CIVIL IV

Pré-visualização|Página 1 de 1

AV ALIAN DO O AP RE N DIZA D O DE D IRE I TO C IV IL IV
1.ª Q uest ão: ( DPE /A C) Com r elação ao ins ti tuto da p os s e, as s inale a o pção C OR RE TA:
( ) P os s uido r indir et o é a qu ele qu e det ém po der f ís ic o s obre a cois a, mas apen as em c umpri ment o de
ord ens ou ins tr uções ema na das do pos s uido r dir eto o u de s eu p ro pri etário.
Cert o
( x ) Segun do e nten dime nto juris p rud enc ial d o S TJ, n ão é p oss í vel a poss e d e bem blic o, p ois s ua
ocupaç ã o irr eg ular rep res e nta me ra d etenç ã o de n atur eza pr ec ári a; port anto, na aç ão r ei vi ndic at ó ria
ajuiz ad a pel o ente p úblic o, n ão há que s e fala r em di reit o d e rete ão d e be n feito rias , o qual p res sup õe
a ex is tênc ia de p os s e.
( ) No c o ns ti tuto pos ses s ório, há in ve rsão no t ít ul o da p os s e c om bas e em r elaç ã o jur ídic a: a quel e qu e
pos s uí a em n ome al heio p ass a a poss uir em nom e pr óp rio, rem an esc end o o s eu p ode r mate rial s ob re a
c ois a.
( ) A o conceit ua r a pos se d a mesm a fo rma q ue s eu a ntec es s or, o C ódi go Ci vil vi gent e fili a -se à teo ria
s ubjeti va da p oss e.
( ) A o pos suid or d e m á- fé é fac ult ado o res sarc ime nto p or b en feit o rias neces s á rias e út eis ; c ont udo,
ess e poss uido r jamais o bter á direit o de r etençã o s obr e as be nfeit ori as que t en ha r ealiz a do.
2.ª Q uest ão: (OAB 2 00 8) Em 2/7/ 2 008, R en at o te ve de d es oc up ar s u a cas a, que for a in vadi da p or
Glau ber e W alt er. Du as s eman as após o fato, Re nat o p roc u ro u um ad vo ga do p ar a se inf orm ar a r es peit o
da pr o vi nc ia jur ídic a que pod eri a s er ad ot ad a ness a s it uaç ã o.
( ) de ve pl eitea r a m an ut e ã o da poss e, em razã o do tem po oco rri do d esde a t ur b ã o.
( x ) tem direito à r eint e graç ão da pos s e, por tr at ar -s e de esbulh o.
( )po de utili zar -s e d o des f orço im ediat o pa ra d ef es a da sua pos s e.
( ) t em direit o de r equ er er me did a as sec urat ória ante a violê nc ia imine nte.
3.ª Q uest ão: C om rel ão a os ef eit os da p oss e, é COR RE TO afi rma r qu e:
( x ) o rei vi ndic a nte, obri ga do a in deniz ar as be nf eit ori as ao p os s uido r de má -f é, tem o dir eit o de o pt ar
ent re o s eu valor at ual e o seu c us to.
( ) o poss uid or d e bo a- fé t em di reit o à i n de niz ação d as ben f eit orias n eces s árias e út e is , mas o lhe
ass is t e o direito de le va nt ar as volu pt uá rias.
( ) os fr utos natur ais e ind us triais rep ut am -s e c olhid os e perc e bid os, logo qu e s ão sep ar ados; os c i vi s
rep utam-s e perc ebid os mês a m ês .
( ) ao p os suido r de -fé ser ão r ess arc idas as be n feit ori as neces sári as , ass is t indo-lhe o di reit o d e
ret ençã o pel a i mpo rt ânc ia des t as , mas não lh e as si st e o direit o d e le vant a r as vol upt u árias.
( ) qua nd o mais de um a pes soa s e dis se r pos s uid or a, s erá m a nt ida d efi nit i vam ente a qu e t i ver a
c ois a, s e o es ti ve r mani fest o q ue a o bte ve d e algu m a d as out ras p or mo do vic ios o.
4.ª Q uest ão: ( DPE /A M) A poss e
( ) não pod e s er d efen dida, em ju íz o, pel o poss uid or in dir eto.
( x ) pode s e r op os ta ao pr op riet á rio.
( ) qua nd o turb ad a, aut oriz a o ajuiz am ento d e ão de r einteg raç ã o.
( ) é ad quiri da q ua ndo s e d et ém a c ois a a ma nd o de o ut rem.
( ) é de m á -fé m es mo q ue o pos s uid or i gn or e o c io.
5.ª Q uest ão: S ob re os víc ios da p oss e, diga q ual a o ão c o rret a:
( ) A vi olê nc ia, prec a rie da de e cl an dest inid ade s ã o víc ios s aná veis ;
( x ) A viol ência e a prec arie da de são víc ios ins a ná veis ;
( ) S ó a pr ec ari e da de é ins a vel, e nqu anto a c land es ti nida de e a vio nc ia s ão s an á veis ;
( ) A vi olê ncia, prec a rie da de e cl an dest inid ade s ã o víc ios i ns an á veis .