A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Receituário Agronomico

Pré-visualização | Página 1 de 2

RECEITUÁRIO AGRONÔMICO
 N° 0 0 0 1
(Anexo 01 – ATO n°008)
	1. Identificação da Propriedade
	Nome do Consulente: Tiago Luan Rodrigues dos Santos 
	Nome da Propriedade: Fazenda União
	Apelido do Consulente: Tiago
	CPF do Consulente: 123456789-12
	Município: União
	Distrito: Piauí
	CEP: 64120-000
	Localização da Propriedade: Estrada Teresina/União – Km 56
	2. Diagnóstico 
	Cultura: Milho
	Área (ha): 100
	Situação da Lavoura: Foram constatadas larvas do inseto Lagarta-do-Cartuchos (Spodoptera frugiperda) em toda a área do plantio, que penetram nos cartuchos, deixando-os quase sempre completamente destruídos, ou seja, imprestáveis para o consumo e a comercialização.
	Pragas ou doenças a Controlar: Lagarta-do-Cartucho (Spodoptera frugiperda) causando dano econômico.
	3. Precisão 
	Nome do Produto: Alsystin SC
	Princípio Ativo: triflumurom
	Dosagem: 50 ml/ ha
	Qtd. A Adquirir: 5 litros 
	Grupo Químico: benzoiluréia
	Nº de aplicações: 1
	Concentração: 480 g/L
	Época de Aplicação: No início da infestação (3º instar).
	Modalidade da aplicação: Terrestre
	Período de Carência: 28 
	Classe Toxicológica: IV – Pouco Tóxico
	Método de Aplicação: O produto deve ser aplicado com equipamentos terrestres (pulverizador costal manual, motorizado e tratorizado) e por aeronaves. As gotas devem ter de 100 a 200 micras de diâmetro e densidade de 20 a 30 gotas/cm².
	Equipamento Necessário: Pulverizador costal. Use protetor sobre o nariz e a boca. Use macacão com mangas compridas, chapéu impermeável de aba larga, luvas, e botas.
	Precauções de Gerais: Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não utilize equipamentos com vazamentos. Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.
	Primeiros socorros: Ingestão: Provoque vômito e procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto Olhos: Lave com água em abundância e, se houver irritação, procure o médico levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. 
Pele: Lave com água e sabão em abundância e, se houver irritação, procure o médico levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. 
Inalação: Procure local arejado, e se houver sinais de intoxicação, procure o médico levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.
	Advertências relacionadas em relação ao meio ambiente: Este produto é PERIGOSO ao meio ambiente (CLASSE III). Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente. Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
	Instruções sobre Disposição Final de Embalagens e Sobras: As embalagens devem ser enxaguadas três vezes (TRÍPLICE LAVAGEM) e a calda resultante acrescentada à preparação para pulverização. Não reutilize embalagens.
	4. Identificação do Profissional 
	Nome Legível: Raimundo José de Moraes
	Modalidade: Engenheiro Agrônomo 
	Carteira n°.: 1234
	CREA (UF): PI
	Visto no CREA/PI N°.: 1234
	Endereço: Rua São José – Nº 123 – B. São Sebastião.
	Fone: (86) 99539-6760
	
