Trabalho individual de PGIII.docx JACKLINNY
12 pág.

Trabalho individual de PGIII.docx JACKLINNY


DisciplinaPsicologia Geral Experimental III5 materiais62 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Dedicatória 
Dedico este trabalho aos meus pais, professores e amigos.
Agradecimento
Agradeço primeiramente á Deus, pela fortaleza que me tem dado todos os dias, para concluir este trabalho com êxito, aos meus amigos que me ajudaram, familiares que de certa forma me incentivaram para não desistir de fazê-lo.
O indivíduo será responsável por tudo quanto fizer, e sua liberdade deverá respeitar a liberdade do outro (Kant). Até os actos inconscientes são da responsabilidade do sujeito (Lacan).
	
 Epígrafe
Resumo
Dôr é uma experiência pessoal e subjetiva influenciada por fatores culturais,
situacionais, atentivos e outras variáveis psicológicas.
Abordagens para a mensuração de dor incluem variados instrumentos, tais como, escalas verbais, numéricas, observacionais, questionários, autorregistros e respostas fisiológicas.
Nesta revisão, descrevemos e analisamos como as sofisticadas técnicas psicofísicas podem ser designadas para mensurar separadamente as dimensões sensoriais e afectivas da percepção de dôr.
Destacamos que estas técnicas produzem mensurações válidas e
fidedignas da percepção de dôr, com propriedades de escalonamento de razão e,
também, podem ser usadas, facilmente, em ambientes clínicos.
Objectivo 
O objetivo era situar a Psicofísica dentro do campo da Psicologia e as leis e os métodos psicofísicos serão abordados futuramente.
 Índice
I \u2013 Capa 
II - Folha de rosto
III \u2013 Dedicatória 
IV \u2013 Agradecimentos 
V \u2013 Epígrafe 
VI \u2013 Resumo 
VII \u2013 Objectivo 
Introdução ................................................................................................. 1
Desenvolvimento ....................................................................................... 2
Conclusão ................................................................................................... 5
Referências Bibliográficas .........................................................................6
INTRODUÇÃO
Psicofísica é a área da ciência que estuda as relações entre as sensações subjetivas e os estímulos físicos e estabelece relações quantitativas entre eles. Dentre os mais famosos estudiosos dessa área estão os psicólogos Wilhelm Wundt e Gustav Theodor Fechner e o fisiólogo Ernst Heinrich Weber que estabeleceram diversas leis que levam seus nomes.
A Lei de Weber-Fechner diz que quanto mais intenso um estímulo maior a diferença necessária para que seja percebida uma diferença entre eles. Ou seja, para estímulos pequenos uma pequena diferença é suficiente enquanto para estímulos grandes é necessário uma grande variação para que tenha diferença nas sensações associadas. 
Fechner acrescentou que essa mudança segue uma constante. Dentre termos importantes em psicofísica estão o de limiar absoluto, que é o mínimo de um estímulo que causa uma sensação, e o de limiar diferencial ou diferença no limiar do observável que é a diferença mínima entre dois estímulos para que seja discriminada alguma diferença entre eles.
O laboratório de Wundt permitiu que a psicologia se separasse da filosofia e fosse reconhecida como ciência com a introdução de noções como quantificar e mensurar. Até então a psicologia limitava-se aos fenômenos da consciência e esta era considerada inacessível do ponto de vista científico. Até o famoso filósofo e matemático René Descartes afirmou que a consciência não podia ser estudada com métodos reconhecidamente científicos, como ocorria nos campos da Física, da Biologia e da Química. Mas como Wundt conseguiu superar essa dificuldade e investigar a relação entre a mente/consciência e o mundo físico/material?
