A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
FISIOLOGIA CELULAR introdução liquidos alunos

Pré-visualização | Página 1 de 1

Retroalimentação feedback
Quando ocorre a mudança de uma variável, o sistema pode reagir segundo dois tipos de feedback:
O feedback negativo é a reação pela qual o sistema responde de modo a reverter a direção da mudança. Por exemplo:
quando a concentração corporal de dióxido de carbono aumenta, os pulmões são estimulados a aumentar a sua atividade e expelir mais dióxido de carbono. 
A termorregulação, Quando a temperatura corporal sobe, ou desce, receptores na pele e no hipotálamo sentem a alteração, desencadeia uma ordem no cérebro que dá início a uma reação no sentido de gerar ou libertar calor, conforme seja o caso.
No feedback negativo, o órgão X estimula o órgão Y, cuja função inibe ou paralisa a atividade do órgão X. Em outras palavras, o estímulo bloqueia o seu próprio "estimulador".
No feedback positivo, a resposta amplifica a mudança da variável. Isto tem um efeito desestabilizador, pelo que não contribui para a homeostase. O feedback positivo é menos comum nos sistemas naturais do que o feedback negativo, mas tem as suas aplicações. Por exemplo
 nos nervos, um potencial elétrico limite desencadeia a geração de um potencial de ação muito mais elevado. Outros eventos de feedback positivo são a coagulação do sangue e vários eventos na gestação.
O feedback positivo é quando um órgão X estimula um órgão Y, e este, através de produtos da sua atividade, retroestimula o órgão X, intensificando sua ação. Um mecanismo destes, isoladamente, levaria à exaustão ou esgotamento energético do sistema. Por isso o feedback positivo está sempre acoplado a feedback negativo.
FISIOLOGIA CELULAR
Cerca de 45% a 70% da massa corpórea é formada por água. As mulheres menor volume H2O que homem, já que ela apresenta maior porcentagem de tecido adiposo.
DISTRIBUIÇÃO DA ÁGUA NO CORPO
Meio Intracelular à cerca de 2/3 dos líquidos se encontram no meio intracelular.
Meio Extracelular à cerca de 1/3 dos líquidos encontram-se no meio extracelular. Plasma e liquido intersticial.
O pH meio intracelular ( PH 7.0 ) é mais acido do que no meio extracelular( PH 7.4 ). 
COMPONENTES DO MEIO INTRA E EXTRACELULAR
Principal cátion do LEC é o Na+ e o ânion que contrabalança é o Cl- e bicarbonato.
Principal cátion do LIC K+ e Mg²+ e ânion são as proteínas e fosfatos orgânicos.
Obs: O cálcio fica localizado nos retículos sarcoplasmático, daí pouca concentração no meio intracelular.
COMPOSIÇÃO DA MEMBRANA PLASMATICA
A membrana plasmática é formada de ácido graxo parte hidrofóbica ( pouco aquoso ) e glicerol parte hidrofílica (interagem fortemente com a água), o que a caracteriza como uma membrana anfipática ( polar e apolar).
Hidrofílicas: polissacarídeos
Hidrofóbicas: gorduras, óleos
Bicamada de lipídios - 55% fosfolipídios
25% colesterol
13% outros lipídios ( triglicerídeos)
4% carboidratos
Essa composição lipídica da membrana é responsável pela manutenção da permeabilidade, sendo altamente permeável a substancias lipossolúveis e baixa permeabilidade a substâncias hidrossolúvel.
TIPOS DE PROTEÍNAS
CANAIS AQUOSOS: transporta substancias do meio intra para o extra e vise – versa sem muito gasto de energia.
PROTEÍNAS PERIFERICAS: encontram-se localizadas nas extremidades da membrana e serve como receptores, mandando sinais para o interior da célula.
PROTEÍNAS INTEGRAIS: atravessam a membrana toda e serve para transporte de substancias hidrossolúvel.
DIFERENÇAS QUE AFETAM NA PERMEABILIDADE DA MEMBRANA
Espessura, quanto maior a espessura menor a difusão.
Lipossolubilidade, Quanto mais lipossolúvel maior a difusão.
Numero de canais protéicos o numero de canais é proporcional a área da membrana.
Temperatura, quanto maior a temperatura maior a difusão.
PM das substancias difusoras, quanto maior PM menor a difusão.