A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
CULTIVO DA TECA

Pré-visualização | Página 1 de 3

FACULDADE MONTES BELOS – FMB
CURSO DE ENGENHARIA AGRONÔMICA
BONIFÁCIO DE ABREU
ERICKSON NUNES
JOSÉ LEOZARTH
LUIZ HENRIQUE
KEIDE QUINTILIANO
KETELLY ANDRESSA
NIVRA QUINTILIANO
RENATA MENDES
RODRIGO REIS
São Luís de Montes Belos
2017.
BONIFÁCIO DE ABREU
ERICKSON NUNES
JOSÉ LEOZARTH
LUIZ HENRIQUE
KEIDE QUINTILIANO
KETELLY ANDRESSA
NIVRA QUINTILIANO
RENATA MENDES
RODRIGO REIS
CULTIVO DA TECA
Tectona grandis
Trabalho apresentado como requisito parcial para obtenção de aprovação na disciplina de Silvicultura no Curso de Engenharia Agronômica, na Faculdade Montes Belos. Prof. Vinicius Vilela 
São Luís de Montes Belos,
2017
INTRODUÇÃO
A Teca é apreciada pela qualidade de sua madeira, bem como pela sua rusticidade.
É cultivada desde o século XVIII, quando os britânicos demandavam grandes quantidades de madeira para construção naval.
No sul da Ásia, a cultura de teca é tradicional, sendo a espécie cultivada em grande escala.
ORIGEM
A teca, Tectona grandis, é nativa das florestas tropicais de monção do Sudeste Asiático (Índia, Mianmar, Tailândia e Laos) de grande valor econômico.
É árvore de grande porte, podendo alcançar 2,50 metros de diâmetro e mais de 50 metros de altura.
CLASSIFICAÇÃO BOTANICA
NOME CIENTIFICO: Tectona grandis L.F
NOME COMUM: Teca. Teak...
FAMÍLIA: Verbenaceae
GÉNERO: Tectona (Schubert,1974)
ESPÉCIE: Tectona grandis L.F
		Tectona australis Hill, 1862
		Tectona hamiltoniana Wallich, 1832
		Tectona philippinensis Bentham e Hppker, 1876
		Tectona ternifolia Burchanam, 1838 
CARACTERISTICAS
As folhas, que podem ter disposição oposta a verticilar em grupos de três, são coriáceas e medem de 30 a 60cm de comprimento por 20 a 35cm de largura. 
As flores são pequenas, de coloração branco-amarelada e se dispõem em panículas de até 40 x 35cm.
Os frutos são do tipo drupa, cilíndricos, de cor marrom e possuem diâmetro de aproximadamente 1cm.
ASPECTOS ECONÔMICOS E COMERCIAIS 
O alburno vai do branco ao cinza claro e normalmente o lenho (xilema secundário) vai do amarelo ouro ao marrom.
Essa madeira é considerada moderadamente pesada (0,6g/cm²) e elástica.
Possui uma grande demanda, principalmente no continente europeu, superando cinco vezes o preço do mogno (S. macrophylla) no exterior. 
A tora de desbaste com diâmetro variando de 15 a 20 cm chega a ser comercializada a US$ 900,00 o m³ de toras de 48 cm. 
Toras de mogno com diâmetros similares a 48 cm são comercializadas a R$500,00;
A madeira da teca é utilizada para os mais variados fins: carpintaria, marcenaria, produção de móveis finos, construção naval; muito apreciada na ornamentação de parques e jardins pela beleza da árvore e na utilização para o sequestro de carbono.
PRODUÇAO MUNDIAL
Hoje existem 3 milhões de hectares cultivados.
Os maiores produtores são: 
Indonésia 		 Mianmar		 Sri Lanka
Hong Kong e Cingapura: centros de manufatura e reexportação da teca de Mianmar.
Índia e Tailândia: além de produzir, passaram a importar.
PRINCIPAIS IMPORTADORES
Alemanha 			Austrália
Emirados Árabes		Itália
Japão				Arábia Saudita
Dinamarca			EUA		
Holanda			Reino Unido
PRODUÇAO BRASILEIRA
Mato Grosso tem a maior área plantada com teca do Brasil ( 70% ) e de todos os países da América Latina. Caceres-MT pioneira na produção da TECA
Ainda se destacam:
Rondônia
Pará 
Acre 
CLIMA E RELEVO
O clima ideal é onde a precipitação média anual está entre 1250 a 2500 mm;
A temperatura média anual deve estar acima de 22°C.
 Tropical úmido com verão chuvoso e inverno seco.
