A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
Curso Novo Acordo 1

Pré-visualização | Página 1 de 3

Novo Acordo Ortográfico 
 
 
Marcelo Paiva 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2014 
 
 
 
2 
 
Dados do autor 
 
 Mestre em Linguística e pós-graduado em Português Jurídico e 
Direito Público, Marcelo Paiva, autor de 32 livros, é professor em diversos 
órgãos públicos, empresas e universidades no Brasil e em Portugal (Supremo 
Tribunal Federal, Superior Tribunal de Justiça, Tribunal Superior Eleitoral, 
Tribunal de Contas da União, Ministério Público da União, Conselho Nacional 
de Justiça, Superior Tribunal Militar, Anatel, Polícia Federal, Tribunais 
Regionais, Tribunais de Justiça, Ministérios, etc). 
 Marcelo Paiva leciona Língua Portuguesa há 29 anos e 
desenvolve cursos presenciais e a distância sobre o prático de nosso idioma 
em instituições públicas e privadas. 
 
 
 
 
 
 
3 
 
 
Sumário 
 
 
 
 
1. Novo Acordo Ortográfico .......................................................................................... 4 
1.1 O novo alfabeto ...................................................................................................... 4 
1.2 Trema ..................................................................................................................... 4 
1.3 Acentuação gráfica ................................................................................................ 4 
1.4 Palavras com diferenças de pronúncia .................................................................. 5 
1.5 Acentuação gráfica por outros motivos .................................................................. 5 
1.6 Alterações ortográficas devido à fonética .............................................................. 7 
1.7 Hífen ....................................................................................................................... 9 
1.7.1 Hífen em locuções ............................................................................................ 12 
Conclusão ................................................................................................................... 18 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
4 
 
1. Novo Acordo Ortográfico 
 
 A obrigatoriedade do uso do Acordo Ortográfico de Língua 
Portuguesa, assinado em 2008, foi adiada por mais três anos. O novo prazo 
para entrada em vigor do acordo é 1º de janeiro de 2016. Apesar de as duas 
formas estarem corretas até essa data, procure padronizar o texto. Opte 
apenas por uma das formas. 
 
1.1 O novo alfabeto 
 
 As letras “k”, “w” e “y” passarão a ser oficialmente incorporadas ao 
alfabeto da língua portuguesa. Os dicionários já registram há muito essas 
letras, que figuram em palavras como kafkiano, wagneriano, hollywoodesco 
etc. e os países africanos possuem muitas palavras escritas com elas, como 
kizomba. Assim, o alfabeto da língua portuguesa passa legalmente a ser 
formado por vinte e seis letras: A, B, C, D, E, F, G, H, I, J, K, L, M, N, O, P, Q, 
R, S, T, U, V, W, X, Y, Z. 
 
1.2 Trema 
 
 Outra regra consiste na completa eliminação da diérese (mais 
conhecida por trema) em palavras formadas por qü e gü em que o u é 
pronunciado de forma átona, como em freqüência e lingüiça. Passa-se a 
escrever frequencia e linguiça respectivamente. Portugal já havia retirado o 
sinal. A mudança afeta a ortografia no Brasil. 
 
1.3 Acentuação gráfica 
 
 Poucos idiomas no mundo fazem uso de regras tão complexas na 
acentuação gráfica de suas palavras como o português. As divergências entre 
 
5 
 
Brasil e Portugal eram muitas. As reformas de 1971 (Brasil) e 1973 (Portugal) 
avançaram bastante, mas não unificaram as regras de acentuação. Optou-se, 
no novo acordo, por aceitar dupla grafia em alguns casos e eliminar o acento 
em outros. 
 
1.4 Palavras com diferenças de pronúncia 
 
 Algumas palavras são pronunciadas em Portugal com o som 
tônico aberto e recebem acento agudo. No Brasil, a pronúncia é fechada e o 
acento é o circunflexo. O Acordo passa a permitir as duas grafias como 
corretas no idioma. 
 
