5367ipea_china_miolo_07_11_11
354 pág.

5367ipea_china_miolo_07_11_11


DisciplinaGeopolítica do Espaço Mundial5 materiais85 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Governo Federal
Secretaria de Assuntos Estratégicos da 
Presidência da República 
Ministro Wellington Moreira Franco
Presidente
Marcio Pochmann
Diretor de Desenvolvimento Institucional
Geová Parente Farias
Diretor de Estudos e Relações Econômicas 
e Políticas Internacionais, Substituto
Marcos Antonio Macedo Cintra
Diretor de Estudos e Políticas do Estado, 
das Instituições e da Democracia
Alexandre de Ávila Gomide
Diretora de Estudos e Políticas Macroeconômicas
Vanessa Petrelli Corrêa
Diretor de Estudos e Políticas Regionais, Urbanas 
e Ambientais
Francisco de Assis Costa
Diretor de Estudos e Políticas Setoriais
de Inovação, Regulação e Infraestrutura, Substituto
Carlos Eduardo Fernandez da Silveira
Diretor de Estudos e Políticas Sociais
Jorge Abrahão de Castro
Chefe de Gabinete
Fabio de Sá e Silva
Assessor-chefe de Imprensa e Comunicação
Daniel Castro
Ouvidoria: http://www.ipea.gov.br/ouvidoria
URL: http://www.ipea.gov.br
Fundação públ ica v inculada à Secretar ia de 
Assuntos Estratégicos da Presidência da República, 
o Ipea fornece suporte técnico e institucional às 
ações governamentais \u2013 possibilitando a formulação 
de inúmeras políticas públicas e programas de 
desenvolvimento brasi leiro \u2013 e disponibi l iza, 
para a sociedade, pesquisas e estudos realizados 
por seus técnicos.
Brasília, 2011
© Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada \u2013 ipea 2011
As opiniões emitidas nesta publicação são de exclusiva e inteira responsabilidade dos autores, não 
exprimindo, necessariamente, o ponto de vista do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada ou da 
Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República.
É permitida a reprodução deste texto e dos dados nele contidos, desde que citada a fonte. 
Reproduções para fins comerciais são proibidas.
A China na nova configuração global : impactos 
 políticos e econômicos / organizadores: Rodrigo
 Pimentel Ferreira Leão, Eduardo Costa Pinto,
 Luciana Acioly.- Brasília : Ipea, 2011.
 352 p. : gráfs., tabs.
 Inclui bibliografia.
 ISBN 978-85-7811-119-9
 1. Crescimento Econômico. 2. Desenvolvimento
Econômico. 3. Política Econômica. 4. China. I. Leão,
Rodrigo Pimentel Ferreira. II. Pinto, Eduardo Costa.
III. Silva, Luciana Acioly da. IV. Instituto de 
Pesquisa Econômica Aplicada.
 CDD 338.951
A China na nova configuração global : impactos 
 políticos e econômicos / organizadores: Rodrigo
 Pimentel Ferreira Leão, Eduardo Costa Pinto,
 Luciana Acioly.- Brasília : Ipea, 2011.
 352 p. : gráfs., tabs.
 Inclui bibliografia.
 ISBN
 1. Crescimento Econômico. 2. Desenvolvimento
Econômico. 3. Política Econômica. 4. China. I. Leão,
Rodrigo Pimentel Ferreira. II. Pinto, Eduardo Costa.
III. Silva, Luciana Acioly da. IV. Instituto de 
Pesquisa Econômica Aplicada.
 CDD 338.951
 
