A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
AVS - Fundamentos das Ciências Sociais

Pré-visualização | Página 2 de 2

em políticas de Estado. Entre elas estão a legalização do direito de adoção dos casais que vivem em parceria homoafetiva e o reconhecimento dos direitos civis de casais homossexuais. "Eu e o meu companheiro temos 37 direitos que não são respeitados. Queremos direitos iguais", disse Toni Reis, presidente da ABGLT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais). Para o ministro Paulo Vannuchi (Direitos Humanos), essas mudanças levam tempo, mas o plano ajudaria a antecipar as decisões. "Antes, se falaria em torno de ideias, propostas. Agora é um plano governamental, e cada ministério tem que se adaptar", disse. "Há um crescente reconhecimento na sociedade, há muitos anos existem casais gays. Existe a convivência. Esse é um passo que o Brasil deu na sua construção democrática." Ele acredita que não é preciso esperar a aprovação de leis para que medidas que garantam direitos sejam colocadas em prática. O exemplo pode vir de empresas públicas e privadas. "Não precisa apostar tudo na aprovação da lei. Antes de aprovar, se a Caixa Econômica (Federal) começa a fazer, se a Petrobras começa a fazer, o Banco do Brasil começa a fazer, as montadoras começam a fazer para os seus funcionários, a mudança na sociedade já vai antecipando a lei e a lei depois só complementa o processo"
		
	
Resposta: Ação Legal - Por ser criada pelos Direitos Humanos e pelo Estado para oferecer direitos e transformações das leis para os casais homossexuais. Ação Afetiva - pela contrução de novos modelos de família, pelos reconhecimento aos direitos dos homossexuais, atraves de casamentos, adoções, do respeito que eles querem e precisam como diz Toni Reis presidente da ABGLT etc.. Ação Tradicional - Por envolver as empresas de grande tradição e conceituadas no mercado a participar desse movimento, já que possuem grande influencia na sociedade.
	
Gabarito: Proposta sugestiva de resposta:: O (a) aluno (a) deverá perceber a motivação da ação empreendida por esses indivíduos e o compartilhamento dessa ação, que permite o estabelecimento de relações sociais. No caso em questão, ação racional com relação a fins (por parte dos integrantes do movimento gay) e ação racional com relação a valores (tanto por parte dos gays como do ministro).
	
	
	 9a Questão (Ref.: 201402691062)
	Pontos: 0,5  / 0,5
	"A antropologia é uma disciplina criada a partir da expansão do capitalismo europeu, quando este entra em contato com povos étnica e culturalmente diferentes e com os quais teve que manter contato em razão de necessidades políticas e econômicas. Assim é que a antropologia sempre trabalhou com a lógica do distanciamento, distanciamento entre pesquisador e pesquisado, distanciamento entre civilizações e culturas, distanciamento no tempo e no espaço entre o europeu e o não-europeu. Ocorre que a história e a crescente internacionalização do capitalismo promoveram o contínuo encurtamento dessas distâncias". (COSTA, C. . 2005, p. 17) Para o encurtamento das distâncias culturais e geográficas que levaram a antropologia a repensar seu objeto podem ser assinalados os seguintes fatos, EXCETO:
		
	
	A universalização da indústria.
	
	A universalização do estado-nação.
	
	A universalização dos meios de comunicação.
	
	A universalização da cultura de massas.
	 
	A universalização do cristianismo.
	
	
	 10a Questão (Ref.: 201402633201)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	De acordo com a teoria de Karl Marx, a desigualdade social se explica pela (s):
		
	
	Apropriação das condições de trabalho pelos homens mais capazes em contexto histórico, marcado pela igualdade de oportunidades
	
	Distribuição de riqueza de acordo com esforço de cada um no desempenho de seu trabalho.
	
	Intervenção de forças divinas na divisão de bens materiais a partir do merecimento de cada indivíduo.
	
	Diferenças de inteligência e habilidades inatas dos indivíduos, determinadas biologicamente.
	 
	Divisão da sociedade em classes sociais, decorrente da separação entre proprietários e não proprietários dos meios de produção.