 
Portugal Brasil 
cómodo cômodo 
fenómeno fenômeno 
tónico tônico 
génio gênio 
bebé bebê 
António Antônio 
Académico Acadêmico 
Amazónia Amazônia 
 
1.5 Acentuação gráfica por outros motivos 
 
 Com relação à acentuação gráfica das palavras, o Novo Acordo 
estabelece regras de acentuação com base na posição da sílaba tônica 
(oxítonas, paroxítonas, proparoxítonas, considerando oxítonos os 
monossílabos tônicos). O Acordo reduz o número de palavras acentuadas e só 
modifica as regras de palavras paroxítonas. 
 
 
6 
 
Modificação 1: o acento gráfico nos ditongos abertos tônicos “ói” e “éi” 
nas palavras paroxítonas desaparece. Nos vocábulos oxítonas, ele se mantém, 
como em herói, céu, dói, por exemplo. 
 
Antes Acordo 
idéia ideia 
jibóia jiboia 
heróico heroico 
 
 
Modificação 2: o hiato “oo(s)” das palavras paroxítonas deixa de 
receber acento circunflexo. 
 
Antes Acordo 
abençôo abençoo 
enjôo enjoo 
vôo voo 
 
Modificação 3: o hiato “eem” das formas verbais dos verbos crer, dar, 
ler, ver (e seus derivados) deixa de receber acento circunflexo. 
 
Antes Acordo 
crêem creem 
dêem deem 
descrêem descreem 
lêem leem 
prevêem preveem 
relêem releem 
vêem veem 
 
Observação: os acentos nas formas “têm”, “vêm” e derivados não 
sofrem alteração. Apenas as formas verbais que dobram o “e”: eles têm, eles 
vêm, eles retêm. 
 
7 
 
 
Modificação 4: os hiatos tônicos formados por “i” e “u” deixam de 
receber acento após ditongo quando paroxítonas. 
 
Antes Acordo 
feiúra feiura 
baiúca baiuca 
 
Observação: quando oxítonas, a regra continua a mesma: Piauí. 
 
Modificação 5: não se acentua mais a vogal “u” tônica dos encontros 
gue, gui, que, qui. 
 
Antes Acordo 
apazigúe apazigue 
averigúe averigue 
 
Modificação 6: não se coloca mais acento diferencial nas palavras 
homógrafas heterofônicas. No entanto, o Acordo prevê dois acentos 
diferenciais obrigatórios (pôde e pôr) e dois facultativos (fôrma e dêmos). 
 
Antes Acordo 
pára para 
pólo polo 
pêra pera 
côa coa 
 
1.6 Alterações ortográficas devido à fonética 
 
O novo Acordo privilegia o critério fonético sobre o critério etimológico. É 
o que ocorre com a supressão, do lado lusoafricano, das chamadas 
consoantes mudas em palavras como ato (e não acto), direção (e não 
 
8 
 
direcção), ótimo (e não óptimo). Esta supressão, há muito consagrada do lado 
brasileiro, facilita a aprendizagem e o ensino da ortografia nas escolas. Estudos 
indicam que haverá, em Portugal, alteração de aproximadamente 0,54% dos 
vocábulos. Embora a quantidade possa parecer pequena, muitas dessas 
palavras são de uso frequente no dia a dia lusitano. 
 
Antes Acordo 
accionamento acionamento 
coleccionador colecionador 
leccionar lecionar 
acção ação 
colecção coleção 
fracção fração 
acta ata 
activar ativar 
dialecto dialeto 
adopção adoção 
adoptar adotar 
óptimo ótimo 
 
Mantêm-se inalterados vocábulos em que a pronúncia da consoante for 
percebida: ficcional, perfeccionismo, convicção, sucção, bactéria, néctar, 
núpcias, corrupção, opção, adepto, inepto, erupção, rapto, opcional, egípcio. 
De forma a contemplar as diferenças fonéticas, existem abundantes 
casos de exceções previstas no Acordo. Admite-se, assim, a dupla grafia em 
muitas palavras: facto-fato, secção-seção, aspeto-aspecto, amnistia-anistia, 
dicção-dição, sector-setor, caraterística-característica, intersecção-interseção,