A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
89 pág.
AULA 1 HISTORIA DA SAUDE PUBLICA

Pré-visualização | Página 8 de 26

a usufruir os serviços 
oferecidos pelas caixas e pelos serviços previdenciários. 
Medicina Previdenciária 
(assistência médica restrita aos 
trabalhadores que exerciam atividade 
remunerada e aos seus dependentes) 
 
CAP 
 
trabalhadores de determinadas empresas; 
financiadas pelos empregados e 
empregadores. 
 
IAP 
 
trabalhadores de determinadas categorias 
profissionais; 
financiada pelos empregados, empregadores 
e governo. 
INPS e 
INAMPS 
unificação dos IAP, reunindo todos os 
trabalhadores; 
financiada pelos empregados, empregadores 
e governo. 
JERCIANE MACEDO DOS REIS - 640.276.783-20
 
 
 
 L e g i s l a ç ã o d o S U S C o m p l e t o e G r a t u i t o 
 
Página 26 
 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br 
( ) A saúde brasileira era organizada de duas formas distintas: (a) saúde pública prestada pelo 
MESP para toda a população, especialmente a mais carente; (b) assistência médica previdenciária 
prestada pelos IAP e posteriormente pelo INPS e INAMPS apenas aos trabalhadores com carteira 
de trabalho assinada. 
( ) A partir da nova Constituição Federal de 1946, as ações específicas e horizontais de saúde 
pública foram fortalecidas, com ênfase para os programas de pré-natal, vacinação, puericultura, 
tuberculose, hanseníase, doenças sexualmente transmissíveis e outros. 
( ) O Ministério da Saúde (MS) foi criado em 1953, desvinculado as ações de saúde pública do 
antigo Ministério da Educação e Saúde (MESP). 
a) F – V – V – V– F. 
b) F – F – V – V– V. 
c) V – V – F – V– V. 
d) V – V – V – F– V. 
e) V – V – V – V– V. 
COMENTÁRIOS: 
Durante o período da medicina previdenciária (CAPS, IAP, INPS e INAMPS), era evidente 
a disjunção entre saúde pública (voltada para o modelo de atenção à saúde sanitarista
14
 e 
campanhista) e assistência médica (exclusiva para os trabalhadores com vínculos trabalhistas 
formais). 
 
 
 
14 O modelo de atenção à saúde sanitarista surgiu a partir do início do século XX, expandindo a partir da década de 1930 com a 
instalação de centros e postos de saúde para atender, de modo rotineiro, determinados problemas de saúde. É caracterizado por 
campanhas sanitárias, programas especiais, vigilância epidemiológica, vigilância sanitária, etc. Formado por programas que se 
desenvolvem por meio de administração única e verticalizada. 
Assistência à Saúde no 
Período da Medicina 
Previdenciária 
Saúde Pública 
prestada pelo MESP e posteriormente 
pelo MS para toda a população; 
voltada para ações campanhistas e 
de combate a endemias. 
Assistência 
Médica 
exclusiva para os trabalhadores com 
vínculos trabalhistas formais. 
JERCIANE MACEDO DOS REIS - 640.276.783-20
 
 
 
 L e g i s l a ç ã o d o S U S C o m p l e t o e G r a t u i t o 
 
Página 27 
 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br 
O único item falso é o IV, já que as ações específicas de saúde pública (pré-natal, 
vacinação, puericultura, tuberculose, hanseníase, doenças sexualmente transmissíveis e outros) 
eram verticais, ou seja, eram desenvolvidas sem participação da população na sua elaboração e 
condução. 
Ora, durante o período da Constituição de 1946, existiam ações específicas de saúde pública 
(pré-natal, vacinação, puericultura, tuberculose, hanseníase, doenças sexualmente transmissíveis e 
outros). No entanto, essas ações eram específicas e verticais, ou seja, não levavam em 
consideração o acolhimento, vínculo, responsabilização pelo cuidado, busca ativa etc. 
Perceba que essas ações específicas de saúde pública eram realizadas com a abordagem no 
procedimento, na técnica e não centradas no individuo, família e comunidade. 
Por outro lado, o SUS preconiza ações de saúde pública centradas nos princípios da 
integralidade, equidade, universalidade, acolhimento, vínculo, responsabilização com o cuidado, 
humanização etc. 
Nessa esteira, o gabarito da questão é a letra D. 
 
