A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
NULIDADE X ANULABILIDADE

Pré-visualização | Página 1 de 1

NULIDADE X ANULABILIDADE:
	CASAMENTO NULO
	CASAMENTO ANULÁVEL
	Razões de ordem pública
	Razões de ordem privada
	Conhecido de ofício pelo juiz, requerimento do MP 
ou de qualquer interessado
	Requerimento do interessado
	Não é suscetível de confirmação
	É suscetível de confirmação
	Não convalesce com o decurso do tempo
	Submete-se a prazos decadenciais
	Não produz efeitos, em regra, pois se ambos os cônjuges
estavam de má-fé ao celebrar o casamento, os seus efeitos
civis aos filhos aproveitarão
	Produz efeitos
	Ação meramente declaratória
	Ação desconstitutiva
	Admite conversão substancial
	Admite convalidação pelas partes
 
CASAMENTO PUTATIVO: (ART. 1.561, CC)
INVALIDADE DO CASAMENTO; 2. BOA-FÉ DOS NUBENTES, OU APENAS DE UM DELES
ERRO DESCULPÁVEL; 4. DECLARAÇÃO JUDICIAL
Efeitos jurídicos são: manutenção do nome do cônjuge, fixação de alimentos, presunção de colaboração na aquisição patrimonial etc.
 
CAUSAS SUSPENSIVAS: Art. 1.523, CC. Não devem casar:
I – o viúvo ou a viúva que tiver filho do cônjuge falecido, enquanto não fizer inventário dos bens do casal e der partilha aos herdeiros;
II – a viúva, ou a mulher cujo casamento se desfez por ser nulo ou ter sido anulado, até dez meses depois do começo da viuvez, ou da dissolução da sociedade conjugal;
III – o divorciado, enquanto não houver sido homologada ou decidida a partilha dos bens do casal;
IV – o tutor ou o curador e os seus descendentes, ascendentes, irmãos, cunhados ou sobrinhos, com a pessoa tutelada ou curatelada, enquanto não cessar a tutela ou curatela, e não estiverem saldadas as respectivas contas.