Data: 28 / 07 / 2016 Assinatura e Carimbo:
 Raimundo José de Moraes
 ________________________ 
 Eng. Agrônomo: Raimundo José de Moraes
 CREA-PI/ nº 1234
VERSO DA PRIMEIRA VIA
PRECAUÇÕES DE USO E CUIDADOS COM O APLICADOR E O MEIO AMBIENTE
Durante o preparo das caldas de agrotóxicos use sempre luvas nitrílicas, uma vez que 80% dos casos de intoxicações ocorrem nesta fase. Use os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados toda vez que utilizar agrotóxicos, tais como chapéu, protetor facial, máscaras, luvas, roupa impermeável, botas de borracha (Portaria MTB 3067 de 12/04/88).
Não fume não coma e não beba durante o manuseio e aplicação de agrotóxicos.
Nunca desentupa os bicos do pulverizador com a boca.
Verifique antes de iniciar a aplicação se o equipamento está em boas condições de uso, sem vazamentos e bem calibrado.
Não permita a presença de crianças, animais e pessoas estranhas ao trabalho nos locais de manuseio, preparo de caldas, lavagem de equipamentos e EPI's e aplicação de agrotóxicos, obedecendo ao período de reentrada.
Os agrotóxicos não devem ser aplicados por menores, pessoas idosas ou doentes e gestantes.
Não aplique agrotóxico contra o vento, nem em dias de vento forte ou com tempo chuvoso. Evitar aplicar os produtos nas horas mais quentes do dia, observando sempre as recomendações técnicas.
Os agrotóxicos devem ser armazenados em depósitos fechados, exclusivos para este fim, com placa de aviso (“produto tóxico”, “caveira”, “perigo”), impedindo o acesso a crianças, pessoas desavisadas, animais domésticos, de criação ou silvestres, permanecendo as embalagens bem fechadas e com os rótulos originais.
Não guarde ou transporte os agrotóxicos juntamente com alimentos, rações, bebidas, medicamentos e pessoas.
Nunca abasteça ou lave o pulverizador diretamente nas fontes de água. Use tanques ou reservatórios especiais. Água contaminada mata peixes, crianças, homens e animais. A lavagem dos equipamentos não deve comprometer o homem e o meio ambiente.
Respeite o período de carência (período entre a última aplicação e a colheita) indicado para cada produto.
Tríplice Lavagem - Formulações líquidas ou pó solúvel em água: para embalagens plásticas, vidro ou metal, imediatamente após o completo esvaziamento, devem ser enxaguadas 3 (três) vezes com agitação, e as caldas resultantes vertidas no tanque do pulverizador. Formulações sem diluição em água devem ser totalmente esgotadas no tanque do pulverizador e depois inutilizadas. Não reutilize as embalagens vazias. As mesmas devem ser destruídas adequadamente, conforme indicações específicas.
Disposição final de resíduos e embalagens - Não abandone embalagens em carreadores, caminhos, estradas, cercas, áreas de vegetação arbórea e principalmente nas margens de quaisquer coleções de água (rios, lagos, córregos, represas, etc.). As embalagens tríplices lavadas devem ser inutilizadas. Para o destino correto consulte o Governo Estadual e Municipal para conhecer a legislação e os procedimentos corretos para a sua região. Nunca abandone embalagens na natureza.
Se o agrotóxico atingir alguma parte de seu corpo, lave-a imediatamente com água fria e sabão. Após as aplicações, tomar banho com água fria e sabão, trocando de roupa. Lavar a roupa utilizada durante a aplicação.
Se durante a aplicação sentir mal estar, dor de cabeça, vômitos, tremores, tonturas, febres ou dificuldade de enxergar, ou em caso de acidentes, pare imediatamente o serviço e procure um médico, levando o receituário agronômico e a bula ou rótulo do agrotóxico.
Para a aplicação de agrotóxicos e afins, o produtor deve recorrer sempre à Assistência Técnica de Profissional Legalmente Habilitado.
Os produtores, usuários, aplicadores, meeiros e arrendatários que não se utilizarem da Assistência Técnica, responsabilizam-se pelos danos a que derem causa, solidariamente.
Somente utilize o agrotóxico para a cultura e o problema recomendado.
Fazer rotação de produtos com diferente modo de ação e, sempre que possível, adotar medidas alternativas de Manejo Integrado de Pragas (MIP).
O uso indevido e/ou aplicação inadequada destes produtos pode resultar em graves danos à saúde pública, ao meio ambiente e à integridade física de usuários e consumidores em geral.
PRIMEIROS SOCORROS
1. Procure assistência médica em qualquer caso de suspeita de intoxicação levando o receituário agronômico e a embalagem ou o rótulo do produto.
2.	Não dê nada por via oral a uma pessoa inconsciente.
3.	Em caso de inalação ou aspiração do produto, procure local arejado; se mostrar sintomas