A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Avaliação térmica e demanda de energia

Pré-visualização | Página 1 de 1

AVALIAÇÃO TÉRMICA E DEMANDA DE ENERGIA EM EDIFICAÇÕES
1. INTRODUÇÃO
Segundo a revista Científica Eletrônica de Engenharia e Produção, a busca por conforto térmico já consome grande parte da demanda de energia elétrica residencial. Os projetos atuais fazem uso em grande escala dos aparelhos para refrigeração artificial, aumentando o consumo de energia elétrica. 
Nota-se um aumento significativo no consumo de energia nas edificações em busca de conforto térmico. Huberman e Pearlmutter (2010) afirmam que a demanda mundial por energia tende a aumentar em torno de 71% entre os anos de 2003 e 2030.
O conhecimento das características construtivas da edificação e das características climáticas locais permite a pré–avaliação do nível de conforto e do consumo de energia elétrica que será necessário para o uso da mesma. Muitos softwares que simulam o conforto térmico em edificações levam em consideração características como o índice de radiação solar e dimensão na edificação, aparelhos elétricos e propriedades térmicas dos materiais nela empregados.
Esta pesquisa tem como objetivo verificar o estudo através da demonstração comparativa do Conforto Térmico e a Demanda de Energia entre os apartamentos Tipo “A” e “B”.
OBJETIVO GERAL
Este trabalho tem por objetivo analisar o desemprenho térmico na Edificação a fim de estudar o comportamento termo energético de dois apartamentos Tipo unifamiliar, visando à eficiência energética no sistema de condicionamento térmico e a demanda de energia.
OBJETIVO ESPECÍFICOS
-Realizar a avaliação do fluxo de Calor (Q) de cada ambiente, levando em consideração: 
•	Tipo de edificação (Revestimento);
•	Fechamentos opacos ou transparentes;
•	Índice de Radiação Solar;
- Cálculo para a Capacidade de Ar Condicionado, para cada ambiente: 
•	Quantidade e consumo de cada equipamento (utilizando o simulador da Copel);
•	Quantidade de pessoas;
•	Cálculo da área; 
- Cálculo da Demanda;
-Comparação de gastos de energias (Simulador Copel), entre os dois Apartamentos Tipo “A” e “B” avaliados;
JUSTIFICATIVA
O consumo elevado de energia em edificações está relacionado aos ganhos ou perdas de calor pelo envoltório da edificação que, associados à carga interna gerada pela ocupação, pelo uso de equipamentos e pela iluminação artificial, resultam no consumo dos sistemas de condicionamento de ar, além dos próprios sistemas de iluminação e equipamentos.
A contribuição do estudo resultaria na diminuição dos desperdícios de gastos de energia, bem como a utilização da capacidade ideal de Ar Condicionado para cada ambiente. 
CARACTERIZAÇÃO 
As diferentes orientações geográficas e radiação solar incidente afetam no consumo de energia e especificação do sistema de ar condicionado nos dois apartamentos estudados?
DELIMITAÇÃO DA PESQUISA
A pesquisa foi realizada em dois Apartamentos Tipo “A” e “B” unifamiliar, na cidade de Cascavel, de modo a melhorar o desempenho térmico, luminoso e energético de seus ambientes através de cálculos para cada situação.
2. METODOLOGIA
Primeiramente foi feito a escolha dos revestimentos a serem utilizados na edificação. Em seguida realizou-se os cálculos para a verificação da Quantidade de Calor Total (Q), o somatório de aparelhos que geram calor e a quantidade de pessoas em cada ambiente. Com o resultado referente ao Apartamento Tipo “A”, colocamos os equipamentos de Ar Condicionado em cada ambiente, com a capacidade necessária para um consumo ideal de energia.
O Apartamento Tipo “A”, mostrou – se com maior consumo de energia em relação ao Apartamento Tipo “B”, devido ao padrão e quantidade de equipamentos utilizados. 
3. RESULTADOS E DISCUSSÃO
Os resultados dos estudos de diferentes orientações geográficas, radiação solar incidente, escolha dos materiais da edificação, cálculos de demanda e comparativos para consumo de energia mostraram que a quantidade, tipo de equipamentos e pessoas influenciam diretamente no consumo de energia. 
Foram coletadas informações referentes ao consumo elétrico e conforto térmico em dois apartamentos sendo o Apartamento Tipo “A” o mais completo em iluminação, eletrodomésticos e eletrônicos em comparação ao Apartamento Tipo “B”.
No que diz respeito à orientação solar dos ambientes, pôde-se observar que os que possuíam sua parede voltada para Oeste, Apartamento Tipo “B”, tem maior incidência de calor no período da tarde. Já o Apartamento Tipo “A”, apresentou uma incidência maior de sol no período da manhã. 
Na tabela abaixo faz – se uma comparação entre os Apartamentos Tipo “A” e “B”, sendo que o Apartamento Tipo “A” utiliza-se Ar Condicionado e possui o maio número de equipamentos e eletrodoméstico em relação ao B.
Tabela 1:
Observa-se que na Suíte Casal do apartamento A, utiliza-se uma potência maior em relação ao apartamento B. Isso ocorre devido ao maior número de aparelhos instalado no ambiente e a utilização do Ar Condicionado, pois na suíte do apartamento B, utiliza-se ventilador assim havendo menor consumo de energia.
Tabela 2: 
Já na tabela 02, apresenta-se maior potência devido ao uso de Hidromassagem com aquecimento. 
Tabela 3:
Na tabela 03, o apartamento A, utiliza-se uma potência maior em relação ao apartamento B.
 Isso ocorre devido ao maior número de aparelhos instalado no ambiente e a utilização do 
Ar Condicionado, pois na suíte do apartamento B, utiliza-se ventilador assim havendo menor 
consumo de energia.
Tabela 4:
No ambiente da lavanderia, mostra que todos os aparelhos possuem uma alta potência sendo a diferença o uso da secadora no apartamento A.
Tabela 5:
Esta tabela apresenta a diferença referente às proporções da quantidade e potência do equipamentos.
Tabela 6:
Considerando os resultados da tabela 6, o quarto A apresenta maior potência por também apresentar maior número de aparelhos e ar condicionado. 
REFERÊNCIA
http://200.201.88.199/portalpos/media/File/energia_agricultura/Avaliacao_da_eficiencia_energetica_em_edificacoes_e_sua_relacao_com_os_materiais.pdf