A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Resumo: Introdução à Anatomia; Regiões da cabeça, pescoço, tórax e membro torácico; estratigrafia e estática das víceras

Pré-visualização | Página 1 de 2

RESUMO PARA ESTUDO 
DEIZE BÁCRY 
GRADUANDA EM MEDICICA VETERINÁRIA 
UNIVERSIDADE FEDERAL URAL DE PERNAMUCO 
INTRODUÇÃO À ANATOMIA TOPOGRÁFICA 
TÓRAX 
MEMBRO TORÁCICO 
CABEÇA 
PESCOÇO 
IMCs 
ESTÁTICA DAS VÍCERAS 
 
 Anatomia topográfica➔ é a ciência que estuda o corpo animal por regiões distintas e 
serve como base para várias ciências. 
Está dividida em: 
 
 Holotopia ➔Relação de cada órgão para todo o corpo. 
Ex.: Sistema Nervoso, Sistema Respiratório 
• Esqueletopia➔ Relação especial de cada órgão com o esqueleto. 
 EX.: Os pulmões se encontram ventralmente às vértebras torácicas. 
• Sintopia ➔ Relação recíproca de cada órgão com seus vizinhos imediatos. 
Ex.: sintopia do coração Sintopia do útero 
Dorsalmente com o esôfago Dorsalmente com a ampola retal 
Cranialmente com a traqueia Cranialmente com o peritonio 
Ventralmente com o esterno Ventralmente com a bexiga 
Lateralmente com os pulmões Lateralmente com os ovários 
Caudalmente com o diafragma Caudalmente com a vagina 
 Histiotopia➔ É a relação recíproca dos vários tecidos componentes de um mesmo 
órgão. Ex.: paredes do intestino. 
 Idiotopia ➔ relação recíproca das partes de um mesmo órgão. Ex.: lobos do fígado e 
pulmão. 
 Estratigrafia ➔ Estudo dos estratos (tecidos) . 
 Ex.: Estratigrafia da pele: pele, derme e hipoderme. 
 Estratigrafia das meninges do SNC: pele, periósteo, osso, dura-máter, aracnoide e 
pia-máter. 
 Métodos de estudos➔ Ex.: palpação, ausculta, inspeção, percussão, dissecação, 
mensuração e diagnósticos por imagem. 
 
 
Pele: 
 
A pele é o maior órgão do corpo é o meio de defesa entre a parte externa e interna, por ser 
elástica promove movimento(retrair e afastar; ajuda na regulação térmica e oferece proteção 
contra agressão física, química e biológica; além de fazer síntese de vitamina D. A pele 
também é indicador de anormalidades em caso de inspeção e palpação observar: dor, turgor, 
mudança de cor e de brilho na pele. Em caso de uma incisão deve sempre respeitar a anatomia 
fazendo a incisão plano por plano, não comprometendo vasos e nervos, acompanhando a 
direção dos tecidos e acompanhando as linhas de tensão da região que se vai fazer a incisão 
pois esta deve ser feita sempre no sentido da linha de tensão pois aproxima a borda da ferida 
e facilita o processo de sutura e cicatrização. 
 
 
Regiões da cabeça e IMCs: 
1. Região frontal 
IMCs: 
▪ Palpação e exames de imagens para diagnósticos de: 
Sinusite e Fraturas; 
▪ Tratamento de Ovonose (ovinos) 
 
2. Região parietal 
IMCs: 
▪ Palpação e Radiografias para diagnósticos de fraturas que aumento a 
pressão craniana em caso de fraturas; 
 
3. Região occipital: 
 
4. Região temporal 
IMC: 
▪ Ultrassonografia transcraniana 
5. Região auricular 
IMCs: 
Inspeção com ou sem otoscópio, palpação para diagnóstico de: 
▪ Otites; 
▪ Cacinomas (felinos) 
▪ Esporotricose; 
▪ Otohematomas 
▪ Sranas de orelha 
 
6. Região cornual (bovinos) 
IMCs: 
▪ Bloqueio do nervo cornual 
▪ descorna 
 
7. Região nasal ➔subdividida em: região dordal do nariz, região das narinas e 
região lateral do nariz. 
IMCs: 
▪ Passagem de sonda nasogástrica 
▪ Endoscopia (em grande animais) 
▪ Verificação de epistaxe 
▪ Correção em caso de fratura do osso frontal 
 
8. Região oral 
IMCs: 
▪ Observação de eructação(arroto); 
 
 
9. Região mentoniana 
IMCs: 
▪ Anestesia troncular do nervo mentoniano (cavalo e bovino) 
▪ Radiografia para observação de disjunção de sínfise mentoniana (em felinos) 
 
10. Região da bochecha➔ subdivida em: região maxilar, região bucal, região 
mandibular. 
IMCs: 
▪ Inspeção da mucosa, dentes e línguas; 
▪ Inspeção para diagóstico de Glocite e cáries; 
 
11. Região massetérica 
IMCs: 
▪ Palpação para diagnóstico de síndrome da mastigação (cão); 
▪ Inspeção para averiguar a presença de cisto cerco (grandes animais de produção); 
▪ Reconhecer lesões no nervo facial. 
 
