RELATORIO CONTAGEM DE RETICULÓCITO
7 pág.

RELATORIO CONTAGEM DE RETICULÓCITO


DisciplinaHematologia6.004 materiais36.131 seguidores
Pré-visualização1 página
1 INTRODUÇÃO
A determinação do número de reticulócitos é de grande valia para o estudo de hemopatias, notadamente das anemias, com o objetivo diagnóstico, acompanhamento evolutivo, avaliação terapêutica e outros. Os reticulócitos são elementos celulares anucleados, pertencente a linhagem eritrocitária. (OLIVEIRA, 1980)
Contém em seu interior uma estrutura granulosa ou filamentosa, que se cora quando submetida a coloração por corantes vitais. Quando o elemento deixa de revelar a presença destas substâncias grânulo-filamentosa significa que alcançou a completa maturação e passa a denominar-se eritrócito. Os reticulócitos mais imaturos contém substância grânulo-filamentosa em abundância, enquanto os mais maduros possuem escasso retículo ou somente raros grânulos. (OLIVEIRA, 1980)
Os reticulócitos compreendem eritrócitos imaturos no estágio final de diferenciação celular e foram observados pela primeira vez por Wilhelm H. Erb em 1865, o qual notou grânulos em glóbulos vermelhos tratados com ácido pícrico ou acético (ERB,1865). 
O termo reticulócito deriva das características microscópicas das células depois de tratadas com corantes supravitais, como o azul de metileno novo ou o azul de cresil brilhante, que conferem aos fragmentos de ácido ribonucléico (restos de RNA ribossomal) a aparência de uma fina rede reticular ou grânulos dispersos (PIERRE, 2002; PIVA et al., 2010).
Os reticulócitos são hemácias jovens e imaturas que contêm no seu interior material reticular, que não apresenta afinidade por corantes comuns. Sua demonstração é feita por coloração supravital. Os reticulócitos presentes no sangue retirado do organismo sofrem morte somática , sendo porém, corados, antes que sua atividade vital seja extinta. No sangue periférico, encontra-se 0,5 a 1,5% de reticulócitos destinados a substituir os glóbulos vermelhos que são constantemente destruídos pelo atrito, fragmentação, fagocitose e outros meios, após terminarem o seu ciclo biológico (BAIN, 2007)
2 OBJETIVO GERAL: 
Determinar se a medula óssea está respondendo de modo adequado às necessidades do corpo de produção de hemácias.
2.1 OBJETIVO ESPECÍFICO: 
O objetivo dessa pratica é fazer uma contagem de reticulócitos para auxiliar na avaliação de perda sanguínea, resposta da medula óssea à anemia e terapia para anemia.
Auxiliar na distinção entre anemias hipoproliferativas e hiperproliferativas.
3 METODOLOGIA
Inicialmente, em um tubo de ensaio, foi adicionado 5 gotas de sangue colhido e 5 gotas de reagente. Homogeneizamos e colocamos em banho-maria durante 15 minutos a 37º C.
Retiramos do banho-maria. Homogeneizamos novamente e preparamos o esfregaço de maneira usual. Esperamos secar para examinarmos e fazermos a contagem de reticulócitos no microscópio, sob o óleo de imersão.
3.1 MATERIAIS UTILIZADOS:
Lâmina para microscópio
Pipeta
Ponteira
Microscópio
Óleo de imersão
Tubo d ensaio
Sangue colhido por punção venosa em EDTA
Corante: azul de cresil brilhante
4 RESULTADOS E DISCUSSÃO:
Durante a aula prática fizemos a contagem de reticulócitos, para avaliar de forma efetiva a produção de eritrócitos, sendo útil no controle terapêutico, no diagnóstico diferencial e na classificação das anemias.
Calculou-se:
 Reticulócitos em 10 campos
------------------------------------------- = % de reticulócitos
 10
Reticulócito em 10 campos = 34 ÷ 10 = 3,4 %
QUADRO 1 - Relação dos valores obtidos da contagem de reticulócitos:
	Campo
	Reticulócitos
	1
	3
	2
	1
	3
	1
	4
	2
	5
	4
	6
	5
	7
	7
	8
	4
	9
	4
	10
	3
FONTE: OLIVEIRA C, L. 2016
O exame é solicitado em casos de hemorragia e anemias hemolíticas (quando as hemácias são destruídas em grande quantidade).
Na contagem de reticulócitos obteve-se o valor de 3,4%, estando esse resultado alterado, de acordo com os valores de referência que são para adultos: 0,5 a 1,5% ou 25.000 a 75.000/mm3 sangue.
Obs: estes valores aparecem discretamente aumentados na gravidez. Contagem de reticulócitos reflete a atividade recente da medula óssea.
Se esta responde de modo adequado às necessidades de aumento de produção de hemácias, permitirá a liberação de hemácias menos maduras na circulação, o que aumenta o número de reticulócitos no sangue. Um aumento da percentagem de reticulócitos pode indicar:
Sangramento se houver hemorragia o número de reticulócitos aumenta alguns dias depois para compensar a perda de hemácias. Se houver perda de sangue crônica, o número de reticulócitos pode permanecer elevado enquanto a medula óssea supre a necessidade de novas hemácias.
Anemia hemolítica, doença hemolítica do recém-nascido. Caso a medula óssea seja incapaz de suprir as necessidades, o número de reticulócitos pode permanecer normal ou apenas um pouco aumentado, e até diminuir devido à falta de produção adequada. Se o número de reticulócitos não se elevar com uma anemia, é provável que exista algum grau de disfunção da medula óssea ou deficiência de eritropoietina.
5 CONCLUSÃO:
De acordo a contagem de reticulócitos realizada em aula prática, foi observado alteração no paciente, com resultados aumentados, o que pode indicar que a medula óssea do paciente não está suprindo as suas necessidades, provocando até uma anemia hemolítica, sangramentos intensos ou doença hemolítica do recém-nascido.
6 REFERÊNCIAS
BAIN, J. B. Células sanguíneas: um guia prático. 3 ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.
NORONHA, J. F. A. Reticulócitos imaturos como preditores precoces do sucesso do enxertamento no transplante de medula óssea alogênico e autólogo. Rev. bras. hematol. Hemoter, v. 24, n. 1, p. 61-62, 2002. Resumo de tese.
ZAGO, M. A.; FALCÃO, R. P.; PASQUINI, R. Hematologia: fundamentos e prática. São Paulo: Atheneu, 2004.