A resposta é: graças à Psicofísica. Esta disciplina estuda a relação entre os estímulos físicos (por exemplo, a luminosidade de uma sala, o peso de um objecto) e a experiência sensorial, isto é, uma dimensão psicológica (quão clara a sala está e quão pesado é o objecto para você). E foi com experimentos com base psicofísica, que Wundt empreendeu esforços para dividir os processos mentais em seus componentes mais básicos.
Entretanto, não foi Wundt que iniciou essa maneira de investigar os fenômenos mentais. Os primeiros experimentos psicofísicos, principalmente sobre a sensação tátil, foram realizados por Ernst Heinrich Weber, professor de anatomia e fisiologia da Universidade de Leipzig. Isso mesmo, a mesma de Wundt. Numa época sem a rede mundial de computadores, estar próximo de grandes cientistas era fundamental para que boas idéias fossem fomentadas e desenvolvidas. Apesar dos estudos de Weber, o começo da psicofísica é creditado à Gustav Theodor Fechner, um médico nomeado como professor de física na universidade de Leipzig.
Fechner sonhava em descobrir uma equação que relacionasse o aspecto psíquico e o aspecto físico da realidade. Dessa maneira, acreditava que eliminaria o dualismo mente-corpo. Fechner conhecia os estudos de Weber e mais tarde reconheceu sua importância para a Psicofísica, inclusive o que hoje denominamos Lei de Fechner, foi por ele chamada Lei de Weber.
Desse modo, pode-se afirmar que a Psicofísica precede a Psicologia. A Psicofísica é, portanto, a primeira e mais antiga disciplina no amplo campo da Psicologia Experimental. Infelizmente, o ensino da Psicofísica ou é negligenciado ou é totalmente ignorado nos cursos de graduação em Psicologia. Por isso, a maioria dos graduandos não sabe responder à pergunta que dá nome a este texto. Triste situação.
Embora as pessoas que a estudem não sejam numerosas, nestes 160 anos a Psicofísica se desenvolveu bastante, surgiram idéias e conceitos importantes e foram desenvolvidos métodos de mensuração para campos da ciência tão diversos como cartografia, ergonomia, criminologia e educação física. Além disso, encontra-se a Psicofísica aplicada em avaliação de comidas e bebidas, desenvolvimento de perfumes, avaliação de dor e diagnósticos médicos. Como se pode notar é um assunto amplo e não houve a pretensão de esgotá-lo.
Entretanto, a Física e a Fisiologia muito contribuíram para que a Psicologia encontrasse gradualmente o seu caminho de experimentação, de quantificação e de mensuração, embora os cientistas que inicialmente ajudaram-na a tornar-se uma ciência não tenham tido absolutamente esta intenção. 
Os cientistas que abriram este caminho para a Psicologia foram Ernst Heinrich Weber (1795-1878), Professor de Anatomia e depois também de Fisiologia na Universidade de Leipzig; Gustav Theodor Fechner (1801-1887), formado em Medicina também em Leipzig e depois Professor de Física. Fechner, em especial, dedicou-se intensamente aos estudos de Psicofísica e propôs uma relação experimental entre o mundo espiritual (metafísico) e o mundo material (físico). 
Certamente, foram estes dois grandes cientistas que preparam e fertilizaram o caminho para que, em 1879, Wilhelm Wundt, fisiologista, fundasse, também na Universidade de Leipzig, o primeiro laboratório de psicologia experimental exclusivamente devotado à investigação dos processos psicológicos. 
Devido à contribuição destes dois cientistas, alguns psicólogos, principalmente os historiadores, acreditam que o marco da Psicologia como ciência não é o ano de 1879, quando ocorreu a fundação do Laboratório de Wundt, mas sim, o ano de 1860, data da publicação do livro de Fechner intitulado Elementos de Psicofísica, no qual ele delineou os métodos e a teoria da mensuração da sensação e, forneceu, portanto, as ferramentas básicas para o estudo da mente (hoje, comportamento ou processos sensoriais/perceptuais).
Posteriormente, já no século XX, Stanley Smith Stevens (1906-1973), Professor de Psicofísica da Universidade de Harvard, criador da Psicoacústica