A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
38 pág.
O papel do Gestor de Marketing nas organizações

Pré-visualização | Página 3 de 9

trabalho, um ambiente de trabalho adequado que proporciona aos mesmos uma mescla de diversão com profissionalismo, também destaca-se que o profissional mantém-se em constante atualização intelectual e tecnologias, permite um amplo relacionamento interpessoal devido aos vários canais de comunicação que a profissão proporciona aos mesmos.
�
Pontos Negativos da Profissão 
Vivendo em um mundo altamente competitivo e em extrema evolução e mudança sabe-se que os profissionais dessa área de atuação se fazem necessário ficar sempre atualizado com as mudanças do Marketing, seja ele digital, boca a boca, telemarketing. Analisando todo um mercado percebe-se que as pessoas nascidas entre os anos 1980 e 2000 são consideradas de Geração Y, sendo essa geração uma geração meio confusa sem saber o que quer fazer, acaba fazendo tudo.
Pode-se citar alguns pontos negativos dessa geração:
São profissionais superficiais, pois acabam agindo no imediatismo que interfere na aquisição de informações mais profundas e essenciais.
São dotados de muitas informações e por isso a maioria das mesmas acabam sendo desconectadas
Falta de autoconfiança
Falta de credibilidade na sua gestão
São taxados de enganadores e até mesmo charlatões, devido à ausência de ética de alguns profissionais ao prometerem entregar um sonho que não é possível.
Tem uma ética no trabalho diferenciada em relação à geração anterior, dando pouco valor à vestimenta formal e horários fixo, o que se transforma em um potencial conflito de gerações.
Devido a ficarem conectados quase 100% (cem por cento) do seu tempo, acabam perdendo a noção na gestão com as pessoas
Devido a sua natureza multitarefa, é uma grande incógnita saber se o Gestor saberá direcionar os esforços prioritários aos projetos estratégicos.
Por terem crescido ouvindo elogios, tem dificuldades em incorporar críticas e reconhecer onde estão seus erros.
Entre outros pontos negativos da profissão citados pelo artigo Gestor de Marketing, encontra-se a situação destes profissionais no mercado de trabalho sendo algo variável, atendendo que as oportunidades de emprego acompanham a evolução da economia: nos períodos de maior crescimento económico, a sua procura tende a aumentar e, nas alturas de recessão, tende a diminuir. Essas oportunidades variam também em função da zona geográfica de trabalho: por norma, são maiores nos grandes centros urbanos e nas zonas mais industrializadas, embora a competitividade profissional seja mais acentuada nestas regiões (o que implica um maior esforço de procura ativa de emprego).
Os Gestores acabam sendo refém dos dispositivos tecnológicos, criando uma necessidade imprescindível. Se pudéssemos fazer uma releitura da Hierarquia das necessidades humanas, voltada a esta geração, os gadgets apareceriam como itens de necessidade básica, precedendo as necessidades sociais. Ainda pode-se afirmar que os mesmos são reféns de uma rotina altamente estressante, devido à enorme pressão para que se desenvolva uma ação de sucesso e impacte todo o público alvo assim alavancando vendas e resultados, além das várias reuniões diárias que vivenciam sejam elas com clientes, fornecedores, Líderes superiores e equipe, essa rotina altamente estressante pode verdadeiramente ser considerada um dos pontos negativos.
Se até a algum tempo atrás, se acreditava que a Internet substituiria as cartas via correio, a certeza, atualmente, é que está substituindo não apenas as mensagens que enviamos aos amigos, mas também as próprias visitas físicas. 
Visitar algum parente ou amigo já não é tão necessário, para a geração Y, como era para a geração X. O relacionamento não precisa ocorrer presencialmente, e na preferência desta nova geração, é melhor que não ocorra. Visitas são feitas virtualmente através de mensageiros instantâneos e sites de relacionamento com a marca da nova geração: o imediatismo. Visito o Facebook de um amigo e lá me sinto em sua casa. 
