CONTROLE DOS MOVIMENTOS VOLUNTÁRIOS
4 pág.

CONTROLE DOS MOVIMENTOS VOLUNTÁRIOS


DisciplinaFisiologia I24.446 materiais197.463 seguidores
Pré-visualização1 página
CONTROLE DOS MOVIMENTOS
O sistema motor é altamente organizado, possuindo uma hierarquia. Esse alto planejamento é necessário para que o movimento seja bem executado. Para acontecer um determinado movimento, é preciso acontecer uma cascata de reações. O controle motor pode ser classificado em 03 (três) tipos: movimentos involuntários ou reflexos, automáticos e voluntários. 
MOVIMENTOS INVOLUNTÁRIOS OU REFLEXOS
São movimentos em que a medula espinhal responde ao estímulo sem mandar para o córtex cerebral. Esse trajeto economiza tempo, uma vez que os movimentos reflexos são para proteção. 
Reflexo miotático ou de estiramento, é ativado pelo fuso muscular que está localizado nas fibras musculares. Quando um músculo é alongado ele responde com uma contração reflexa de mesma intensidade. 
Reflexo miotático inverso ou tendíneo, ativado pelo órgão tendinoso de golgi (OTG), um reflexo de proteção. Todo músculo exposto por alta tensão responde com um relaxamento reflexo. 
Reflexo de retirada ou flexão, quando exposto por um estímulo nocivo (risco) é gerado um reflexo de retirada, despolarizando a musculatura alvo em flexão e inibindo a extensão.
Reflexo de extensão cruzada, a flexão de um segmento corporal e a extensão reflexa do segmento contralateral. Ex: marcha.
MOVIMENTOS AUTOMÁTICOS
São movimentos voluntários que se tornaram automáticos pelo alto número de repetições. Acompanhando a mesma estrutura dos movimentos voluntários, porém sem uma parte, seguindo em: TÁTICO E EXECUÇÃO. Quando o gesto motor é aperfeiçoado e se torna automático, denomina-se ENGRAMA ou PROGRAMA MOTOR. Uma via neuromuscular que, uma vez estimulada, se repete automaticamente. Um exemplo claro disto é a escrita e a modo de andar. De inicio, ambos os movimentos eram complicados e levaram tempo para se tornarem automáticos. 
Uma vez assimilado um engrama, ele se torna dominante, não sendo possível sua modificação ou exclusão. Para que seja feita um aperfeiçoamento no movimento, é preciso prática e a instalação de um novo engrama, até lá os movimentos serão todos planejados e voluntários. 
MOVIMENTOS VOLUNTÁRIOS
Parecido com os movimentos automáticos, porém mais complexos por se dividirem em 03 (três) partes: PLANEJAMENTO, TÁTICO E EXECUÇÃO. Para que se dê inicio a qualquer movimento voluntário, antes é necessário ocorrer o planejamento desse movimento. A informação motora parte do córtex sensório motor e se divide em dois: para o cerebelo e o córtex motor. Do córtex motor, a informação motora passa pelos núcleos da base (ou gânglios da base), tronco encefálico, medula até finalmente chegar ao músculo, inicia-se o movimento. 
Os axônios dos neurônios localizados no córtex motor primário criam uma via de conexão, com a medula espinhal, denominada TRATO PIRAMIDAL. É por onde toda a informação, planejada pela área 06 (córtex pré motor) e partindo da área 04 (córtex motor primário) até chegar nos motoneurônios localizados na medula, que por sua vez manda a ordem para os músculos, fazendo os contrair.
No inicio da contração muscular, o músculo envia informações sensoriais para a medula avisando como está acontecendo o movimento. Essa informação sensorial passa pela medula, vai até o tronco encefálico até finalmente atingir o cerebelo. O cerebelo recebe informação motora do córtex sensório motor, que também recebeu informações sensoriais do músculo. A informação motora é a ordem dada pelo córtex sensório motor e a informação sensorial é a resposta à execução desta ordem. Isso acontece porque o papel do cerebelo é agir como corretor do movimento, executando uma comparação do planejado com a execução. Ao receber o \u201cfeedback\u201d do músculo com a informação sensorial, é possível que o cerebelo possa comparar ambos e executar a correção, aproximando o melhor possível. As correções serão emitidas para a medula até atingir o musculo alvo.
O córtex motor primário é responsável pelos movimentos em execução. Possui um controle extremamente fino da face e mãos, e um controle rustico da grande musculatura. Esse esquema compreende o homúnculo motor (IMAGEM 01), uma figura distorcida de como seriam nossas reais dimensões corporais. 
Os núcleos da base constituem de um aglomerado de neurônios na base do córtex cerebral. Importante para iniciar os movimentos mais complexos. Os gânglios da base (ou núcleos da base) traçam um controle direto (principal função) com a musculatura proximal (músculos grandes como peitoral e abdome), enviando as informações para a medula, liberando o córtex motor primário para os movimentos de face e mãos. 
O cerebelo tem como função primária executar ajustes no plano motor. Recebendo informações motoras do córtex motor primário e, sensoriais do tronco encefálico, o cerebelo compara as informações e faz as correções necessárias, enviando a informação para a medula, até chegar ao musculo.
IMAGEM 01
REFERÊNCIAS
Disponível em: <http://slideplayer.com.br/slide/363280/>. Acessado em 28 de junho de 2016. 
HALL, John E. Tratado de Fisiologia Médica. 12ª ed. Rio de Janeiro: Saunders, 2011.