Altitudes superiores a 900m.
É necessário em um período de três meses uma precipitação inferior a 50 mm/mês para que se obtenha uma madeira de qualidade;
SOLO
Se desenvolve bem em solos profundos, com boa drenagem e com razoável fertilidade, tolerando aqueles com textura variando de barro-arenoso a franco-argilosa;
Não é o ideal utilizar solos mal drenados, com lençol freático superficial, e solos com elevada acidez.
pH de 6,0 a 8,0 mais recomendável;
Representada pela presença de nutrientes: Nitrogênio, Fósforo, Potássio, Cálcio altamente exigente e Magnésio.
PREPARO DO SOLO
Sugere-se fazer pelo menos duas gradagens com intervalo de mais ou menos 30 dias;
Para plantio em grandes extensões realizar sulcamento do terreno após gradagem. O sulco deverá ter cerca de 25 cm de profundidade;
A adubação deverá ser feita de acordo com a análise de solo;
O plantio é realizado manualmente podendo utilizar a plantadeira manual no caso de muda tipo tubete.
PROPAGAÇÃO
A propagação da espécie é realizada principalmente via sementes(fruto);
Mudas clonais
Reproduzir indivíduos geneticamente idênticos, a partir de uma fonte de material vegetativo de uma planta selecionada.
Micro-propagação: 
Esse método de propagação vegetativa é baseado nas técnicas de cultura de tecidos e é realizado a partir de calos, órgãos, células e protoplastos. A cultura de tecidos consiste em cultivar segmentos da planta em tubos de ensaio que contenham soluções nutritivas e hormônios na dosagem adequada para o desenvolvimento. Após o termino da fase de desenvolvimento em tubos de ensaio, as plantas passarão por aclimatização e posteriormente serão levadas ao campo. Nesse sistema é possível obter com rapidez a produção de um grande número de mudas idênticas.
Macro-propagação
O método de macro-propagação é baseado nos métodos convencionais de estaquia e enxertia.
 - Estaquia é o processo de enraizamento de estacas obtidas de material selecionado. Essa é a metodologia mais utilizada nas grandes empresas florestais que obtêm as estacas nos mini-jardins clonais. Podem existir nesse processo, além da metodologia, algumas características inadequadas para o enraizamento das estacas, como o material genético e a idade (o material adulto apresenta maior dificuldade de enraizamento).
- Enxertia é o processo de inserção da parte superior de uma planta em outra, através da implantação do ramo, gema ou borbulha da planta a ser multiplicada (cavaleiro) sobre o porta-enxerto (cavalo). Nesse procedimento pode ocorrer a rejeição do material, sendo que a melhor maneira de evitá-lo é utilizar plantas jovens.
A maior dificuldade da propagação vegetativa de plantas adultas é o enraizamento, sendo necessário trabalhar com material fisiologicamente juvenil ou rejuvenescido. As técnicas de rejuvenescimento podem ser realizadas através da poda drástica, aplicações de citocininas, propagação seriada via enxertia, propagação seriada via estaquia e micropropagação. Outros fatores também são importantes para o enraizamento entre eles a nebulização (prevenindo o estresse hídrico), o estado nutricional, a utilização de hormônios e condições adequadas de desenvolvimento. 
MUDAS
A muda mais utilizada no caso da teca é do tipo “toco”.
A muda “toco” nada mais é que uma parte da muda de raiz nua, devidamente podada, compreendendo cerca de 10 a 20 cm da raiz pivotante e 2 a 3 cm do caule.
Arrancar a mudar e Cortar o caule cerca de 2-3 cm acima do colo.Cortar a raiz pivotante com 20 cm de comprimento. Finalmente, teremos o “toco” para o plantio.
Esquema das práticas necessárias para produção de mudas de teca do tipo tocoAs melhores mudas “toco” são aquelas com diâmetros do caule entre 1,25 cm e 3,00 cm. Se necessário, a muda “toco” poderá ser armazenada por alguns dias, desde que conservada em saco de aniagem ou juta e em local seco, fresco e abrigado do sol e da luz.
O que é chamado de semente, na realidade, trata-se do fruto. As sementes verdadeiras são muito pequenas e delicadas e o fruto é duro demais para ser rompido e liberar as sementes sem danos. Portanto, planta-se o fruto e não sementes. 
Para uniformizar a germinação, os frutos de teca devem ser colocados imersos em água corrente por 24 a 48 horas. O melhor substrato é a areia com terra orgânica. São necessários, aproximadamente, quatro quilos de frutos