Aula 01
25 pág.

Aula 01

Disciplina:Administraçã e Ciências Contábeis34 materiais85 seguidores
Pré-visualização5 páginas
Administração

Corporações e Contexto Empreendedor

Aula 1

Ademir Bueno

Introdução

Olá, seja bem-vindo(a)! Nesta disciplina, falaremos sobre perfil

do empreendedor, tipos de empreendedor e empreendimento,

conceito de corporação e empresa e características do

empreendedor gestor.

Problematização

Na atualidade, as pessoas que optam por iniciar um novo

negócio o fazem mais por necessidade ou por oportunidade?

Considere os argumentos a seguir:

 Mais por necessidade, quando não encontrando com

facilidade emprego em sua área de atuação, abrem uma

empresa com a finalidade de ter um meio de subsistência.

 Mais por oportunidade, quando a pessoa, por fazer

estudos e análises do mercado, encontra nichos pouco

explorados e inicia um negócio para atender a essa

demanda em potencial.

Segundo a Pesquisa GEM – Global Entrepreneurship Monitor

2013 realizada pelo SEBRAE, na atualidade no Brasil é maior o

percentual de empreendedores por oportunidade e não por

necessidade. Isso pode ser explicado pelo crescimento do país

na última década, na melhoria nos níveis de emprego, maior

acesso às informações, entre outros fatores. Tudo isso leva as

pessoas a decidirem empreender com mais calma e de forma

mais racional.

Conceito de Empreendedorismo

Conceitos e Contextualização

Ao se tratar do conceito e diferenciação do que é

empreendedorismo, empreendimento, empreendedor e

intraempreendedor, não há uma convenção geral que se pode

alcançar lendo apenas um autor ou livro.

Esses conceitos podem variar de autor para autor, época ou

país. Mas, de forma geral, segundo Dolabela (2006) temos as

seguintes definições:

Empreendedorismo: área da administração que tem por

objetivo o estudo e ensino de fatores relacionados à iniciação e

gestão de uma empresa/negócio.

Empreendedor: aquele que inicia um empreendimento, uma

empresa ou compra uma já existente e segue em sua gestão

buscando melhorias e aperfeiçoamento.

Intraempreendedor: funcionário ou colaborador de uma

empresa que age como se fosse o dono do negócio, investindo

tempo e energia a fim de conseguir produzir resultados

excepcionais para a empresa, o que levará a ter diferenciais

como empregado.

Empreendimento: todo e qualquer projeto iniciado por um

empreendedor, que não precisa ser necessariamente uma

empresa.

Para Schneider e Castelo Branco (2012, p. 19),

“...empreendedorismo está relacionado à ação. Portanto,

empreendedores são aqueles que realizam algo, que mobilizam

recursos e correm riscos para iniciar negócios, para iniciar

organizações. Aquele que se propõe a empreender é alguém que

não fica na esfera dos sonhos e intenções; mas é alguém que

sonha e parte para a concretização.” (grifos dos autores)

Empreender é agir, é sair do mundo das ideias, dos sonhos, do

pensamento, é ir além, se diferenciar em busca de realização, de

concretização. É superar a barreira do medo inicial para

transformar em realidade algo projetado e pensado, sempre

visando a realização pessoal e/ou profissional. Embora não seja

um desafio fácil, é possível, ou não teríamos tantos

empreendimentos de sucesso.

Para Dornelas (2005), a origem, o primeiro exemplo de

empreendedorismo, pode ser visto na figura de Marco Pólo (que

viveu entre os anos de 1254-1324) e tentou estabelecer uma rota

comercial para o Oriente através de um contrato para que um

viajante vendesse suas mercadorias.

Já na Idade Média, o empreendedorismo pode ser entendido

através dos gerenciadores de grandes projetos de produção, nos

quais não se assumia grandes riscos – o empreendedor

trabalhava com recursos do governo do país onde atuava.

Posteriormente, no século XVII, é que o empreendedor começa a

correr algum risco ao tocar projetos por meio de um acordo

contratual com o governo para realizar algum serviço ou oferecer

algum produto. Richard Cantillon, importante escritor e

economista do século XVII, é considerado por muitos como um

dos criadores do termo empreendedorismo, tendo sido um dos

primeiros a diferenciar o empreendedor (aquele que assumia

riscos) do capitalista (aquele que fornecia o capital), segundo o

próprio Dornelas (2005).

No século XVIII é que surge uma separação entre os

termos/conceitos de capitalista e empreendedor, em função

provavelmente do início da industrialização de forma mais

estruturada e organizada, quando projetos de pesquisa eram

financiados e seus empreendedores buscavam inovação, como

por exemplo no caso de Thomas Edison, inventor que ficou

conhecido por desenvolver a lâmpada elétrica.

No final do século XIX e início do XX, os empreendedores foram

frequentemente confundidos com os gerentes ou

administradores, sendo analisados meramente de um ponto de

vista econômico: aqueles que organizam a empresa, pagam os

empregados, planejam, dirigem e controlam as ações

desenvolvidas na organização - mas sempre a serviço do

capitalista.

A seguir, Andrade (2010), apresenta alguns conceitos e seus

respectivos autores.

Tema: Conceito: Autor:

Teoria da

Administração

Científica

Tem como preocupação básica aumentar a

produtividade da empresa por meio do aumento de

eficiência no nível operacional. A abordagem é de

baixo para cima, ou seja, dos operários para a

gerência.

Frederick

W.Taylor

(1912)

Teoria Clássica da

Administração

Tem como principal preocupação aumentar a

eficiência da empresa por meio da forma e

disposição dos órgãos componentes da

organização (departamentos). Sua abordagem é de

cima para baixo, ou seja, da direção para a

execução.

Henri Fayol

(1916)

Empreendedorismo

É uma revolução silenciosa, que será para o século

XXI mais do que a Revolução Industrial foi para o

século XX.

Timmons

(1990)

Empreendedorismo

Empreendedorismo é um neologismo derivado da

livre tradução da palavra entrepreneurship e

utilizado para designar os estudos relativos ao

empreendedor, seu perfil, suas origens, seu sistema

de atividades, seu universo de atuação.

Dolabela

(1999)

Empreendedorismo

Gradativamente, o empreendedorismo vem se

firmando como uma grande possibilidade de opção

profissional. Atualmente, procura-se estimular o

fomento e geração de novos empreendimentos e,

mesmo que não se tenha um negócio próprio, o que

se espera de quem trabalha nas organizações é

que tenha espírito empreendedor e aja como se

fosse o dono do negócio.

Bulgacov

(1999)

Empreendedor É aquele que destrói a ordem econômica existente Schumpeter

pela introdução de novos produtos e serviços, pela

criação de novas formas de organização ou pela

exploração de novos recursos e materiais.

(1949)

Empreendedor

A palavra empreendedor (entrepreneur) tem origem

francesa e quer dizer aquele que assume riscos e

começa algo novo.

Hisrish

(1986)

Empreendedor

A palavra empreendedor, de emprego amplo, é

utilizada para designar principalmente as atividades

de quem se dedica à geração de riquezas, seja na

transformação de conhecimentos em produtos ou

serviços, na geração do próprio conhecimento ou na

inovação em áreas como marketing, produção, etc.

Dolabela

(1999)

Empreendedor

É aquele que cria um equilíbrio, encontrando uma

posição clara e positiva em um ambiente de caos e

turbulência, ou seja, identifica oportunidades na

ordem presente.

Kirzner

(1973)

Empreendedor
É uma pessoa que imagina, desenvolve e realiza

visões.

Dolabela

(1999)

Empreendedor