A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
25 pág.
Primeiros Socorros Afogamento 1

Pré-visualização | Página 1 de 1

PRIMEIROS SOCORROS
Afogamento 
Professora Cláudia Denilze Andreoli
TIPOS DE ACIDENTES NA ÁGUA
Síndrome de Imersão - A Hidrocussão ou Síndrome de Imersão (vulgarmente 
conhecida como "choque térmico") - acidente desencadeado por uma súbita 
exposição á água mais fria que o corpo, levando a uma arritmia cardíaca que poderá 
levar a síncope (perda dos sentidos) ou a parada cardiorrespiratória (PCR). 
Hipotermia - A exposição da vítima à água fria reduz a temperatura normal do corpo 
humano, podendo levar a perda da consciência com afogamento secundário ou até 
uma arritmia cardíaca com parada cardíaca e consequente morte. 
MECANISMOS DA LESÃO: AFOGAMENTO
No afogamento, a função respiratória fica prejudicada pela entrada de líquido nas 
vias aéreas, interferindo na troca de oxigênio (O2) - gás carbônico (CO2) de duas 
formas principais:
MECANISMOS DA LESÃO: AFOGAMENTO
1. Obstrução parcial ou completa das vias aéreas superiores por uma coluna de
líquido, nos casos de submersão súbita (crianças e casos de afogamento
secundário) e/ou;
2. Pela aspiração gradativa de líquido até os alvéolos (a vítima luta para não 
aspirar).
Estes dois mecanismos de lesão provocam a diminuição ou abolição da passagem 
do O2 para a circulação e do CO2 para o meio externo, e serão maiores ou 
menores de acordo com a quantidade e a velocidade em que o líquido foi 
aspirado. Se o quadro de afogamento não for interrompido, esta redução de 
oxigênio levará a parada respiratória que consequentemente em segundos ou 
poucos minutos provocará a parada cardíaca.
AFOGAMENTO
DEFINIÇÃO
 Aspiração de fluido não corporal por submersão ou imersão.
Quanto ao tipo de água:
 Afogamento em água doce;
 Afogamento em água salgada.
Quanto à causa:
 Afogamento primário;
 Afogamento secundário.
Quanto à gravidade:
 DE 0 À 6° graus.
AFOGAMENTO
FISIOPATOLOGIA
 Líquido aspirado;
 Traquéia – brônquios – bronquíolos;
 Alvéolos pulmonares encharcados;
 Entrada de oxigênio prejudicada;
 Saída de gás carbônico prejudicada.
AFOGAMENTO
AFOGAMENTO EM ÁGUA DOCE
(Rios, tanques, lagos, piscinas, etc)
X
AFOGAMENTO EM ÁGUA SALGADA 
(Mar)
AFOGAMENTO EM ÁGUA DOCE
Os alvéolos perdem água para os vasos, por osmose, e ficam vazios.
A água dos vasos atinge os leucócitos (responsável pela imunidade), as
hemácias são destruídas e as plaquetas (que fazem a coagulação) se rompem.
O excesso de volume de água nos vasos atinge o coração, aumentando de
tamanho.
Não fazer massagem cardíaca, pois o coração poderá se romper por
excesso de pressão exercida tanto pela pessoa que está fazendo massagem
quanto pela água.
AFOGAMENTO EM ÁGUA SALGADA 
(Mar)
Na água salgada acontece o inverso da água doce, a água passa dos vasos
para os alvéolos por osmose, as hemácias, leucócitos e plaquetas murcham e 
o coração diminui. A pessoa que se afoga perde água o tempo todo pelo nariz, 
boca e ouvido.
Não é recomendável fazer massagem cardíaca nem respiração boca a boca, 
deve levar a vítima imediatamente ao hospital. 
AFOGAMENTO
AFOGAMENTO PRIMÁRIO
 Sem fator incidental ou patológico;
 Mais comum.
AFOGAMENTO
AFOGAMENTO SECUNDÁRIO
 Causado por patologia ou incidente associado.
 Traumatismos, drogas(álcool), etc.
Avaliação Inicial da Cena
 Segurança no local
 Mecanismo do Trauma ou da Lesão
 Número de Vítimas
 Bioproteção
 Apoio 
Parada Cárdio-Respiratória
Complicações da RCP:
 Fraturas e luxações de costelas;
 Pneumotórax;
 Lesão pulmonar;
 Hemotórax;
 Fratura de esterno;
 Lesão de fígado e/ou baço.
AFOGAMENTO
GRAUS DE AFOGAMENTO
Incidência de óbitos:
 Resgate;
 Grau 1;