9. (Questão elaborada pelo autor) O governo militar, durante os anos de 1964 a 1985, implantou 
reformas institucionais que afetaram profundamente a saúde pública e a medicina previdenciária. 
Em relação ao Sistema Nacional de Saúde implantado no Brasil, neste período, marque a 
alternativa incorreta. 
a) Este sistema caracterizou-se pelo predomínio financeiro das instituições previdenciárias e pela 
hegemonia de uma burocracia técnica que atuava no sentido da mercantilização crescente da 
saúde. 
b) Em 1966, foi criado o Instituto Nacional de Previdência Social (INPS), a partir da unificação de 
todos os Institutos de Aposentadoria e Pensões (IAP). Com isso, o INPS concentrou todas as 
contribuições previdenciárias, ao mesmo tempo que passou a gerir as aposentadorias, as pensões e 
a assistência médica de todos os trabalhadores formais. 
c) Apesar de a saúde pública ter sido valorizada, tornou-se uma máquina ineficiente e 
conservadora, cuja atuação restringia-se a campanhas de baixa eficácia. 
d) Os habitantes das regiões metropolitanas, submetidos a uma política concentradora de renda, 
eram vítimas das péssimas condições de vida que resultavam em altas taxas de mortalidade. 
e) As ações de saúde foram prejudicadas pela repressão política, com cassações de direitos 
políticos, exílio, intimidações, inquéritos policial-militares, aposentadoria compulsória de 
pesquisadores, falta de financiamento e fechamento de centros de pesquisas. 
 
JERCIANE MACEDO DOS REIS - 640.276.783-20
 
 
 
 L e g i s l a ç ã o d o S U S C o m p l e t o e G r a t u i t o 
 
Página 28 
 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br 
COMENTÁRIOS: 
No período da Ditadura Militar, a saúde 
pública foi desvalorizada. Ademais, tornou-se 
uma máquina ineficiente e conservadora, cuja 
atuação restringia-se a campanhas de baixa 
eficácia. 
A letra C é a alternativa incorreta, pois a 
saúde foi relegada ao segundo plano durante o 
período da Ditadura Militar. 
 
10. (Questão elaborada pelo autor) Em 1975, o modelo econômico implantado pela Ditadura 
Militar entra em crise. A população com baixos salários, contidos pela política econômica e pela 
repressão, passou a conviver com o desemprego e as suas graves consequências sociais, como 
aumento da marginalidade, das favelas e da mortalidade infantil. Dessa forma, avalie os itens 
abaixo em relação a esse período: 
1. Priorizava a medicina curativa, sendo incapaz de solucionar os principais problemas de saúde 
coletiva, como as endemias, as epidemias e os indicadores de saúde (mortalidade infantil, por 
exemplo). 
2. Gerou aumentos constantes dos custos da medicina curativa, centrada na atenção médico-
hospitalar de complexidade crescente. 
3. A diminuição do crescimento econômico do Brasil não teve repercussão na arrecadação do 
sistema previdenciário. 
4. Esse sistema foi incapaz de atender uma população cada vez maior de marginalizados que, sem 
carteira assinada e contribuição previdenciária, se via excluída do sistema. 
5. A prática de desvios de verba do sistema previdenciário para cobrir despesas de outros setores e 
para realização de obras por parte do governo federal era um dos maiores problemas desse 
sistema. 
6. A União continuava repassando recursos do Tesouro Nacional para o sistema previdenciário, 
visto este ser tripartite (empregador, empregado e União). 
Está correto o contido em 
a) 1, 2 e 3, apenas. b) 1, 3, 4 e 6, apenas. c) 1, 2, 4 e 5, apeenas. d) 2, 4, 5 e 6, apenas. e) 1, 2, 4, 5 e 6, 
apenas. 
Figura 6 - Ditadura Militar no Brasil (1964-1985). 
JERCIANE MACEDO DOS REIS - 640.276.783-20
 
 
 
 L e g i s l a ç ã o