Sumário
APrESENTAÇÃo .................................................................................7
PrEFáCio ..........................................................................................9
iNTroDuÇÃo ...................................................................................13
CAPÍTuLo 1
O EIXO SINO-AMERICANO E AS TRANSFORMAÇÕES DO SISTEMA 
MUNDIAL: TENSÕES E COMPLEMENTARIDADES COMERCIAIS, 
PRODUTIVAS E FINANCEIRAS .....................................................................19
Eduardo Costa Pinto
CAPÍTuLo 2
A ASCENSÃO CHINESA: IMPLICAÇÕES PARA AS 
ECONOMIAS DA EUROPA ..........................................................................79
Sandra Poncet
CAPÍTuLo 3
A ARTICULAÇÃO PRODUTIVA ASIÁTICA E OS EFEITOS 
DA EMERGÊNCIA CHINESA ......................................................................115
Rodrigo Pimentel Ferreira Leão
CAPÍTuLo 4
CHINA E ÍNDIA NO MUNDO EM TRANSIÇÃO: O SISTEMA 
SINOCÊNTRICO E OS DESAFIOS INDIANOS ...............................................165
Diego Pautasso
CAPÍTuLo 5
A ASCENSÃO CHINESA E A NOVA GEOPOLÍTICA E GEOECONOMIA 
DAS RELAÇÕES SINO-RUSSAS ..................................................................195
William Vella Nozaki
Rodrigo Pimentel Ferreira Leão
Aline Regina Alves Martins
CAPÍTuLo 6 
A EXPANSÃO DA CHINA PARA A ÁFRICA: 
INTERESSES E ESTRATÉGIAS ....................................................................235
Padraig Carmody
Francis Owusu
CAPÍTuLo 7
CHINA E AMÉRICA LATINA NA NOVA DIVISÃO 
INTERNACIONAL DO TRABALHO ..............................................................269
Alexandre de Freitas Barbosa
CAPÍTuLo 8
CHINA E BRASIL: OPORTUNIDADES E DESAFIOS .......................................307
Luciana Acioly
Eduardo Costa Pinto
Marcos Antonio Macedo Cintra
NoTAS BiográFiCAS......................................................................351
APRESENTAÇÃO
A última década do século XX foi marcada pelo fim da Guerra Fria (1947-1991), 
que gerou modificações importantes no sistema internacional em decorrência do au-
mento do poder dos Estados Unidos tanto no âmbito político como no econômico. 
O domínio destes só não foi total no plano econômico, àquela época, em virtude 
da nova emergência produtiva da Ásia \u2013 mais especificamente do Sudeste Asiático \u2013, 
capitaneada no primeiro momento pelo Japão e posteriormente pela China.
Na década de 2000, esse milagre asiático deixou de ser fenômeno regional 
para se tornar realidade mundial, ultrapassando as fronteiras do espaço geográfico 
asiático. A China, líder dessa dinâmica, tornou-se o principal produtor e expor-
tador mundial de manufaturas e importante mercado consumidor de máquinas 
e equipamentos da Europa e dos países asiáticos mais desenvolvidos, assim como 
de matérias-primas de países da América Latina, da África e da Ásia em desen-
volvimento. Da mesma forma que a Inglaterra fez durante a Primeira Revolução 
Industrial, a China tem alterado a divisão internacional do trabalho e tem sido 
considerada a fábrica do mundo.
Será que a ascensão chinesa está provocando mudanças estruturais no 
sistema mundo? Essa questão ganhou ainda mais relevância com a crise de 2008, 
pois geralmente são nesses momentos de crise que se abrem possibilidades para 
que alguns Estados consigam subir na hierarquia do sistema mundial.
Para muitos, a manifestação da grave crise global desde 2008 tornou mais 
claro o conjunto de sinais da decadência relativa dos Estados Unidos, evidenciando 
um novo deslocamento do centro dinâmico da América (Estados Unidos) para 
a Ásia (China) e o reaparecimento da multicentralidade geográfica mundial. 
Esse quadro permitiu aos países de grande dimensão geográfica e populacional 
assumirem maior responsabilidade no desenvolvimento mundial, tais como o 
Brasil, a Índia, a Rússia e a África do Sul, além, é claro, da China, que tem sido a 
grande propulsora dessas transformações.
Para outros, ainda é muito cedo para afirmar a decadência dos Estados Unidos \u2013 
e incorrer no mesmo erro dos analistas dos anos 1970 que decretaram o fim 
da hegemonia norte-americana \u2013, dadas as fontes de poder da ordem capitalista 
que este país ainda detém: a moeda e as armas. Isso não significa afirmar que os 
Estados Unidos perderam poder relativo, sobretudo em decorrência da ascensão 
da China, mas sim que os Estados Unidos ainda possuem grande \u201cestoque\u201d de 
poder, apesar de sua redução no período recente.
8 A China na Nova Configuração Global: impactos políticos e econômicos
Independentemente de uma ou outra trajetória, existem evidências claras 
de que a ascensão da China no sistema mundial tem provocado modificações 
profundas na ordem política e econômica nesse início de século XXI. 
A compreensão do papel da China nessa dinâmica complexa requer cada