Evol Echinodermata e Lophophorata
16 pág.

Evol Echinodermata e Lophophorata


DisciplinaInvertebrados II65 materiais2.764 seguidores
Pré-visualização1 página
Evolução de Lophophorata e 
Echinodermata
Prof. Leandro Manzoni Vieira
Universidade Federal de Pernambuco
Biologia Animal 2
Hipótese mais aceita sobre relacionamento entre os Bilateria
Filogenia dos Lophophorata
Hipótese mais aceita sobre relacionamento entre os Bilateria
Sistema Nervoso
Deuterostomia vs Protostomia
Celoma: origens independentes em Protostomia e
Deuterostomia.
*origem da mesoderme (que envolve a cavidade) é diferente em
vários desses grupos.
Celoma: cavidade rodeada por mesoderme
Mesoderme: 4 origens embrionárias diferentes, dificulta o
estabelecimento de homologia entre os celomas.
- A partir do lábios blastoporais ou a partir da célula 4d (na
clivagem espiral) \u2013 maioria dos Protostomia.
- Mesoderme formada de várias partes do arquenteron \u2013
característica de Deuterostomia.
Regionalização arquimérica
(não existe em 
Protostomia) 
Corpo dividido em 3 
regiões: prossomo, 
mesossomo, metassomo
Celomas : proceloma, 
mesoceloma, metaceloma
Metassoma: maior parte do 
corpo em todos os filos
Deuterostomia 
Ambulacraria 
[larva]
Ambulacraria
Análises recentes de genética molecular sugerem a 
inclusão do filo Hemichordata no novo táxon 
AMBULACRARIA, junto com Echinodermata (e 
Xenoturbellida - Xenoturbella bocki, um verme 
marinho descrito em 1949). Desta forma, 
Ambulacraria é atualmente considerado o grupo-
irmão dos cordados.
Os hemicordados compreendem:
\ufffd Enteropneusta - solitários, vermiformes, 
com tubo digestivo reto e muitas fendas 
faríngeas. Ex. Balanoglossus) 
\ufffd Pterobranchia - agregados ou coloniais, 
com tubo digestivo em forma de U, poucas 
fendas faríngeas, e tentáculos flitradores. 
Ambulacraria \u2192 Chordata
\u2022 Os parentescos entre os cordados e os ambulacrários 
não são claramente compreendidos. Entretanto, ambos 
são deuterostômios e assim ligados por diversos 
aspectos embrionários particulares, tais como sua 
clivagem e a forma de suas larvas.
\u2022 Os ambulacrários apresentam larvas livre-natantes com 
simetria bilateral, semelhantes às larvas dos cordados 
(mesmo os grupos sésseis), embora tais larvas sejam 
ciliadas e possuam locomoção limitada.
\u2022 Os hemicordados, por ex., apresentam fendas faríngeas 
utilizadas na alimentação por filtração.
Chordata
Ambulacralia
Deuterostomia
Crinoidea: Coroa e pedúnculo, 
pínulas e canal circular com vários 
canais pétreos
Eleutherozoa: vágeis, superfície oral
Madreporito, pés ambulacrais 
locomotores, espinhos móveis
Echinozoa: superfície oral e 
ambulacros expandem no sentido 
oral; ossiculos (anel em torno da 
faringe), fileiras ambulacrais, pés 
ambulacrais com ventosas