Período simples e Composto - Anotações
8 pág.

Período simples e Composto - Anotações


DisciplinaPortuguês75.896 materiais1.943.673 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Gabriela da Rocha Leão Setembro 2018
Período simples e Composto
Período simples é um enunciado de sentido completo construído com uma oração absoluta, ou seja, apenas um verbo.
Quando há apenas uma oração, ou seja, um verbo, ele é chamado de período simples; quando há dois ou mais verbos, ele é chamado de período composto.
Os dias de verão são muito quentes. (um verbo \u2013 uma oração \u2013 período simples)
Acorda, dona Maria! (um verbo \u2013 uma oração \u2013 período simples)
Não sei quantos exercícios havia na prova. (dois verbos \u2013 duas orações \u2013 período composto)
Sujeito e Predicado
Sujeito e predicado são termos essenciais da oração. 
Sujeito: é o termo da oração que funciona como suporte de uma afirmação feita pelo predicado.
Predicado: é o termo da oração que, a partir de um verbo, projeta alguma afirmação sobre o sujeito.
Tipos de sujeito:
Simples;
Composto;
Oculto, elíptico ou desinencial;
Indeterminado;
Inexistente ou oração sem sujeito.
Sujeito Simples
Aquele que possui apenas um núcleo.
Ex.: "Livros ganham as prateleiras dos supermercados." (Época, 24.05.99, p.124)
Núcleo: livros
Sujeito Composto
Aquele que possui mais de um núcleo.
Ex.: Jogadores e torcedores reclamaram da arbitragem.
Núcleos: jogadores, torcedores
Sujeito oculto, elíptico ou desinencial
Aquele que não vem expresso na oração, mas pode ser facilmente identificado pela desinência do verbo.
Ex.: "Aonde vou, o que quero da vida?" (Estado de Minas, 02.07.00, p.21)
Apesar de o sujeito não estar expresso, pode ser identificado nas duas orações: eu.
Sujeito indeterminado
Aquele que não se quer ou não se pode identificar.
Ex.: Vive-se melhor em uma cidade pequena.
Absolveram o réu.
Atenção:
O sujeito pode ser indeterminado em duas situações:
 
