05 RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL
4 pág.

05 RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL

Pré-visualização1 página
RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL 
1 \u2013 Conceito 
 Acordo firmado extrajudicialmente entre o devedor e seus credores com o objetivo de 
superação da crise econômico-financeira, levado apenas eventualmente à homologação pelo 
Poder Judiciário. Esse acordo não prejudica outras modalidades de acordo entre o devedor e 
seus credores. Art. 167, LF 
2 \u2013 Sujeitos 
2.1 \u2013 Devedor 
 Empresário individual e sociedade empresária regularmente inscrita. 
2.2 \u2013 Credor 
 Todos aqueles existentes até o momento do acordo (credores com garantia real, 
privilégio especial, privilégio geral, quirografários e os credores subordinados). Exceto: 
 Credores fiscais \u2013 em razão do princípio da legalidade e pela indisponibilidade do 
interesse público. 
 Credores trabalhistas e de acidente de trabalho. 
 Credores titulares da posição de proprietário fiduciário de bens móveis ou imóveis, de 
arrendamento mercantil, de proprietário ou promitente vendedor de imóvel cujos contratos 
contenham cláusula de irrevogabilidade ou irretratabilidade \u2013 art. 49, §§3º e 4º, LF. 
3 \u2013 Modalidades 
3.1 \u2013 Homologação facultativa 
 Consentimento de TODOS os credores, o acordo será firmado pelo simples encontro 
de vontades entre o devedor e esses credores, ou seja, a homologação judicial é facultativa. 
 Cabe as partes decidirem se levam o acordo à homologação judicial, passando a ter as 
condições de título executivo judicial, ou seja, terá mais força no eventual cumprimento. 
Não é obrigatória, mas é essencial!! 
3.2 \u2013 Homologação obrigatória 
Requer aceitação de mais de 3/5 ou 60% de cada espécie ou grupo de credores 
sujeitos ao plano. 
Imposição à minoria dos credores que não aderiram ao plano. 
Art. 83, II, IV, V, VI e VIII - Crédito com garantia real; crédito com privilégio especial; 
crédito com privilégio geral; crédito quirografário; crédito subordinado. 
Créditos pertencentes a pessoas próximas do devedor; 
Pertencentes aos sócios do devedor. 
4 - Homologação 
4.1 - Requisitos: 
4.1.1 - Subjetivos 
\uf0b7 Art. 48, LF (recuperação judicial) 
\uf0b7 Art. 161, § 3º - O devedor não poderá requerer a homologação de plano extrajudicial, 
se estiver pendente pedido de recuperação judicial ou se houver obtido recuperação 
judicial ou homologação de outro plano de recuperação extrajudicial há menos de 2 
(dois) anos. 
4.1.2 - Objetivos 
\uf0b7 Art. 161, § 2º - pagamento antecipado 
\uf0b7 Art. 163, § 1º obriga a todos os credores 
\uf0b7 Art. 163, § 4º supressão da garantia depende de aprovação expressa do credor titular 
\uf0b7 Art. 163, § 5º - afastamento da variação cambial 
5 \u2013 Procedimento 
 
 
6 - Efeitos da homologação 
\uf0b7 Vincula os credores que não aceitaram o plano; 
\uf0b7 Implicará novação de seus créditos; 
\uf0b7 Título executivo judicial; 
\uf0b7 Submissão da eventual alienação do estabelecimento prevista no plano à forma 
prevista para essa alienação na falência (leilão, propostas ou pregão). 
 
 
 
 
 
 
CRÉDITOS 
Crédito com garantia real - hipoteca, penhor, alienação fiduciária. 
 
crédito com privilégio especial - o credor por benfeitorias necessárias ou úteis sobre a coisa 
beneficiada (CC, art. 964, III); b) o autor da obra, pelos direitos do contrato de edição, sobre os 
exemplares dela na massa do editor . 
 
crédito com privilégio geral - honorários de advogado; decorrente de debêntures com garantia 
flutuante. 
 
crédito quirografário - aqueles sem qualquer garantia; credores de títulos de crédito, 
indenização por ato ilícito (salvo acidente de trabalho), contratos mercantis em geral etc. 
 
crédito subordinado - pertencente aos sócios ou administradores, ou seja, o pro labore 
(retirada) ou à parte dos lucros que lhes cabe nos resultados da em presa falida, pendentes na 
data da quebra