Ações Mitigadoras de Impactos Ambientais em Aterros Sanitários
15 pág.

Ações Mitigadoras de Impactos Ambientais em Aterros Sanitários


DisciplinaAções Mitigadoras de Impactos Ambientais2 materiais29 seguidores
Pré-visualização1 página
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA
Ações Mitigadoras de Impactos Ambientais: 
Aterro sanitário para resíduos urbanos
Alunos:
Guilherme Costa Santos
Gustavo Gomes
Joyce Pereira
Patrícia Ferreira
Yasmin Pires
1. INTRODUÇÃO
O aterro sanitário é uma obra de engenharia projetada sob critérios técnicos, com finalidade de garantir a disposição dos resíduos sólidos urbanos sem causar danos à saúde pública e ao meio ambiente.
É considerado uma das técnicas mais eficientes e seguras de destinação de resíduos sólidos (ELK, 2007).
Figura 1: Aterro sanitário de resíduos sólidos urbanos. Fonte: IPT (2000).
Norma técnica de aterro Classe II: NBR 8419/NB 843
2. IMPACTOS AMBIENTAIS E AÇÕES MITIGADORAS 
Impacto ambiental:
 Aumento de insetos, animais vetores de doenças e peçonhentos.
Ação mitigadora:
 Cobertura da superfície do lixo, eliminação de poças d\u2019água e controle biológico.
Tipo de Ação: 
Redução e controle.
Objetivos: 
Reduzir ou minimizar a proliferação de vetores (ratos, moscas e baratas) responsáveis pela transmissão de diversas doenças e animais peçonhentos. 
Responsável: 
Empreendedor.
Impacto ambiental:
 Queda na qualidade de vida da população do entorno.
Ação mitigadora:
 Plantio de barreira vegetal no entorno da área do aterro.
Tipo de Ação: 
Compensação.
Objetivos: 
Compensar impactos negativos que não podem ser evitados ou reduzidos para a população localizada na área de influência direta.
Responsável: 
Empreendedor.
Figura 2: Vista aérea de aterro sanitário. Fonte: Guarulhosweb
Impacto ambiental:
 Aumento na geração de gases devido à decomposição da matéria orgânica.
Ação mitigadora:
 Implantação de um sistema de drenagem de gases e tratamento, e cobertura da superfície do aterro.
Tipo de Ação: 
Redução e controle.
Objetivos: 
Criar um sistema onde ele pode produzir energia a partir dos gases gerados pelo aterro e reduzir as emissões de poluentes atmosféricos.
Responsável: 
Empreendedor.
Figura 3: Sistema de drenagem de gases do aterro sanitário de Uberlândia-MG
Fonte: Correio de Uberlândia (2012)
Figura 4: Gerador de energia do aterro sanitário de Uberlândia-MG 
Fonte: Farol Comunitário (2012)
Impacto ambiental:
 Assoreamento e obstrução de cursos d\u2019água superficiais.
Ação mitigadora:
 Plantio de gramíneas para contenção de áreas terraplanadas. Implantação de sistema de drenagem de águas pluviais.
Tipo de Ação: 
Redução.
Objetivos: 
Reduzir a terra carregada pela ação de águas pluviais minimizando o assoreamento e obstrução de cursos d\u2019água superficiais.
Responsável: 
Empreendedor.
Figura 5: Cobertura vegetal e sistema de drenagem pluvial, AS de Uberlândia-MG. Fonte: Itograss
Impacto ambiental:
 Deslizamento no maciço de resíduos.
Ação mitigadora:
 Readequação geométrica dos taludes, compactação de superfície do maciço e dos taludes, plantio de gramíneas.
Tipo de Ação: 
Redução e controle
Objetivos: 
Reduzir e controlar os riscos de graves acidentes principalmente em aterros de grande porte.
Responsável: 
Empreendedor.
Figura 6: Solo grampeado para estabilização de taludes em AS. Fonte: Solotrat
3. Referências bibliográficas 
ELK, Ana Ghislane Henriques Pereira van. Mecanismo de desenvolvimento limpo aplicado a resíduos sólidos: redução de emissões na disposição final. Coordenação de Karin Segala \u2013 Rio de Janeiro: IBAM, 2007.
BOSCOV, M. E. U. Geotecnia Ambiental. São Paulo: Oficina de Textos, 2008, 248p.
OBRIGADO!