- verbo na terceira pessoa do plural sem sujeito expresso. 
Ex: Telefonaram por engano para minha casa.
- Verbo na terceira pessoa do singular acompanhado do pronome SE (índice de indeterminação do sujeito).
Ex: Acredita-se na existência de políticos honestos.
Sujeito inexistente ou oração sem sujeito
A informação contida no predicado não se refere a sujeito algum. Ocorre oração sem sujeito quando temos um verbo impessoal. O verbo é impessoal quando:
Indicar fenômenos da natureza (chover, nevar, amanhecer, etc.). 
Ex.: Anoiteceu muito cedo.
Choveu muito no Rio de Janeiro este mês.
Fazer, ser, estar indicarem tempo cronológico. 
Ex.: Faz meses que ele não aparece.
Já é uma hora da tarde.
Está quente em São Paulo.
Haver indicar sentido de existir. 
Ex.: Havia mulheres na sala.
Atenção:
Os verbos impessoais sempre ficarão na 3ª pessoa do singular (havia, faz...).
Tipos de predicado
Verbal
Nominal
Verbo-nominal
Predicado verbal
Aquele que tem como núcleo (palavra mais importante) um verbo significativo.
Ex.: Ministro anuncia reajuste de impostos.
Núcleo: anuncia (verbo significativo)
Dicas:
O verbo significativo pode ser: transitivo direto (VTD), transitivo indireto (VTI), transitivo direto e indireto (VTDI) ou intransitivo (VI).
Exemplos:
O técnico comprou várias bolas \u2013 VTD.
O técnico gosta de bolas novas \u2013 VTI.
O técnico prefere melhores condições de trabalho a aumento de salário \u2013 VTDI.
O técnico viajou \u2013 VI.
Predicado nominal
Aquele cujo núcleo é um nome (predicativo). Nesse tipo de predicado, o verbo não é significativo, e sim de ligação. Serve de elo entre o sujeito e o predicativo.
Ex.: Todos estavam apressados.
Núcleo: apressados (predicativo)
Predicado verbo-nominal
Aquele que possui dois núcleos: um verbo significativo e um predicativo do sujeito ou do objeto.
Ex.: O juiz julgou o réu culpado.
Núcleos:
julgou- verbo significativo
culpado- predicativo do objeto (o réu).
Objeto Direto. 
O Objeto Direto é um complemento verbal que, geralmente, não é acompanhado por preposição. 
Assim como o objeto indireto, tem a função de completar o verbo transitivo, o qual sozinho não consegue fornecer informação com sentido completo.
Verbo transitivo/Intransitivos 
Verbos transitivos são verbos que precisam de complementos verbais para completar o seu sentido. Têm um significado incompleto.
Verbos intransitivos são verbos que não precisam de complementos verbais para completar o seu sentido. Têm um significado completos.
Exemplos de verbos transitivos
Comer, querer, acreditar, lembrar, emprestar, agradecer....
Exemplos de verbos intransitivos
Viver, nascer, cair, chorar, dormir, casar...
Verbos transitivos: diretos, indiretos, diretos e indiretos
Verbos transitivos diretos pedem um objeto direto como complemento, indicando quem ou o quê.
Verbos transitivos indiretos pedem um objeto indireto como complemento, indicando de quem, para quem, com quem, de quê, para quê, a quê,\u2026
Verbos transitivos diretos e indiretos pedem tanto um objeto direto como um objeto indireto como complementos, indicando quem ou o quê e, também, de quem, para quem, com quem, de quê, para quê, a quê,\u2026
Verbo transitivo direto
Verbo ler
Ler o quê?
Ler a receita.
Ler o livro.
Ler a notícia.
A receita, o livro e a revista são objetos diretos.
Verbo visitar
Visitar quem?
Visitar a avó.
Visitar uns amigos.
Visitar o doente.
A avó, uns amigos e o doente são objetos diretos.
Veja também outros exemplos de verbos transitivos diretos.
Verbo transitivo indireto
Verbo precisar
Precisar de quê?
Precisar de ajuda.
Precisar de dinheiro.
Precisar de um casaco.
De ajuda, de dinheiro e de um casaco são objetos indiretos.
Verbo concordar
Concordar com quem?
Concordar com a mãe.
Concordar com o diretor.
Concordar com a amiga.
Com a mãe, com o diretor e com a amiga são objetos indiretos.
Veja também outros exemplos de verbos transitivos indiretos.
Verbo transitivo direto e indireto
Verbo agradecer
Agradecer o quê? Agradecer a quem?
Agradecer o presente ao namorado.
Agradecer o convite à diretora.
Agradecer a atenção à professora.
O presente, o convite e a atenção são objetos diretos.
Ao namorado, à diretora e à professora são objetos indiretos.
Verbo devolver
Devolver o quê? Devolver a quem?
Devolver o livro ao professor.
Devolver o dinheiro à mãe.
Devolver a caneta ao colega.
O livro, o dinheiro e a caneta são objetos diretos.
Ao professor, à mãe e ao colega são objetos indiretos.
Veja também outros exemplos de verbos transitivos diretos e indiretos.
Verbos intransitivos
Verbos intransitivos não pedem nem objeto direto, nem objeto indireto. O verbo transmite uma ação completa que começa e termina no sujeito da oração. Podem ser enriquecidos com a junção (não obrigatória) de adjuntos adverbiais.
Verbo dormir
Dormir muito.
Dormir cedo.
Dormir sozinho.
Muito, cedo e sozinho são adjuntos adverbiais.
Verbo voltar
Voltar rápido.
Voltar amanhã.
Voltar a pé.
Rápido, amanhã e a pé são adjuntos adverbiais.
Verbo de ligação
Os verbos de ligação ou verbos copulativos não indicam ação, e sim o estado do sujeito. Estes verbos fazem a ligação entre 2 termos: o sujeito e suas características. Existem vários tipos de verbos de ligação: ser, estar, parecer, permanecer, ficar, continuar, tornar-se, virar, andar, ficar, encontrar-se, viver, etc. 
Agente da passiva  
O agente da passiva é o complemento da frase que pratica a ação sofrida ou recebida pelo sujeito. Portanto, se a ação é sofrida, temos o sujeito paciente na forma verbal da voz passiva. 
Geralmente ele é introduzido por uma preposição (por, a, de).
Objeto Direto e Indireto
O Objeto Direto é um complemento verbal que, geralmente, não é acompanhado por preposição. 
Assim como o objeto indireto, tem a função de completar o verbo transitivo, o qual sozinho não consegue fornecer informação com sentido completo
O objeto direto (OD) é o termo que completa o sentido do verbo transitivo direto (VTD) e liga-se a ele sem preposição.