Avaliação 2
6 pág.

Avaliação 2


DisciplinaGeologia8.979 materiais66.596 seguidores
Pré-visualização3 páginas
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ
CENTRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA
LICENCIATURA PLENA EM GEOGRAFIA
DISCIPLINA: GEOLOGIA GERAL
PROFESSOR ANTONIO DE OLIVEIRA GOMES NETO
FILIPE EUGÊNIO RODRIGUES SILVESTRE
AVALIAÇÃO DE GEOLOGIA GERAL
FORTALEZA
2018
1 \u2013 Quanto a sua gênese como se classificam as rochas?
Nessa divisão, existem três tipos principais: as rochas ígneas ou magmáticas, as rochas metamórficas e as rochas sedimentares.
1) Rochas ígneas ou magmáticas: são aquelas que se originam a partir da solidificação do magma ou da lava vulcânica. Elas costumam apresentar uma maior resistência e subtipos geologicamente recentes e de formações antigas. Elas dividem-se em dois tipos:
2) Rochas metamórficas: são as rochas que surgem a partir de outros tipos de rochas previamente existentes (rochas-mãe) sem que essas se decomponham durante o processo, que é chamado de metamorfismo. Quando a rocha original é transportada para outro ponto da litosfera que apresenta temperatura e pressão diferentes do seu local de origem, ela altera as suas propriedades mineralógicas, transformando-se em rochas metamórficas. Exemplo: mármore.
3) Rochas sedimentares: são rochas que se originam a partir do acúmulo de sedimentos, que são partículas de rochas. Uma rocha preexistente sofre com as ações dos agentes externos ou exógenos de transformação do relevo, desgastando-se e segmentando-se em inúmeras partículas (meteorização); em seguida, esse material (pó, argila, etc.) é transportado pela água e pelos ventos para outras áreas, onde se acumulam e, a uma certa pressão, unem-se e solidificam-se novamente (diagênese), formando novas rochas. Ex. Calcário.
2 \u2013 O que é o magma?
Magma é material rochoso fundido de origem mineral ou orgânica, apresenta uma mobilidade potencial localizado normalmente dentro de uma câmara de magma, abaixo da superfície da Terra. O magma permanece sob alta pressão e, algumas vezes, emerge através das fendas vulcânicas, na forma de lava fluente e fluxos piroclásticos. Os produtos de uma erupção vulcânica geralmente contêm gases dissolvidos que podem nunca ter alcançado a superfície do planeta. O magma ao se consolidar constitui as rochas ígneas.
3 \u2013 Qual a classificação das Rochas Ígneas? Quais as diferenças entre um granito e um basalto?
Rochas ígneas extrusivas ou vulcânicas: são aquelas que surgem a partir do resfriamento do magma expelido em forma de lava por vulcões, formando a rocha na superfície e em áreas oceânicas. Como nesse processo a formação da rocha é rápida, ela apresenta características diferentes das rochas intrusivas. Um exemplo é o basalto.
Rochas ígneas intrusivas ou plutônicas: são aquelas que se formam no interior da Terra, geralmente nas zonas de encontro entre a astenosfera e a litosfera, em um processo constitutivo mais longo. Elas surgem na superfície somente através de afloramentos, que se formam graças ao movimento das placas tectônicas, como ocorre com a constituição das montanhas. Exemplo: gabro.
O Basalto é uma rocha ígnea eruptiva, de granulação fina, afanítica, isto é, os cristais não são vistos à vista desarmada, podendo, ainda, conter grandes quantidades ou ser constituído integralmente de vidro (material amorfo). Esta rocha é constituída principalmente de plagioclásio e piroxênio e, em muitos casos, de olivina. Como minerais acessórios encontram-se, principalmente, óxidos de ferro e titânio. O Basalto é uma rocha com dureza e porosidade razoável e muito versátil. O granito é um tipo comum de rocha ígnea ou rocha magmática, intrusiva ou plutónica de grão fino não metamórfico, médio ou grosseiro, composta essencialmente pelos minerais: quartzo, mica e feldspato, tendo como minerais acessórios mica (normalmente presente), hornblenda, zircão e outros minerais. É normalmente encontrado nas placas continentais da crosta terrestre.
