A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
104 pág.
Apostila de Gerenciamento de Riscos

Pré-visualização | Página 13 de 16

sobre o valor agregado e dados de previsões que 
ajudam a analisar a tendência dos riscos do projeto. 
 
REAVALIAÇÃO DE RISCOS: a reavaliação deve ocorrer periodicamente e a 
frequência ou os parâmetros usados para avaliar devem estar documentados 
no Plano de Gerenciamento dos Riscos. A necessidade de uma maior ou 
menor frequência para a reavaliação dos riscos, depende do andamento do 
projeto em relação aos seus objetivos. Devemos nos lembrar de que os riscos 
dos projetos ameaçam o cumprimento dos objetivos do projeto. 
 
AUDITORIA DE RISCOS: o objetivo das auditorias é avaliar a eficácia das 
respostas que foram planejadas para lidar com os riscos do projeto e do 
processo de gerenciamento dos riscos que está definido no Plano de 
Gerenciamento de Riscos. As auditorias devem ser programadas 
regularmente cuja frequência e forma devem ser definidas no Plano de 
Gerenciamento de Riscos. 
 
ANÁLISES DA VARIAÇÃO E TENDÊNCIAS: monitorar e analisar as 
variações com o objetivo de entender os motivos dessas variações nos 
ajudam a compreender as tendências nos resultados do projeto. Com tais 
informações, podemos trabalhar os riscos e ajustá-los. 
 
MEDIÇÃO DE DESEMPENHO TÉCNICO: em geral, essas medidas são: 
ponderações, número de transações por período de tempo, número de 
defeitos entregues, capacidade de armazenamento e outras medidas técnicas 
 
 83 
que indiquem que o produto está de acordo com os requisitos do cliente. Os 
desvios indicam o grau de risco técnico do projeto. 
 
ANÁLISE DE RESERVAS: ao fazer a análise quantitativa do projeto e as 
respostas aos riscos, são definidas reservas de contingência. Essas reservas 
estão baseadas em riscos que podem ou não acontecer. Com o passar do 
tempo, alguns riscos identificados vêm a acontecer ou não e, além disso, 
novos riscos podem surgir. Então, devemos avaliar se as reservas restantes 
estão de acordo com a lista atualizada de riscos. 
 
REUNIÕES DE ANDAMENTO: nas reuniões de andamento do projeto, 
devemos também abordar os riscos. Dependendo da quantidade de riscos 
prioritários e da complexidade do tratamento deles, demandaremos mais ou 
menos tempo durante as reuniões. Dependendo do tempo necessário, 
podemos agendar reuniões específicas periódicas para tratar somente dos 
riscos. Quanto maior a frequência das reuniões onde se discutem os riscos, 
mais fácil será o gerenciamento deles. 
 
ATUALIZAÇÃO DO REGISTRO DOS RISCOS: o registro dos riscos será 
atualizado com os novos riscos encontrados, as atualizações nas informações 
de probabilidades e os impactos dos riscos, resultando em nova priorização, 
alteração nos planos de respostas ou inclusão de novos planos de respostas, 
encerramento de riscos que não irão mais ocorrer e atualização nos valores 
das reservas de risco. 
 
SOLICITAÇÃO DOS ATIVOS DE PROCESSOS ORGANIZACIONAIS: 
conforme a evolução do processo de gerenciamento de riscos, podemos 
verificar oportunidades de melhorias, o que pode implicar na atualização 
desses documentos. 
 
SOLICITAÇÃO DE MUDANÇAS: as respostas aos riscos podem incluir 
planos de contingência e/ou soluções de contorno que geram solicitações de 
 
 84 
mudança no projeto. As ações corretivas incluem os planos de contingência e 
planos de contornos feitos para lidar com os riscos emergentes que não 
foram identificados ou que foram aceitos. As ações preventivas são feitas 
para manter a conformidade do projeto em relação ao Plano de 
Gerenciamento do Projeto, sendo, portanto, ações no plano de resposta ao 
risco antes de ele acontecer. 
 
ATUALIZAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO: é 
possível haver mudanças aprovadas, devido ao gerenciamento de riscos, que 
podem afetar os documentos do Plano de Gerenciamento do Projeto, e, por 
isso, devem ser revisados para conter essas mudanças. 
 
ATUALIZAÇÃO DOS DOCUMENTOS DO PROJETO: os documentos do 
projeto podem requerer atualizações no processo de planejamento de 
resposta aos riscos. 
 
Responsabilidades e Oportunidades 
O gerenciamento do projeto e dos riscos do projeto não devem ser praticados 
de maneira arbitrária, mas conforme técnicas reconhecidas eficientes, onde 
se destacam as recomendações do PMI (Project Management Institute). 
Nesse sentido, encerrando a nossa disciplina, vamos a algumas dicas 
importantes: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 85 
A Metodologia 
O uso de uma metodologia adequada permite a redução de riscos de 
falha no projeto e, ainda, um ganho de qualidade, além de ser 
ajustável às necessidades e à realidade da empresa. Com a condução 
de projetos utilizando-se uma boa metodologia, baseada em princípios, 
técnicas, ferramentas e habilidades, os gerentes de projetos poderão 
aumentar a efetividade da gestão, alcançando melhores resultados. 
A Decisão 
A gerência do risco pode não ser possível para uma determinada 
ocorrência, assim sendo, a alta administração deve ser convocada para 
decidir se um fator de alto risco é aceitável ou se o projeto deve ser 
cancelado. Fatores de alto risco podem ditar alguma outra ação ou um 
atraso, até que melhores soluções possam ser encontradas. A decisão 
sobre ocorrências de risco que tenham consequências graves é, em 
geral, reservada para a alta administração. 
Fator Crítico de 
Sucesso 
Gerenciar riscos com eficiência constitui-se não apenas em um grande 
desafio na atualidade, mas é inclusive um fator crítico tanto para o 
sucesso do projeto, como também para a sobrevivência da empresa. 
O Papel do 
Gerenciamento 
de Risco 
Atualmente acredita-se que os riscos, por mais sérios que possam ser, 
e as consequências, por mais negativas que sejam, podem e devem ser 
tratados de forma a gerar uma consequência positiva, transformando o 
risco em vantagem competitiva para a empresa. 
As Oportunidades 
Deve-se encarar os riscos identificados e gerenciados como uma forma 
de estar à frente da concorrência. A partir do momento em que uma 
empresa tem ciência da possibilidade do evento do risco e faz algo que 
possa minimizar ou evitar essa ocorrência, já podemos considerar uma 
vantagem ou oportunidade perante outras empresas, que, por ventura, 
nem ao menos tenham o conhecimento do risco. 
O Plano de 
Contingência 
O risco de projetos é um fator que pode ser convertido em 
oportunidade de negócio, por meio do plano de contingência que, 
assim como outras ações, deve ser implementado quando necessário, 
sem que haja o receio de alteração do planejamento inicial. 
 
 86 
Os Responsáveis 
pelos Riscos do 
Projeto 
A responsabilidade pelo risco é sempre um fator importante na escolha 
da estratégia a ser utilizada e, por isso, tentamos transferi-la ou dividi-
la com outra parte, de modo que não sejam atrapalhados os planos do 
projeto. 
 
 
Atividade proposta 
Escolha as estratégias de respostas para dois riscos do projeto que consta no 
arquivo “Atividade_Riscos” disponibilizado na Biblioteca Virtual da nossa 
disciplina. 
 
Referências 
PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE, INC. A guide to the project 
management body of knowledge (PMBOK Guide). Fifth edition. Project 
Management Institute (PMI), 2013. 
 
Exercícios de fixação 
Questão 1 
Sobre as respostas a riscos, assinale a alternativa CORRETA. 
 
a) Pertencem e são levantadas por uma equipe não especifica. 
b) Devem ser realistas dentro do contexto do projeto e também 
selecionadas a partir de diversas opções. 
c) São priorizadas mesmo sem acordo de todas as partes envolvidas. 
d) Coletam os dados de entrada por meio de estratégias para ameaças e 
oportunidades ou por meio de acordos contratuais relacionados a

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.