12. Região zigomática 
IMCs: 
▪ Anestesia troncular do nervo maxilar 
▪ Raio X para observar traumatismos no osso zigomático. 
 
13. Região infraorbitária 
IMCs: 
▪ Trepanação; 
▪ Anestesia troncular do nervo infraorbitário 
 
14. Região da articulação temporomandibular 
IMCs: 
▪ Palpação da articulação temporomandibular; 
▪ Exame de imagem para diagóstico de anquilose; 
▪ Manobras para reduzir uma luxação da mandíbula do cão. 
 
15. Região orbitaria 
 IMCs: 
▪ Inspeção da mucosa ocular; 
▪ Correção da terceira pábebra 
▪ Retirada do globo ocular em caso de enucleação (equino) 
 
16. Região palpebral 
 IMCs: 
▪ Ultrasson do olho, Raio x de olho para diagnóstico de tumores atrás 
do olho 
 
Região do pescoço➔ começa no atlas e termina em C7 
1. Região parotídea 
IMCs: 
▪ Palpação do linfonodo retro-faríngeo; 
▪ Inspeção da glândula parotídea para verificação de parotidite; 
 
 
2. Região faríngea 
IMCs: 
▪ Inspeção para diagnóstico de faringite; 
▪ Acesso a bolsa gutural (equinos) para tratamento de afecções e 
retirada de líquido pelo triângulo de Viborne este é delimitado 
ventralmente pela margem caudal do ramo da mandíbula, 
dorsalmente pelo tendão de origem do m. esternocefálico e 
ventralmente pela v. linguofacial. 
▪ Território de colheita do linfocentro retrofaríngeo 
 
3. Região laríngea, 
IMCs: 
▪ Também é território de colheita do linfocentro retrofaríngeo 
▪ palpação da laringe 
▪ Acesso cirúrgico à coluna vertebral dos carnívoros; 
▪ Inpeção e palpação para diagnóstico de edema; 
 
4. Região traqueal 
IMCs: 
▪ Traqueotomia; 
▪ Palpação para diagnóstico de edema de glote; 
 
5. Região retroauricular 
IMCs: 
▪ Raquipuntura occipital; 
▪ Aplicação de eutanásia 
 
6. Região dorsal do pescoço 
IMCs: 
▪ Miolografia de contraste para identificar problemas na 
coluna. 
 
7. Região lateral do pescoço 
IMCs: 
▪ Aplicar medicação (grandes animais) 
 
8. Região pré escapular 
 
IMCs: 
▪ Palpação do linfonodo cervical superficial 
 
9. Região esternocefálica (equino e bovino) 
10. Região braquiocefálica (equino e bovino) 
 
A pulsão da veia jugular é indicada para: 
Medicação, exames, fluidoterapia (com cautela) 
Em carnívoros o sulco da veia jugular está entre as regiões traqueal e 
lateral do pescoço e em equinos e ruminantes entre as regiões esterno e 
braquicefálica. 
 
Região do membro torácico 
1. Região escapular 
IMCs: 
▪ Raio x para diagnóstico de luxação da articulação sinsarcose; 
▪ Amputação alta em caso de lesão do plexo braquial ou nervo 
radial em caso de fratura de úmero ou osteossarcoma. 
2. Região da articulação escapuloumeral 
IMCs: 
▪ Palpação e Raio x para diagnóstico de osteocondrite dissecante 
(rottweiler) 
▪ Intervenção sobre a bolsa intertubercular; 
▪ Artrocentese da articulação do ombro 
 
3. Região tricipital 
IMCs: 
▪ 
4. Região do braço 
IMCs: 
▪ Palpação, exames de de imagem para diagnosticar possíveis 
fraturas de úmero 
▪ Vias de acesso cirúrgico ao úmero. 
 
5. Região do olecrano 
IMCs: 
▪ Palpação e raio x para diagnóstico de fraturas no processo 
ancôneo ou falta de fusão. 
 
6. Região do cotovelo 
IMCs: 
▪ Artrocentese do cotovelo; 
▪ Remoção do processo ancôneo. 
 
7. Região do antebraço 
IMCs: 
▪ Ultrassonografia para diagnóstico de tendinite