Controversia entre Anna Freud e Melanie Klein
4 pág.

Controversia entre Anna Freud e Melanie Klein


DisciplinaAvaliação Psicológica855 materiais10.756 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Contextualização da psicanálise na Grã-Bretanha 
 
Existe um período muito conhecido que é o período das controvérsias entre Ana Freud e Melanie 
Klein, elas ocuparam lugares opostos dentro do movimento psicanalítico, e a partir dessas 
controvérsias houve uma mudança muito significativa no movimento psicanalítico. 
Até o momento que o Freud estava atuando era ele quem ditava o que era psicanálise e o que não 
era, quem pensava diferente dele era banido - ele determinava até onde era psicanálise e a partir 
de onde não era mais psicanálise. Depois que ele morreu ficaram as Sociedades de Psicanálise 
sujeitas as novas ideias. 
A partir dessas controversas, desses embates, que ocorreram na grã-bretanha, possibilitou 
correntes diferentes dentro da psicanálise 
Em que nível ocorreram essas controversas??? essas discussões entre Anna Freud e Melanie 
Klein - as duas trabalharam com crianças e é aí que reside a divergência entre elas - a concepção 
que cada uma vai dar do que é uma análise infantil é bastante diferente 
Nessas controvérsias Melanie Klein vai estar no Ponto Central. Porque ela foi quem primeiro se 
distanciou de Freud. 
Anna Freud ela é herdeira do pensamento psicanalítico 
vão existir três momentos de confronto entre Ana e Melanie 
\u2022 o primeiro foi 1927 com a Ana Freud - onde o tema da controvérsia era análise infantil e 
desenvolvimento da transferência 
 
\u2022 Um segundo confronto surge entre Melanie Klein E sua filha Melitta quando ela tentou falar 
sobre psicose 
 
\u2022 Terceiro momento foi dentro do próprio Universo de seguidores dela 
 
Ana Freud 
A Anna Freud começou a frequentar as reuniões da sociedade psicanalítica de Viena muito 
pequena, na casa dela, ela teve acesso privilegiado ao conteúdo das discussões psicanalíticas, ela 
primeiro foi formada no magistério, trabalhou com educação infantil, teve que se afastar por 
questões de saúde, e não voltou mais, ela depois Fez análise COM O PAI 
pois em 1920 para você ser psicanalista você deveria ser médico e Teria que começar a sua 
formação a partir da sua análise - procurar um analista, fazer análise, e aí então Ele começava a 
sua formação dentro da psicanálise 
Anna Freud não foi diferente - a única diferença é que ela não era médica e ela fez análise com o 
próprio pai - uma análise trata das questões infantis trazendo à tona suas relações com pai e mãe 
quem naquela época teria coragem para analisar Anna Freud sabendo que estaria analisando 
Freud, naquela época ele intitulava as pessoas psicanalistas quem iria Contrariar e confrontar o 
pai da psicanálise 
1927 Anna Freud publicou o livro chamado introdução a técnica da análise da criança 
quando ela publica esse livro, a Melanie Klein, estava teorizando e trabalhando no campo da 
análise infantil - Anna Freud pública os livros dela 
Neste trabalho ela cita como requisitos: 
1. Consciência da doença 
2. Confiança no analista e na Análise 
3. Decisão interior de se analisar 
 
