EXERC GESTAO DE CONTRATOS

EXERC GESTAO DE CONTRATOS


DisciplinaGestão de Contratos1.441 materiais5.304 seguidores
Pré-visualização11 páginas
As ações constitucionais também são chamadas de remédios constitucionais. Fazem parte das garantias constitucionais, que existem para, em complemento aos direitos do homem estabelecidos pela declaração de direitos, assegurá-los na prática por meio de instrumentos jurídicos e do controle judicial. Um destes direitos é o habeas corpus, que é uma das garantias constitucionais mais importantes podendo ser provavelmente, a mais importante de todas. É um remédio constitucional garantidor do direito de liberdade pessoal, sendo um instrumento protetivo para todos os cidadãos. A Constituição do Brasil estabelece em seu artigo 5.º, inciso LXVIII, o direito ao habeas corpus. Mesmo na Constituição de 1946, tida como ditatorial pelos historiadores, o direito habeas corpus já estava previsto. O art. 5.º diz que todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes.
Assinale abaixo a alternativa a que contém o conteúdo correto do inciso LXVIII do art. 5º. Inciso LXVIII \u2013 conceder-se-á habeas corpus sempre que alguém sofrer ou se achar ameaçado de sofrer violência ou coação em sua liberdade de locomoção, por ilegalidade ou abuso de poder. 
A Administração Pública, quando pratica os atos que o ordenamento jurídico impõe ou faculta, não pode separar os parâmetros estabelecidos pelas normas que protegem os direitos fundamentais. Na prática, estas normas só existem, assim como princípios e outras regras, para que os interesses sociais e coletivos sejam garantidos. Se por algum motivo isso não ocorrer, o Poder Judiciário deve agir, intervindo para resguardar o princípio da legalidade (que é a própria essência do Estado de Direito), que passa pelo respeito completo ao conjunto de ordenamentos jurídicos, chegando até os direitos fundamentais. Quando foi elaborada, a Constituição Federal estabeleceu em seu artigo 37 o princípio da legalidade que é a própria essência do Estado de Direito, como também os princípios da impessoalidade, da moralidade, da publicidade e da eficiência, e a Administração Pública sempre deve basear sua atuação nestes preceitos.
Sobre os princípios da impessoalidade, da moralidade, da publicidade e da eficiência, analise as afirmações a seguir: Apenas as afirmativas I, II e IV são verdadeiras.
l. O princípio da impessoalidade estabelece que, durante todos os atos praticados, deve-se buscar o fim legal deles, não devendo estes serem utilizados como base para promoção pessoal de autoridades ou servidores, muito menos para a satisfação de interesses próprios deles ou de suas agremiações políticas.
ll. Já o princípio da moralidade define o termo como um conjunto de regras de condutas, todas oriundas da disciplina do Poder Público, que fazem com que os administradores apenas atuem de maneira honesta, justa e lícita.
lll. O princípio da publicidade discorre que a divulgação oficial deve ser realizada para o conhecimento da Administração Público e o início dos seus feitos internos.
lV. Para finalizar, o princípio da eficiência exige que a atividade administrativa seja exercida da forma mais conveniente possível para a coletividade, ou seja, buscando sempre perfeição dos atos, presteza e rendimento funcional.
As atividades desempenhadas pelos Tribunais de Contas país afora são inúmeras. Eles possuem a prerrogativa de auxiliar o Poder Legislativo nas atribuições de julgar em caráter político os agentes titulares de todos os Três Poderes, emitindo sempre parecer prévio que recomende que as contas respectivas sejam aprovadas ou reprovadas. Desde o ano 2000, são seis as áreas que recebem atenção específica do TCU nos seus trabalhos.
Assinale abaixo a alternativa que contém as seis áreas que recebem atenção específica do TCU. Educação, Saúde, Meio ambiente, Defesa, Infraestrutura e Receita. 
As atividades desempenhadas pelos Tribunais de Contas país afora são inúmeras. Eles possuem a prerrogativa de auxiliar o Poder Legislativo nas atribuições de julgar em caráter político os agentes titulares de todos os Três Poderes, emitindo sempre parecer prévio que recomende que as contas respectivas sejam aprovadas ou reprovadas.
A organização e às competências tanto do TCU quanto dos TCEs na nossa sociedade estão apresentados na nossa Constituição. O exercício do controle externo ocorre para garantir o respeito aos princípios da Administração Pública, princípios estes que também estão representados formalmente na nossa Carta Magna no seu artigo 37.
Assinale abaixo a alternativa que contém os princípios da Administração Pública, conforme constam no artigo 37 da constituição. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. 
A Constituição do Brasil estabelece em seu artigo 5.º, inciso LXVIII, o direito ao habeas corpus. Mesmo na Constituição de 1946, tida como ditatorial pelos historiadores, o direito habeas corpus já estava previsto. Esta garantia constitucional se apresenta disponível aos cidadãos desde a Constituição de 1891, sendo retirada da pauta constitucional na Carta de 1926, mas retornando em 1946 e permanecendo até então. Há dois tipos de habeas corpus: o preventivo e o repressivo. O primeiro é para evitar, por exemplo, que uma pessoa vá presa, estando ela livre no momento do pedido. O segundo, o repressivo, é utilizado para libertar um indivíduo que já está preso. O mandado de segurança é uma inovação brasileira para os atos de qualquer natureza. Teve sua origem na Carta Constituinte de 1934 e permaneceu em todas as Constituições seguintes, exceto na de 1937. Nos dias atuais, possui legislação específica, que é a Lei 12.016 de 2009, e na Constituição atual está no artigo 5.º, LXIX, servindo para proteger o direito líquido e certo dos cidadãos, isso quando o responsável pela ilegalidade ou abuso for uma autoridade pública ou um agente público. Utiliza-se o mandado de segurança quando os direitos em voga não podem ser amparados por habeas corpus, podendo ser destinado qualquer pessoa, brasileira ou não, residente no Brasil ou não, pessoas jurídicas e até o próprio Ministério Público, por exemplo. É um direito constitucional amplo para todos os agentes brasileiros ou apenas estabelecidos, mesmo que temporariamente, em território nacional. Do outro lado do mandado de segurança está obrigatoriamente uma entidade pública e sua sede funcional. A atitude tomada pode ser repressiva ou ameaçar direitos líquidos e certos do impetrante e, dependendo do que seja pleiteado, cabe a concessão de liminar para que o objeto do mandado de segurança não pereça com o tempo. Com base nas informações, qual o prazo decadencial para que seja impetrado o mandado de segurança, sendo contados a partir do momento da ciência do ato que se pleiteie que seja impugnado? 120 dias. 
A Lei 8.666/93, com o objetivo de coibir e punir atividades criminosas no âmbito das licitações, apresenta tipos penais, conceituando-os como infrações penais contra licitações e caracterizando como possíveis sujeitos ativos os licitantes, os servidores públicos ou qualquer pessoa a eles vinculados. Nas afirmativas abaixo são descritas condutas relacionada a licitação, marque V para as condutas que constituem crime nas licitações e F para as condutas que não constituem crime nas licitações.
V \u2013 V \u2013 F \u2013 V \u2013 F. 
(V) Dispensar ou inexigir licitação fora das hipóteses previstas em lei, ou deixar de observar as formalidades pertinentes à dispensa ou à inexigibilidade.
(V) Dificultar a igualdade de oportunidades entre os licitantes por meio de apadrinhamentos, favoritismos ou perseguições.
(F) Patrocinar, somente de maneira direta, interesses privados juntos à Administração Pública, sendo que o patrocínio indireto de interesses privados constitui mera irregularidade administrativa.