Resenha crítica
4 pág.

Resenha crítica


DisciplinaQuímica de Superfície e Colóides19 materiais153 seguidores
Pré-visualização1 página
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ
CENTO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA \u2013 CCN
DEPARTAMENTO DE QUÍMICA
DISCIPLINA: QUÍMICA DOS COLOIIDES E SUPERFICIE
PROFº: Drº. ALEXANDRE ARAÚJO DE SOUZA
Wafer-scale Synthesis of Ultrathin CoO Nanosheets With Enhanced Electrochemical Catalytic Properties
( Resenha Crítica )
Thaysnara Sacha de Sousa Gonçalves \u2013 2014921502
Teresina (PI), Outubro de 2017.
Resenha crítica
A ciência dos materiais tem por objetivo explorar as descobertas e adaptações das novas propriedades físicas dos materiais, com o intuito de imputar uma prestabilidade para a contribuição do avanço científico. Com o passar dos anos, foram estudadas com uma maior amplitude as propriedades físicas, as dimensões 2D apresentadas pelas camadas espessas de um aglomerado de átomos. As características demonstradas por essa organização são inéditas para qualquer componente de massas ou mesmo dimensão, incluindo nanofios e nanotubos unidimensionais.
Mesmo com o mecanismos bem documentados para a síntese de 1D e 0D nanomateriais, pouco se sabe sobre o modo de quebrar a simetria de estruturas cristalinas não-camadas para criar materiais 2D com uma espessura de alguns nanómetros. Na literatura, apenas um número limitado de materiais 2D a partir de estruturas cristalinas nonlayered foram relatadas, tais como PBS, CeO 2, Au, Pd, Pt e nanofolhas. 
Conforme o artigo, os nanomateriais em 2D ofereceram inovações nas áreas de eletrôncios, optoeletrônicos, energia e catalíticas, por apresentarem relações de uma vasta superfície e indicies de volume adicionado ao fato de possuírem camadas eletrônicas distintas. A síntese de ampla área de nanomateriais bidimensionais (2D) com uma estrutura de cristal sem camada permanece um grande desafio.
Neste âmbito, é relatado uma síntese de base de baixo à cima em solução da escala de wafer e nanotecnologias CoO de espessura nanométrica usando o ILE (ionic layer epitaxy), nessa técnica uma monocamada de agentes tensoativos de sulfao oleílo ionizado e os surfactantes na interface água-ar serviram de modelo flexível para a cristalização direta de CoO por baixo.
Os nanosheets de CoO sintetizados são policristalinos e podem ser cultivados tão espessos quanto a superfície interna da solução no reator (> cm 2) com uma espessura de 2,8 nm, uniforme em toda a folha. Os nanosheets estão livres sobre a superfície da água e facilmente são transportados para superfícies de substratos arbitrários. E como uma demonstração é abordado que, nanofolhas de CoO foram diretamente transferidos para Wafers de Si para aplicações de elétrodos electroquímicos. Os CoO espessura nanômetrica exibiram propriedades catalíticas superiores em relação a reação de evolução de oxigênio (REA, oxygen evolution reaction) em comparação com CoO de grandes quantidades. Adicionalmente, mostrou uma excelente estabilidade a uma elevada densidade de corrente fotoelétrica quando usado como um PEC (photoelectrochemical) e fotoanôdo em eletrólitos alcalinos corrosivos.
Este trabalho evidenciou a eficiência da técnica ILE em sintetizar nanomateriais 2D a partir de uma vasta gama de óxidos funcionais com propriedades físicas melhoradas. O photoanode foi capaz de trabalhar continuamente durante mais de 3 horas em uma solução aquosa MNaOH sem qualquer deterioração do desempenho observável. Ou seja, ocorre primeiro a síntese da base de solução de baixo para cima de nanofolhas COO nanómetros de espessura, que exibiu propriedades catalíticas melhoradas drasticamente em comparação com a sua forma a granel. Logo, tenham sido utilizados substratos de Si rígidas, ILE inerentemente tem a compatibilidade com dispositivos flexíveis devido à síntese de baixa temperatura e processo de transferência fácil, com ganhos de desempenho sem precedentes.
Conforme o analisado na Secção experimental, obteremos:
- Síntese de nanofolhas COO;
- Fabricação de dispositivos electroquímica e foto eletroquímicas (PEC);
- Medições eletroquímicas e PEC;
- Caracterização.
Onde na caracterização, as medidas de SEM foram realizadas em um Zeiss Leo 1530 microscópio de emissão de campo e a observação MET foi feita em uma FEI TF30 microscope (300 kV). A distância da tensão de aceleração e de trabalho de SEM foram de 5 kV e 3 mm, respectivamente. XPS foi obtido a partir de um Thermo Scienti Scienti Scienti Scienti Scienti Scienti Scienti. O TEM amostras foram todas recolhidas de um modo semelhante, substituindo a bolacha de Si com uma grelha TEM carbono perfurado. Assim, este trabalho evidenciou a técnica ILE na síntese de nanomateriais 2D a partir de uma grande quantidade de óxidos funcionais com propriedades físicas melhoradas. 
Conforme o exposto, o desenvolvimento de sínteses que nos permitem a obtenção das estruturas 2D não apenas se configuram como a obtenção de uma gama de inovações tecnlógicas, catalisadoras e energéticas, mas, como também ampliaria os conceitos que se tem sobre matéria e a sua composição na natureza, contribuindo assim, ainda mais com o avançar do conhecimento científico mundial.