Afinal, tudo que há de valor, tudo que o jovem precisa saber e tudo que pode gerar um relacionamento está no site, e não mais em sua casa. Não precisa mais chamar seus amigos para mostrar as fotos de sua última viagem. Publica em seu site e seus amigos acessam quando bem entenderem. Se precisa comunicar algo, não tem a necessidade de telefonar: publica a mensagem em seu site. E assim tem completa certeza que em alguns segundos, toda a rede de relacionamento estará a par dessa informação. 
Os pais da geração Y, mantinham em média 15 a 20 amigos, incluindo 3 ou 4 de contato mais próximo. Hoje, através do Orkut, Twitter ou Facebook, um jovem mantém relacionamentos simultâneos (e instantâneos) com mais de uma centena de amigos e assim perdendo todo o aprendizado e técnica para a Gestão de Pessoas, a capacidade de se relacionar com as pessoas que trabalham, são lideradas pelos Gestores da geração Y.
Entretanto compreendemos que os principais pontos negativos da profissão são profissionais despreparados e vindouros de outras ramificações da administração, muitas ações desenvolvidas antiteticamente, amplas reuniões altamente estressantes e cansativas, falta de um horário pois como a profissão permite e incentiva a criatividade acaba que a mesma surge em horários que estão habitualmente fora do horário padrão, algumas trabalhando em horários noturnos e durante a madrugada, cita-se também que as ações para o microambiente ou macroambiente do Marketing são desgastantes pois o Cliente muitas das vezes não quer saber do lado humano do profissional e com todo o direito acaba exercendo uma carga maior que o profissional estava esperando e ficando assim prejudicado o trabalho final devido a stress.
�
O Futuro da Profissão
O futuro Gestor de Marketing está mais ambicioso, com enorme desejo de deixar sua marca pessoal na empresa e não está disposto a ser micro gerenciado, por esse motivo que existe a necessidade de evolução e construção de um plano de carreira. Exige um desenvolvimento pessoal focado e, por consequência, espera crescer rapidamente. 
Avanços recentes nas tecnologias de comunicação e novas demandas quanto o e-commerce, a automatização e o neuromarketing vêm redefinido o futuro da profissão e são de extrema importância nessa nova empreita profissional.
Com o advento da globalização, a concorrência está cada vez mais acirrada, e nesta luta de interesses, não é o grande que vence os pequenos na disputa de espaços, é o mais ágil que engole o mais lento. Tempo traz dinheiro, negócios bem sucedidos e profissionais reconhecidos. Então, é a estratégia de Marketing que garante bons resultados no mercado corporativo.
Mudar paradigmas faz-se necessário, já que ser o melhor não é suficiente pois todos estão empenhados em ser o melhor. Os profissionais devem competir para serem únicos, a combinação ideal para isso é ter conhecimento, habilidade e atitude. Não podemos esquecer o dinamismo, ponto elementar de todo o processo. 
Diante dessas circunstâncias, torna-se imprescindível mesclar características diferentes da geração X com as da geração Y. A primeira tem mais experiência e a segunda, mais facilidade para adaptações e para assimilar as novas ferramentas tecnológicas. A geração Y (nascidos a partir de 1986) teve influências de heróis sociais e da sociedade pós 11 de setembro. Ela age com mais determinação, entusiasmo e confiança em excesso. 
Segundo Érica Ruiz em recente artigo, a revista HSM apresenta três pesquisas feitas com vários executivos de Marketing, incluindo os do Brasil, cujos resultados apontam para uma desconstrução de modelos tradicionais de Gestão, que não se encaixam mais na complexidade atual das empresas.
Os resultados sugerem que o marketing tradicional precisa desenvolver novas capacitações para acompanhar os processos de mudança das empresas e mercados, incluindo a mudança de visão sobre Planejamento Estratégico e a Operação dos processos. Há que se considerar inclusive, segundo o estudo da DOM Strategy Partners, a necessidade de criação de novas nomenclaturas e atividades