O granito possui formação intrusiva, ou seja, foram formadas por meio de um lento arrefecimento do magma (resistência à compressão: 150 a 300 Mpa). Já o basalto é classificado como uma rocha extrusiva, denominação de rochas ígneas cuja origem está associada aos vulcões (resistência à compressão: 80 a 360 Mpa).
4 \u2013 O que é uma textura: 
A) Equigranular?
A rocha é constituída por minerais com tamanho relativo aproximadamente igual, ou seja, a granulometria é homogênea. Muitas rochas ígneas de granulometria grossa são equigranulares.
B) Fanerítica?
Os minerais têm dimensões que permitem individualiza-los a olho nu, ou mesmo identifica-los, a rocha passa a ter textura fanetírica.
C) Afanítica?
Rochas com granulação muito fina, os cristais são praticamente imperceptíveis a olho nu, ou mesmo à lupa manual.
D) Porfirítica?
A rocha é constituída por minerais com duas granulometrias distintas, minerais grandes e pequenos. Os minerais grandes, normalmente menos frequentes, são denominados fenocristais, e os pequenos, que constituem a maioria, são chamados de massa fundamental.
5 \u2013 Defina cada um dos corpos ígneos a seguir: batólito, stock, dique, sill.
Os batólitos são corpos ígneos plutônicos de maior dimensão e possuem uma forma irregular. Como eles se cristalizam em profundidade, somente graças à erosão é que hoje podem ser observados à superfície. Seu tamanho pode variar bastante. Convencionalmente, costuma-se chamar de batólitos os corpos que apresentam, em superfície, uma área superior a 100 km²; quando a área for menos, os corpos são denominados stocks. Os stocks podem ser parte de batólitos parcialmente erodidos, que com um processo mais intenso de erosão podem passar a ser totalmente expostos. Os diques são formados quando o magma invade as rochas encaixantes através de fraturas ou falhas, e apresentam uma atitude vertical ou cortam as estruturas originais dessas rochas, sendo, portanto, denominados corpos discordantes. Os sills são corpos intrusivos tabulares que se alojam com atitude horizontal a sub-horizontal, paralelamente à estratificação quando as rochas encaixantes forem sedimentares pelo que são chamados de corpos concordantes.
6 \u2013 Qual a diferença entre intemperismo e erosão?
O intemperismo, também chamado de meteorização, é o processo de desgaste das rochas por meio de elementos químicos (decomposição), físicos (desagregação) ou biológicos. Os principais responsáveis por esse processo são a água, o vento, o clima e também os seres vivos, principalmente alguns micro-organismos que ajudam a decompor as rochas.
A erosão, por sua vez, é o conjunto de fenômenos que envolvem o desgaste, o transporte e a deposição das rochas e dos solos. Geralmente, a erosão dá sequência ao que foi iniciado pelos processos intempéricos, responsáveis pela geração de sedimentos transportados pelo escoamento superficial das águas ou pelo transporte dos ventos e massas de ar.
7 \u2013 Quais são os fatores que controlam o intemperismo?
Os fatores que controlam o intemperismo correspondem ao conjunto de elementos naturais que interferem ou determinam a forma e a intensidade de ocorrência dos processos intempéricos. O estudo e o conhecimento desses elementos são de grande necessidade para a previsão das sucessivas transformações do relevo e o planejamento sobre a sua ocupação por parte das atividades humanas, além de ser importante para compreender a evolução da morfologia do planeta. Sendo assim, os fatores que controlam a ação intempérica são: o clima, o material parental, o topografia, a biosfera e o tempo.
8 \u2013 Quais os tipos de intemperismo?
Intemperismo químico: Quebra da estrutura química dos minerais que compõe a rocha ou sedimento (material de origem). As rochas, então, sofrem um processo de decomposição. A intensidade deste intemperismo é relacionada com a temperatura, pluviosidade e vegetação, ocorrendo principalmente nas regiões intertropicais.
Intemperismo físico: Desagregação ou desintegração do material de origem (rocha ou sedimento) sem que haja alteração química dos minerais constituintes. Ele, portanto, causa uma desagregação de fragmentos cada vez menores, conservando as características