 
Melanie Klein 
Melanie Klein buscou análise para resolver os seus problemas, sua depressão, tomando contato 
então com a psicanálise e com os textos de Freud. existem dois filhos que são os filhos pré 
analíticos, que sofreram muito, sendo que um deles é a Melitta que sofreu, que se volta contra ela 
após formada. Depois que ela iniciou o tratamento psicanalítico ela tem um terceiro filho, que se 
salvou, que teve uma mãe um pouco melhor ,ela faz o tratamento, e a partir dessa análise que ela 
desenvolve com um terapeuta ela recebe sugestões para fazer intervenções com o filho - ela faz 
essas intervenções E aí ela publica o resultado dessas intervenções com o filho que era o filho mais 
novo dela. 
Na época ela morava em Budapeste, ela foi aceita na sociedade psicanalítica de Budapeste , E aí 
então ela começou a trabalhar, em 1924 ela estava fazendo análise com o Abraham e ela pública 
nessa época a sua teoria de análise pelo brincar, 
ela entende que é na brincadeira que a criança se expressa, o brincar é um recurso a criança 
expressa simbolicamente seus conflitos a partir da brincadeira. 
Para Melanie Klein é possível conduzir uma análise a partir do que a criança brinca - análise da 
brincadeira 
Diferentemente Anna Freud não acredita nessa análise - pois o pai não trabalhou com crianças a - 
brincadeira não serve para fins de análise - do ponto de vista da análise, a análise infantil seria 
inviável aos moldes da análise do adulto - porque a analise do adulto possui as três condições 
básicas que ela defende: 
1. Consciência da doença 
2. Confiança no analista e na Análise 
3. Decisão interior de se analisar 
Como não é a criança que procura análise, ela não tem consciência da doença, Ana entende que 
antes de você começar a análise com a criança teria que haver um período onde a criança deveria 
tomar consciência da necessidade da análise, como ela é trazida pelos pais, ela não sabe qual 
é a razão. 
Primeiro A criança precisa ser informada da Necessidade que ela tem de ser analisada, segundo 
ela teria que ter confiança no analista - na análise Isso corresponde ao desenvolvimento da 
transferência - para Ana crianças não podiam - não eram capazes desenvolver transferência - 
se a analise era desenvolvida na base da transferência e se crianças não conseguem desenvolver 
transferências = logo existe um impasse 
e por último a criança não é um sujeito já constituído, ela ainda está em processo de 
desenvolvimento, de Constituição, portanto ela não tem como tomar essa decisão interior de se 
analisar, como ela pode decidir ser analisada se ela não tem consciência da doença. 
na análise as pessoas transferem conteúdos relacionados à vivência do passado - para a criança 
não existe vivência passado - ela ainda está vivendo o que seria a velha edição \u2013 A velha edição 
ainda não se esgotou - ou seja criança não desenvolve transferência \u2013 ela ainda não criou os 
conteúdos que serão transferidos. 
Deveria ser feito então uma etapa de treinamento, para criança ficar ciente do que seria feito, de 
como seria análise, para a então trabalhar na análise, 
Basicamente ia buscar, ia manter, uma relação no nível da transferência positiva - mas ela iria 
buscar o quê???? Buscar os impulsos derivados da libido - era isso que ela iria buscar - que a 
criança tivesse com a analista uma relação de simpatia, de admiração, porque o analista deve 
buscar o tempo todo se colocar no lugar do ideal de Ego da criança, ao perceber que a criança 
obedece o seu comando ele consegue trabalhar com a criança lembre-se que essa criança ainda 
não tem superego desenvolvido 
Melanie Klein se contrapõe 
1927 \u2013 Analise Infantil e Desenvolvimento da transferência 
dizendo que não é possível manter uma análise da forma como Ana diz 
 
 Melanie não vê diferença na análise do adulto da criança, você pode conduzir da mesma forma, 
com algumas pequenas alterações - a criança não vai fazer associação livre porque ela ainda 
não tem o recurso para a linguagem - ainda não foi alcançada - Então você vai trabalhar com 
brinquedo o brinquedo equivale a Associação livre do adulto você vai interpretar o 
simbolismo presente na brincadeira Quais são as fantasias que essa criança está manifestando 
a partir da sua brincadeira Qual o brinquedo? de que forma ela brinca? se ela se inclui ou não o 
terapeuta na brincadeira? 
Anna Freud trabalhou com crianças no pós-guerra isso faz com que ela Desenvolva a ideia de que 
os cuidadores precisam desenvolver laços significativos com a criança que é aceito até hoje 
Melanie acredita que crianças são capazes de desenvolver transferência porque para ela 
Diferentemente de Ana Freud que acredita que os pais são internalizados no final do Édipo \ e para 
Melanie os pais são internalizados desde o começo porque ela propõe que a gente se constitui 
a partir da relação de objetos a relação de