trabalho sobre multimetro
3 pág.

trabalho sobre multimetro


DisciplinaEletricidade Aplicada e Equipamentos Eletroeletrônicos7 materiais101 seguidores
Pré-visualização1 página
Eletricidade Aplicada 
 
 
Trabalho sobre Multímetro 
 
 
 
 
 
Gilberto Teodoro do Nascimento RA 201707260559 
Jaine Gomes Soares Rocha RA201602382883 
Priscila Valério Caetano RA 201707183775 
 
 
 
 
 
Multímetro 
Multímetros digitais e analógicos possuem suas vantagens e desvantagens, enquanto o 
multímetro digital mostra com precisão o valor que está sendo medido, o medidor analógico 
depende da visualização da pessoa que está fazendo a medição, ou seja, mais sujeita a erros. 
 
Multímetro Digital 
A grande maioria dos multímetros digitais tem 3 ou 4 bornes para a ligação das pontas 
de prova. Normalmente um é comum (COM) e os outros servem para medição de tensão, 
resistência e corrente. A indicação dos bornes sempre mostra para quais escalas eles podem ser 
usados. 
A corrente elétrica é medida em Amperes (A). Seus submúltiplos são miliamperes (mA) 
e microampères (uA). Seu múltiplo mais (raramente) usado é o kiloampere (kA). É comum 
termos em multímetros digitais várias escalas de mA. As leituras feitas nestas escalas podem 
ser lidas diretamente, ou seja, se fizermos uma medição na escala de 200mA e aparecer 45, 
estaremos medindo 45mA. Também é comum em multímetros digitais termos uma escala 
separada para a medição de corrente na ordem de amperes. Se numa escala de 10A obtivermos 
a leitura de 2,0 é que estamos medindo 2A. Se nesta mesma escala medirmos 0,950 é que 
estamos medindo 0,95A ou 950mA. Veja as comparações abaixo: 
1A = 1.0mA = 1.0.0uA. 1.000A = 1KA (1 x K = 1 x 1000 = 1.000A). 
Da mesma forma que na tensão o k representa o valor numérico multiplicado por 1.0 
(mil). Se você for medir uma corrente continua de 50mA na escala de 10A o valor lido será 
0,05 que corresponderá a 50mA. Mas para ter mais precisão é aconselhável se usar uma escala 
mais baixa como, por exemplo, a de 200mA 
. 
Desvantagens do multímetro digital: 
Como todo circuito baseado em leituras digitais, o multímetro precisa de um intervalo de tempo 
entre uma conversão analógico/digital e a seguinte. Isto provoca um efeito indesejável: a velocidade de 
resposta na maior parte das vezes é mais lenta que a velocidade do cérebro humano, provocando a 
indesejável sensação de que os números não param. 
Em circuitos com grandezas variando continuamente, torna-se quase impossível efetuar leituras, 
exigindo a utilização de multímetro analógico. 
MULTÍMETRO ANALÓGICO: 
O multímetro analógico reinou absoluto durante muito tempo. Foi um dos primeiros sistemas 
de leitura para bancada. Com o tempo, vem perdendo espaço para os equipamentos digitais, mas não se 
engane: Devido a características próprias, ainda é útil para o técnico, justificando sua utilização. 
Vantagens do multímetro analógico: 
O multímetro analógico possui um ponteiro que se movimenta para indicar sua leitura. Parece estranho, 
mas pense: durante a execução de música em um equipamento de áudio, qual permite uma melhor 
avaliação do sinal em execução: aqueles VU´s de ponteiro (volume unitário, ou do português \u201cunidade 
de volume\u201d) ou um indicador numérico que fica alternando rapidamente os valores? 
Um exemplo prático: imagine tentar descobrir um transistor com fuga corrente em um circuito 
com um multímetro digital lendo com intervalos de varredura (leituras consecutivas) lentos o suficiente 
para que os valores se alterem e você não entenda o que está acontecendo. 
 
Desvantagens do multímetro analógico: 
O que parece a maior vantagem na verdade é seu maior inimigo. As somas do ponteiro mais sua 
escala de leitura não são tão precisas quanto a leitura do multímetro digital. 
Normalmente é limitado na quantidade de escalas de leitura; possui uma isolação (impedância) 
muito baixa, correndo o risco de interferir no circuito e apresentar leituras erradas e como o ponteiro 
uma hora vai encontrar um fim de escala (a maior tensão ou corrente dentro de uma escala de leitura) 
um erro de utilização pode danificar definitivamente o equipamento (às vezes acontece do ponteiro 
entortar). 
 
DICAS PRÁTICAS DE UTILIZAÇÃO DO MULTÍMETRO: 
\uf0b7 Nunca leia resistência em um circuito alimentado; 
 
\uf0b7 Procure sempre ter o componente fora da placa para leitura; 
 
\uf0b7 No caso de componentes com dois terminais, se não for possível retirá-lo totalmente procure 
levantar um dos terminais para efetuar a leitura; 
 
\uf0b7 No caso de componentes com mais de dois terminais, tente cortá-los ponto onde poderiam ser 
soldados novamente para poder efetuar leituras em aberto; 
 
\uf0b7 Antes de iniciar qualquer leitura, sempre coloque a chave seletora no maior valor possível da 
escala da grandeza que irá ler; 
 
\uf0b7 Para saber se uma ponta de prova está aberta, coloque o multímetro na menor escala de 
resistência e junte as pontas: você tem que obter uma leitura de resistência quase nula (próximo 
de zero); 
 
\uf0b7 Para evitar falsas leituras no multímetro analógico quando visualizado de lado, use a escala 
espelhada para ver o ponto exato do ponteiro; 
 
\uf0b7 O multímetro digital normalmente o oscila sua leitura em escalas menores dificultando a 
compreensão dos valores; nesses casos uma solução é aumentar a escala até obter um valor fixo, 
canibalizando a precisão.