 Grau 2;
 Grau 3;
 Grau 4;
 Grau 5;
 Grau 6.
0 %
0 %
0,6 %
5,2 %
19,4 %
44 %
93 %
AFOGAMENTO
GRAUS DE AFOGAMENTO
RESGATE:
 Vítima LOTE;
 Sem tosse;
 Sem espuma na boca ou no nariz;
 Sem evidência de aspiração de água.
Tratamento:
 Tranqüilizar a vítima;
 Pode ser liberada do local.
AFOGAMENTO
GRAU 1:
 Pequena quantidade de líquido aspirado;
 Tosse;
 Sem espuma na boca ou no nariz;
 Ausculta pulmonar normal.
Tratamento:
 Tranqüilizar a vítima;
 Repouso;
 Aquecimento;
 Pode ser liberada do local.
AFOGAMENTO
GRAU 2:
 Quantidade considerável de líquido aspirado;
 Vítima torporosa, agitada e/ou desorientada;
 Ausculta pulmonar com poucos estertores;
 Pode apresentar pequena quantidade de espuma na 
boca e/ou no nariz.
Tratamento:
 Oxigênio a 5 L/min
 Posição lateral de segurança sob o lado direito;
 Repouso e aquecimento;
 Necessita de atendimento médico-hospitalar.
AFOGAMENTO
GRAU 3:
 Muita quantidade de líquido aspirado;
 Ausculta pulmonar com muitos estertores;
 Edema agudo de pulmão;
 Apresenta grande quantidade de espuma na boca 
e/ou no nariz;
 Pulso periférico palpável.
Tratamento:
 Oxigênio de 10 a 15 L/min;
 Posição lateral de segurança sob o lado direito;
 Necessita de atendimento médico-hospitalar urgente.
AFOGAMENTO
GRAU 4:
 Muita quantidade de líquido aspirado;
 Ausculta pulmonar com muitos estertores;
 Edema agudo de pulmão;
 Apresenta grande quantidade de espuma na boca 
e/ou no nariz;
 Pulso periférico ausente.
Tratamento:
 Oxigênio de 10 a 15 L/min;
 Posição lateral de segurança sob o lado direito;
 Necessita de atendimento médico-hospitalar urgente.
AFOGAMENTO
GRAU 5:
 Parada respiratória;
 Pulso central palpável;
Tratamento:
 Ventilação artificial com Oxigênio a 15 L/min;
 Após retorno espontâneo na respiração, tratar como 
GRAU 4;
 Necessita de atendimento médico-hospitalar urgente.
AFOGAMENTO
GRAU 6:
 Parada cárdio-respiratória;
 Pulso periférico e central ausente;
Tratamento:
 RCP com oxigênio a 15 L/min;
 Após retorno de pulso palpável, tratar como GRAU 5;
 Necessita de atendimento médico-hospitalar urgente.
Verificar a resposta do Afogado
Você está me ouvindo ?
Verificar tosse e espuma pela boca e nariz
SIMNÃO
Desobstruir vias aéreas com manobra manual
Precauções com a coluna se indicadas
Verificar respiração
Ausente Presente
Fazer 2 respirações
Verificar pulso do pescoço
AusenteTosse 
sem espuma
Espuma em
pequena
quantidade
Espuma em grande
quantidade
ResgateGrau 6 Grau 5
PresenteAusente
Grau 1
Verificar pulso radial
Grau 2Grau 4 Grau 3
PresenteAusente
AFOGAMENTO
AFOGAMENTO
CURIOSIDADES SOBRE AFOGAMENTO:
 1 a 3 mL/Kg de peso corporal de água aspirada reduzem
em até 50 % da troca gasosa;
 Afogado seco x afogado molhado;
 O maior tempo registrado, em todo mundo, de submersão
em água fria, sem seqüela neurológica é de 66 minutos;
 O CRA do Gmar (Rio de Janeiro) registrou um caso de
afogamento com tempo de submersão superior a 10
minutos sem seqüela neurológica.
 Existem casos de reanimação de afogados com mais de 40
minutos de RCP, porém, com seqüelas neurológicas
Recomendações
 Mantenha a calma e realize todos os
procedimentos de primeiros socorros treinados
 Lembre-se de somente realizar o transporte até o
hospital após ser feitos todos os procedimentos de
primeiros socorros no local e que você tenha todos
os recursos necessários para a sua realização
 Atenção: você pode ser a diferença entre a vida e
a morte ! Tome uma decisão consciente e segura
REFLEXÃO
Ser SOCORRISTA não é uma
diversão, mas sim uma nobre profissão
onde o profissionalismo e os
conhecimentos adquiridos podem fazer a
diferença entre a vida e a morte.
Pensem nisto !!!

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.