Ministério Público - Resumo
2 pág.

Ministério Público - Resumo

Pré-visualização2 páginas
0
Teoria geral dos processos - Resumo
FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA:
MINISTÉRIO PÚBLICO
Origem
França Justiça Pública, que tem como um dos princípios basilares a
imparcialidade da jurisdição;
No Brasil, antes da Constituição de 1988 O Ministério Público acumulava as
funções de acusador, com a titularidade da ação penal, e de advogado do Estado
Após 1988 O Ministério Público é instituição permanente, essencial à função
jurisdicional do Estado, incumbindo -lhe a defesa da o rdem jurídica, do regime
democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis (art. 127, CF).
Natureza Funcional
Corrente O MP, dada sua independência e autonomia, seria um “quarto
Poder”, não se enquadrando na clássica tripartição dos poderes, estando ao lado
do Executivo, do Judiciário e do Legislativo.
Corrente Por exclusão: o MP, mesmo não figurando como órgão dos
chamados poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, exerce atividade
claramente administrativa, promovendo a execução das leis, que não é
atividade legislativa nem jurisdicional. Para essa corrente, o Ministério Público
é instituição do Poder Executivo, mas que, apesar de estar dentro do Exec utivo,
tem autonomia financeira, administrativa funcional. Essa parece ser a melhor e
mais fundamentada doutrina, pois, que o Constituinte Originário previu
apenas três poderes da União, independentes e harmônicos entre si, e não
incluiu o MP nesse rol.
3ª Corrente O MP seria um órgão sui generis do Estado Brasileiro, dotado de
garantias especiais para a defesa de interesse da coletividade, principalmente
os indisponíveis e os de larga abrangência social.
1
Princípios Institucionais
Princípio da Unidade Todos os membros do MP fazem parte de uma só
instituição, embora subdividida em Ministério Público Federal, do Trabalho, do
Distrito Federal e dos Estados. A subdivisão que se faz entre os ramos do MP
segue a mesma lógica da divisão jurisdicional: segue-se uma distribuição de
atribuições em decorrência da matéria e da pessoa.
Princípio da Indivisibilidade Os membros de cada ramo do Ministério Público
podem se substituir uns aos outros, sem que haja alteração nos processos,
porque quem atua no processo é o Ministério Público, não a pesso a do promotor
de Justiça.
Independência Fu ncional O membro do Ministério Público tem plena
liberdade para agir de acordo com sua convicção jurídica, não estando
submetido a qualquer ordem superior no exercício funcional.
Atuação Ministerial
Dupla função O MP funciona tanto como parte processual (CPC, art. 177),
quanto como fiscal da lei (custos legis), conforme o art. 178 do CPC;
Intimação pessoal, sob pena de nulidade;
Prazo em DOBRO;
Responsabilidade civil e regressiva.