A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
97 pág.
Gerência de Redes de Computadores

Pré-visualização | Página 3 de 24

de valores de parâmetros e execução de determinadas ações. 
Monitoração 
A monitoração consiste na observação de informações relevantes ao gerenciamento. 
Estas informações podem ser classificadas em três categorias: 
• Estática: caracteriza a configuração atual e os elementos na atual configuração, tais 
como o número e identificação de portas em um roteador. 
• Dinâmica: relacionada com os eventos na rede, tais como a transmissão de um 
pacote na rede. 
• Estatística: pode ser derivada de informações dinâmicas; ex. média de pacotes 
transmitidos por unidade de tempo em um determinado sistema. 
A informação de gerenciamento é coletada e armazenada por agentes e repassada para 
um ou mais gerentes. Duas técnicas podem ser utilizadas na comunicação entre agentes e 
gerentes: polling e event-reporting. 
A técnica de polling consiste em uma interação do tipo request/response entre um 
gerente e um agente. O gerente pode solicitar a um agente (para o qual ele tenha 
autorização), o envio de valores de diversos elementos de informação. O agente responde 
com os valores constantes em sua MIB. 
Na técnica de event-reporting, a iniciativa é do agente. O gerente fica na escuta, 
esperando pela chegada de informações. Um agente pode gerar um relatório periodicamente 
para fornecer ao gerente o seu estado atual. A periodicidade do relatório pode ser 
configurada previamente pelo gerente. Um agente também pode enviar um relatório quando 
ocorre um evento significativo ou não usual. 
Tanto o polling quanto o event-reporting são usados nos sistemas de gerenciamento, 
porém a ênfase dada a cada um dos métodos difere muito entre os sistemas. Em sistemas 
de gerenciamento de redes de telecomunicações, a ênfase maior é dada para o método de 
relatório de evento. Em contraste, o modelo SNMP dá pouca importância ao relatório de 
evento. O modelo OSI fica entre estes dois extremos. 
A escolha da ênfase depende de um número de fatores, incluindo os seguintes: 
• a quantidade de tráfego gerada por cada método; 
• robustez em situações críticas; 
• o tempo entre a ocorrência do evento e a notificação ao gerente; 
 6
• a quantidade de processamento nos equipamentos gerenciados; 
• a problemática referente à transferência confiável versus transferência não 
confiável 
• as aplicações de monitoração de rede suportadas; 
• as considerações referentes ao caso em que um equipamento falhe antes de enviar 
um relatório. 
Controle de Rede 
Esta parte do gerenciamento de rede diz respeito à modificação de parâmetros e à 
execução de ações em um sistema remoto. Todas as cinco áreas funcionais de 
gerenciamento (falhas, desempenho, contabilização, configuração e segurança), envolvem 
monitoração e controle. Tradicionalmente, no entanto, a ênfase nas três primeiras destas 
áreas, tem sido na monitoração, enquanto que nas duas últimas, o controle tem sido mais 
enfatizado. Alguns aspectos de controle na gerência de configuração e de segurança são 
apresentados a seguir. 
O controle de configuração inclui as seguintes funções: 
• definição da informação de configuração - recursos e atributos dos recursos sujeitos 
ao gerenciamento; 
• atribuição e modificação de valores de atributos; 
• definição e modificação de relacionamentos entre recursos ou componentes da 
rede; 
• inicialização e terminação de operações de rede; 
• distribuição de software; 
• exame de valores e relacionamentos; 
• relatórios de status de configuração. 
O controle de segurança é relativo à segurança dos recursos sob gerenciamento, 
incluindo o próprio sistema de gerenciamento. Os principais objetivos em termos de 
segurança, são relativos à confidencialidade, integridade e disponibilidade. As principais 
ameaças à segurança referem-se à interrupção, interceptação, modificação e mascaramento. 
As funções de gerenciamento de segurança podem ser agrupadas em três categorias: 
• manutenção da informação de segurança 
• controle de acesso aos recursos 
• controle do processo de criptografia 
 
 7
 
2 Modelos de Gerenciamento de Rede 
Um sistema de gerenciamento de rede é uma coleção de ferramentas para monitorar e 
controlar a rede, integradas da seguinte forma: 
• uma única interface de operador, com um poderoso mas amigável conjunto de 
comandos, para executar a maioria ou todas as tarefas de gerenciamento da rede; 
• uma quantidade mínima de equipamentos separados, isto é, que a maioria do 
hardware e software necessário para o gerenciamento da rede seja incorporado nos 
equipamentos de usuários existentes. 
O software usado para realizar as tarefas de gerenciamento, reside nos computadores 
hospedeiros (estações de trabalho) e nos processadores de comunicação (switches, routers, 
hubs,...). 
Todos os equipamentos da rede, que fazem parte do sistema de gerenciamento, possuem 
um conjunto de software destinado às tarefas de coletar informações sobre as atividades 
relacionadas com a rede, armazenar estatísticas localmente e responder aos comandos do 
centro de controle da rede. Estes nodos são referenciados como AGENTES. No mínimo um 
hospedeiro da rede é designado para as tarefas de controlador da rede (GERENTE) e possui 
uma coleção de software chamada Aplicação de Gerenciamento da Rede. A aplicação de 
gerenciamento da rede possui uma interface que permite, a um usuário autorizado, gerenciar 
a rede. A figura 2.1 apresenta um cenário possível de um sistema de gerenciamento de rede. 
Um software de gerenciamento genérico é composto por: 
• Elementos gerenciados 
• Agentes 
• Gerentes 
• Bancos de Dados de Informações 
• Protocolos para troca de informações de gerenciamento 
• Interfaces para programas aplicativos 
• Interfaces com o usuário 
 
 8
 
Figura 2.1. Configuração de um sistema de gerenciamento de rede. 
A arquitetura do software de gerenciamento residente no gerente e nos agentes varia de 
acordo com a funcionalidade da plataforma adotada. Genericamente, o software pode ser 
dividido em três grandes categorias: 
• software de apresentação (interface) 
• software de gerenciamento (aplicação) 
• software de suporte (base de dados e comunicação) 
2.1 Software de apresentação 
A interface de usuário, em um sistema de gerenciamento, permite que o usuário 
monitore e controle a rede. Normalmente ela está localizada no sistema hospedeiro gerente. 
Em alguns casos é comum existir uma interface em alguns agentes a fim de permitir a 
execução de testes e também a visualização ou alteração de alguns parâmetros localmente. 
A figura 2.2 (a) mostra os dois blocos que representam o software de apresentação das 
informações de gerência. 
 
HOSPEDEIRO CONTROLADOR � � � 
 
� � 
 ROTEADOR 
 
� 
 HUB 
 
 
� � � 
 
GERENTE 
AGENTE 
AGENTE 
AGENTE 
 9
 
 
 
 
(a) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
(b) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
(c) 
 
 
 
 
Figura 2.2. Arquitetura de um sistema de gerenciamento de rede. 
O principal, em qualquer sistema de gerenciamento, é que a interface seja unificada, isto 
é, que ela seja a mesma em qualquer nodo, permitindo que o usuário gerencie uma rede 
heterogênea com um mínimo de treinamento. 
Um dos perigos em qualquer sistema de gerenciamento é a sobrecarga de informações. 
Dependendo da configuração estabelecida, uma grande quantidade de informações pode ser 
disponibilizada para o usuário. As ferramentas da interface de apresentação devem 
organizar, sumarizar e simplificar, tanto quanto possível, estas informações. Na maioria dos 
Interface de usuário unificada 
Serviço de apresentação das informações de gerência 
 
 
 
 � � �